domingo, 16 de dezembro de 2007

Tédio do inferno!!!

Bem...
Como o próprio título diz... oh porra de tédio!
Hoje não fiz nada a não ser comer, ver tv, ficar na net e brincar com os cachorros.
E como sou uma filha muito boa (he-he-he), tô fazendo uma boa limpeza nesse pc do meu pai (tanto limpeza física, que esse laptop estava imundo, como limpeza no HD).
Baixei um monte de programas pra limpar, otimizar e proteger o pobre computador do meu pai... o foda é que ele não sabe mexer direito, então vira e mexe instala umas porcarias ou apaga coisas essenciais.
E... sabe o que me dá mais raiva??? É que ele nem usa metade do espaço de HD que tem... enquanto eu, me ferro com o meu laptop com falta de espaço em disco.

Coisas do aeroporto...
Deixei de ir com o meu cinto de rebite pra não ter que tirá-lo na hora do raio-x e no fim, resolveu porra nenhuma... me fizeram tirar o cinto (de novo)!
Aí, a mulher ver algo estranho na minha mochila e pede pra eu abrir... achei que eram as coisas da máquina digital, o carregador e essas coisas, mas ela falou que não era, e comecei a querer me desesperar, pensando: o que será que tem de metal na minha mochila???
Lembrei do presente que a faxineira mandou dar pra minha mãe, mas eu não fazia a mínima do que era, pois estava embrulhado. Ela pegou o pacote e passou no raio-x... sim! Era aquilo, mas... o que era?????
Ela me perguntou, eu simplesmente disse que não sabia porque era lembrança para uma outra pessoa, e a mulher me fez abrir o embrulho... e... o que era??? Um conjunto de talheres de alumínio...
Que merda!!!!
Pensei com as minhas feridas: o presente da Fátima (a faxineira) já era... vai ficar retido no aeroporto.
Por um milagre da vida, a mulher deixou passar... não sei porque...

E antes disso tudo.... na hora do check-in... uma outra mulher (óbvio né? rs) perguntou se eu ia despachar o isoporzinho que tava levando...
Eu: Não... vou levar na mão.
Mulher: O que tem dentro dela?
Eu: Perecíveis.
Mulher: Que tipo de perecíveis?
Eu: ......(pensando)...... Ah! Tem frutas, verduras e... (mentira!)
Mulher: Ah tá... pode levar!

Tenho certeza... se eu falasse que tava levando peixe, ou ela mandaria eu despachar, ou nem deixaria levar, porque eles frescam com coisas que podem sujar o avião ou sujar qualquer lugar ou objeto.

Os cachorrinhos estão tão bunitinhos!!!!
A Vamp tá gorda, parece um leitãozinho (rs), a Spice tá uma velha rabugenta como sempre... agora a cachorra nova... oh cachorra chata!!!
Meu pai comprou um rottweiler, uma fêmea... mas ela é tão ciumenta e quer tanta atenção que a gente não pode nem fazer carinho sossegado nos outros cachorros, ela já avança e fica enfiando a cara na nossa mão pra fazer carinho ou brincar... e fica mordendo (de brincadeira) o cachorro que tiver perto.
E outra... acho que ela tem algum problema físico, porque ela tem umas patas tão moles... não corre direito, parece que tá sempre mancando... corre que nem um coelhinho todo desengonsado e quando corre muito adoidada, sempre topa com algum piso mais elevado e machuca a pata... incrível! Só hoje ela topou umas três vezes!
E mais: quando brinca, ela tem mania de morder nossa mão, mas mesmo na brincadeira ela morde muito forte... quase furou minha mão duas vezes!
Sei não... não sei do que será dessa cachorra... tenho mais preocupação com a mordida dela que com o andar dela... mas que ela anda muito esquisita, anda.

Amanhã iremos conhecer as praias do norte... mas não sei se é só olhar ou pretendem nadar... só sei que a segunda opção, no momento está indisponível, porque estou nos dias (que raiva).

Mal cheguei aqui e já vou ter que ficar fazendo social (mas que raios!!!).
Eu não sei se a minha mãe é tão carismática com qualquer pessoa que faz as pessoas quererem conhecer a família ou se o povo é mesmo curioso e intrometido. Ela já pediu pra eu ir no serviço dela terça-feira pra participar da festa de confratenização, porque tem um monte de gente que quer me conhecer... mas que porra!!!

Pior que tô me cagando pra ir, porque a minha mãe fala sempre de um homem que trabalha junto com ela que é meio doidinho... mas meio piradinho mesmo... e ele é um dos que querem me conhecer...
Enfim... vou né???

Que mais???

Eu tenho certeza que tinha mais coisas pra falar... mas agora já esqueci...
Queria filosofar um pouco, mas não me vem nada a cabeça...

Ah! Outro caso no aeroporto...
Quando cheguei aqui em João Pessoa, esperando a minha bagagem, aparecem atrás de mim duas travestis muito medonhas, feias e POBRES!!!! (hauhahauhauhauhauhauhau)
Aí, fiquei pensando com as minhas feridas: se elas (eles, sei lá como preferem que sejam referidas (os), rs) forem daqui, devem saber de alguma balada, bar, o que for gls... acho que vou perguntar pra elas...
Quando eu tava me concentrando pra perguntar isso, uma das filhas da puta me empurra pra pegar a bagagem e ainda fala: esses caralhos que não saem da frente pra eu pegar as bagagens...
A outra, mais sensata, responde pra ela: é só você pedir licença que eles dão espaço pra você pegar...
Fiquei com raiva e me concentrei em pegar a minha mala...
rs

Queria ter passado o ano novo em SP... mas não, vou ter que ficar aqui em João Pessoa mesmo... vendo os fogos de artifícios se estourando na praia... provavelmente vai ficar um monte de bêbado na beira da praia viajando com as luzes, ou se afogando na bebedeira ou mar... e mesmo vendo essas bizarrices todas, vou achar sem graça e entediante.
Acho que voltei a ser a mega-ultra-master-pessimista-de-socar-a-cara, rs.
E já adotei um novo lema pra mim:

" Sou uma fudida mesmo...
E um dia, nóis vai conseguir!"

Agora o quê, eu não sei... se possível, uma namorada (pra mim)... para a Mariana e Sheyla, namorados né???
Para o Walter, uma japinha muito boazinha e que entenda ele (rs).
E para o resto do mundo: um "fuck you" bem grande!!!
rs

Que vontade de ouvir minhas músicas que tenho no meu laptop... rs

E minhas idéias para escrever algo útil por aqui se esgotaram... portanto... fim!

Ouvindo: Vive la Fête - Noir Desir

sábado, 15 de dezembro de 2007

E as flores... mucharam!!!

Bem... mesmo com esse título sendo verdadeiro, isso não quer dizer que já tem gente com espírito ruim em casa (espero, rs). Mas também, depois de quatro meses, se ela durasse, eu a nomearia de She-Ra (rs).

E... a pedido de alguns, estou atualizando isso...

E não... não sumi... apenas fiquei curtindo minha vida e utilizando muito bem o video-game do meu primo (he-he-he).

Ganhei meu Playstation 2!!!!
Mas nem estreei ele, porque ainda tá bloqueado. Já pedi pro Erick bloquear pra mim num lugar lá que ele conhece e é de confiança. Enquanto isso, usei MUITO o Playstation 2 dele...
E... de gaiata... ainda fiquei brincando no Playstation da Mariana também...

hauhauhauhauhauahuahuahuahuahuah

Aliás.... nunca saí tanto com ela como essa semana... acho que tirei todos os atrasos de sair com alguém e dos tempos que deixava de ir pra algum lugar por causa da ex.

E... faltei na quinta passada (13/12) a psicóloga... e acho que ela deve estar muito puta comigo, porque quando eu liguei bem a noite da quinta-feira, ela nem atendeu e nem retornou. Normalmente ela retorna. Precisaria ligar pra ela.
= /

Agora... nesse momento... estou em João Pessoa...
Fazendo o quê???
Porra nenhuma!!!!
Mal cheguei e já tô entediada...
Sem sono...
Sem ânimo...
Nada contra, mas ficar muito tempo aqui não dá certo pra mim...
Aqui consegue ser pior que Manaus... realmente não tem nada pra fazer, a não ser ir ver o mar (a única coisa que presta)....
Mas é deprimente você ir sozinha andar na beira do mar...
Tá certo que tem os meus pais... mas... vocês entendem...

E a cachorra nova já tá mor grandona... e é BUNITINHA!!!! (alguém vai ficar rindo disso, rs)
E as outras, continuam as mesmas... BUNITINHAS!!!!!

Tô ouvindo um "putz-putz" mor estranho... bem baixinho, mas tô ouvindo... parece que é de algum carro que tá deixando o som ligado com todas as portas abertas... e pelas batidas, parece um eletrônico de baladinha...

E eu só tô falando idiotices e inutilidades... porque não me vêm nada útil a escrever no momento...

Me lembrem de falar do cinto e do presente... porque já estou sem saco pra ficar na frente do pc e, mesmo sem sono, vou tentar dormir...

Ouvindo: o "putz-putz" da rua, que não faço a mínima que música é

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Flores... florescem!

Pra quem já viu meu perfil, já leu...
Mas...
Vou falar de novo...

Na verdade, nem sei se isso é verdade ou não... se devo acreditar ou não...
Enquanto a alma é pequena, a crença em tudo quanto é tipo de besteira é válida...
Tudo isso pra crer que, finalmente, devo estar rodeada por pessoas de bom caráter e dignos de eu poder recebê-los até aqui em casa.

É o seguinte...
Minha mãe ganhou, um dia, um vaso de orquídea... e desde então essa orquídea está aqui em casa... especificamente bem em cima da pia da cozinha, numa estante acima dela...
Eu sei que orquídea não floresce toda hora e também não é de muchar fácil... mas, quando a minha mãe ganhou, ela florescia e caia com uma constância razoavelmente rápida.
Depois, ela ficou um bom tempo sem florescer nada... até que abriu apenas uma flor e não durou muito... e mais um recesso sem florir...
Eu tenho certeza que ela ficou sem florir em torno de um ano... e só foi abrir em meados de agosto, e abriu quatro flores... e desde então, até o presente momento, ela está aberta!

Elas são tão bonitas... e abriram tantos assim (de um pra quatro, é bastante vai!)....
Aí, pra variar né??? Sempre querendo enfiar a culpa nos outros... mas... sei lá... eu acho que ela só abriu depois que eu terminei com a minha ex... porque, até pra mim, o clima tava super pesado, imagine então para uma flor, que é super mais sensível que nós???

Aí... fico pensando com as minhas feridas... então meu relacionamento estava fardado ao fracasso desde do ano passado... um ano antes... a orquídea já tentou me avisar e eu, nem tchum pra ela...

Antes, eu achava que era por causa da água... porque eu nem lembrava dela (coitada), e muito menos lembrar de dá água pra ela (apesar de não precisar jogar água todo dia).
Mas... depois que o clima começou a ficar muito ruim, eu comecei a dar um pouco mais de atenção a essa orquídea... talvez, um modo de conversar com alguém... e então, todas as terças que a faxineira não podia vir ou era feriado, eu lembrava de jogar um pouco de água nela... e mesmo assim não abria nenhuma flor...
E só foi abrir realmente logo depois que terminei com ela... mas por que bem no mês que terminamos??? Por isso que fico crendo que não seja apenas coincidência... e mais ainda por ainda estar durando...
Já aconteceu da flor durar apenas um mês... e agora tá durando três meses... isso não pode ser apenas coincidência...

Bem... enquanto eu não quebro a cara com a orquídea, vou acreditando nisso... que, aliás... já tinha percebido isso faz um tempinho, mas só lembrei de comentar isso agora porque vi um anime que mostrou bastante nessa relação de flores e seus sentimentos...

Pra quem quer ver: Venus Versus Virus
Só uma observação: o final é simplesmente FRUSTANTE!!!!

E o povo vivia falando que o anime é Yuri... AONDE???
Isso me dá uma raiva...
E já aconteceu duas vezes comigo... um foi assistindo Noir... que no fim, não tem nada, mas nenhum pinguinho se quer de alguma suspeita de relacionamento lésbico... eu não sei da onde que o povo tira essas idéias...
E agora foi com esse Venus Versus Virus...
As vezes, acho que as pessoas confundem a aparência com a essência...
Tá certo que, nesses dois animes que citei, se você apenas "olhar", terá muitas e muitas cenas que parecem ter alguma suspeita de relacionamento lésbico... se você olhar com outros olhos, ou seja, entender o enredo da história, verás que não é nada disso... e isso é que me dá raiva!

Outro anime que me frustei um pouco foi com Yami To Boushi To Hon No Tabibito, porque os sentimentos dos personagens não foram muito bem trabalhados... parecia tão simples e besta...
Se bem que, na verdade, esse Tabibito foi criado primeiramente como um jogo hentai, e depois criaram o anime... e acho que, por isso, é tão fraco os personagens. Mas, é fato, tem Yuri sim... só não mostra cenas de sexo.

Bem... por enquanto... ninguém bate o Maria-sama Ga Miteru... esse é o meu favorito!
E Oblongs... óbvio!!! (que nem é anime, rs)

Falando em delicadeza...
Fico pensando com as minhas feridas...
Com os outros não sou nada delicada... alías, falo mais merda e besteira que muitos homens... as vezes acho que as pessoas me vêem muito superficialmente e esquecem que, por dentro, não sou bem assim... tenho também minha "delicadeza"... e uma boa parte das pessoas se quer preocupam-se em olhar isso...
Imagino que ninguém nunca pensou em querer me dá uma flor...
Mesmo sabendo que uma flor é meio inútil... eu iria gostar de ganhar uma flor...

Acho que eu ja ganhei flores sim... mas na época, pouco me importava com isso... agora fico com esse pequeno remorso dentro de mim...
Acho que, só meus amigos mesmo sabem o quão delicada eu sou... e quão uma palavra pode me levar tanto às nuvens como ao inferno. Apenas palavras...

E fico pensando com as minhas feridas novamente: será que sou uma pessoa "anormal"???
Vira e mexe, você sempre vê os outros falarem... "palavras não valem nada... o que vale são atitudes..."
Realmente... não são muito de "atitude"... sou mais de palavras mesmo...
Não que eu não seja leal... mas fazer algo é mais complicado pra mim... e... pra mim, palavras são tão importantes quanto atitudes... eu não entendo o porque das pessoas desqualificarem tanto as palavras...
Será que sou tão arcaica assim???

Óbvio que tem casos e casos... no caso da minha ex, o que ela falava, muitas vezes eu já não acreditava mais... mas também... depois de tanta porrada na cabeça, se eu não aprendesse isso dela, ia viver sofrendo com as desgraças dela, certo?
Ou, quando sei mesmo que a pessoa não é de confiança...
Fora esses casos... eu acredito nas palavras das pessoas (até eu quebrar a cara). Tem gente que nem isso leva em consideração... aliás, eu acho que isso é uma tendência atual... pede-se muito a tal da "atitude"... e as palavras, sejam verdadeiras ou não, pouco importa... as pessoas só querem "ver"... porque é mais fácil e rápido de processar as coisas na cabeça...

Aliás... facilidade e rapidez são as palavras-chaves da atualidade... que as vezes faz a gente "descrescer" intelectualmente...
Como tava dizendo acima... querer ver, o imediato... porque as pessoas não querem perder seus tempos pra prestar atenção no que a pessoa disse e pensar a respeito... eu não entendo a tamanha preguiça das pessoas somente analizarem o que a pessoa disse...

- Quais foram as palavras utilizadas
- Tom de voz
- Volume da voz
- Intensidade da voz
- Expressões faciais, gestuais
- Interpretação da fala

Se bem que, eu não posso falar nada... porque lembro de uma vez a psicóloga me falar que, a minha ex é bem esperta... ela captava isso tudo em mim, só que, ao contrário de me compreender, ela usava isso pra impor as vontades dela... ou seja, a visão dela era super apurada, mas só usava isso pra fazer coisa que não presta... MALDITA!

Eu sou meia tapada mesmo... e, é fato... a gente só presta atenção nas coisas quando é pra fazer algo que não presta...
Até eu mesma... sou super tapada... mas quando sinto que a pessoa me ameaçou ou tá falando com raiva, ou algo assim, eu percebo num instante.

Acho que é por isso que eu não consigo arranjar ninguém no momento... porque a maioria só pensa no "volátil"... rápido e fácil... sem compromisso... só ficar... só atitude... só se mostrar... só fazer suas próprias vontades...
Ninguém mais quer ter o trabalho de compreender quem estiver ao seu lado... segurar suas raivas, vontades e desejos por alguns instantes ou momentos... ter o saco de ser o "ombro-amigo" de alguém... ser solidário pelo menos uma vez na vida, com a sua própria vontade... porque isso tudo gasta energia, tempo e cabeça pra fazer isso tudo.

Talvez eu esteja tendo uma visão muito distorcida do mundo... mas... eu vejo assim... sinto-me não pertencente desse mundo, pois acho que sou ingênua demais para um mundo tão cruel e filho da puta...
Não sou tão ingênua assim... óbvio... afinal... vinte e um anos de vida nesse mundo, tenho que aprender alguma coisa né??? Mas... sei lá... ainda acredito muito nas pessoas e muitas vezes me ferro com isso... sempre crendo que existirá pessoas como eu, um pouco mais humanistas, pacíficas e compreensivas (também sei que não sou tão compreensiva assim).

Por isso... sempre quando lembro dos meus amigos, dou graças pra "sei lá quem" por ter achado eles e estarem participando da minha vida... cuidando de mim e eu, tentando cuidar deles na medida do possível...
Na verdade, comecei a pensar nisso depois que terminei com a minha ex... porque, depois disso tudo, realmente... não posso mais abandoná-los... além de me sentir super vazio, preocupei eles a toa... fiz alguns sofrerem com isso... e não quero que nada nesse mundo façam com que eles sofram, ainda mais por minha causa.

Um dia eu aprendo a lição de achar alguma garota mais calma e tranqüila (rs)... enquanto isso, cuido de quem posso e em quem confio...

Enfim... fim!

Pensando em: Yuki Kajiura - Zero Hour

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Pesadelos voltando?

Sorte de hoje:
"Pare de procurar eternamente; a felicidade está bem ao seu lado"

Como as vezes o orkut é filho da puta. Justamente no momento em que sonhei com algo não muito agradável e que me deixou meio "cabreira". Também, pra que fui ler isso???
rs

Tá...
Sonhei que estava mal com algo, da qual não me recordo no momento, mas provavelmente é de estar solteira ou qualquer bosta assim. Aí, parece que eu tava domindo com mais duas pessoas na mesma cama, só não me perguntem o por quê.
Aí, alguém nos acorda pra dizer que estava tarde e que tínhamos que sair do quarto. Acordamos, mas eu acordei meio que chorando, e uma das pessoas que estavam na cama meio que me acolheu... me puxou pro colo dela e me abraçou...
Diga-se de passagem que a pessoa era mor bonita (rs)... no sonho eu conhecia ela... na real, ela me lembra alguém da qual não recordo... enfim... depois de falar que gostava de mim, ficar me enrolando com várias palavrinhas mágicas lindinhas e ver que me acalmei, a infeliz me fala assim:

- Agora que você já sabe o que eu sinto por ti, me ajuda agora com a "fulana de tal" (a que estava também no quarto) a tirar a bomba lá do lugar?

Logo depois que ela falou isso, me veio um tipo de flashback dessa tal bomba... eu não lembro o que era exatamente, mas era trambicagem... tipo serviço sujo... de traficante ou matador de aluguel, alguma bosta assim...
Aí... fiquei me sentindo muito mal porque a pessoa ficou de firula comigo, me iludindo, só pra me usar nas trambicagens dela, sabe?

Sonhei com isso em um sono de apenas três horas e meia... será por que dormi tão pouco???
Na verdade, meu domingo foi totalmente improdutivo e frustante, porque, além de ter acordado mor tarde, as várias tentativas de fazer essa porra do pc funcionar bonitinho e adiantar a edição de som foram totalmente por água a baixo... aí, quem se fode sou eu, tendo apenas metade de um dia pra fazer isso tudo, ou seja, amanhã.
Como eu sou uma fudida mesmo.

E pra piorar tudo... não sei se foi por causa do sonho ou outras coisas, mas no momento estou muito angustiada... acho que por isso não consegui mais dormir e aqui estou... na frente desse pc inútil que resolveu ficar de birra comigo e não me ajudar no trabalho.

E pra completar a sessão cornagem... tô ouvindo músicas pra me deprimir... especificamente uma música enka que, pra quem já acompanhou num blog anterior que tive, falava direto da porra dessa música e do que ela me lembra (que me deixa mais deprimida ainda). Não é nada de experiência pessoal... é que simplesmente a melodia da música soa uma situação ruim ou algo assim.
Tá bom... re-explico...

A música: Hashi Yukio - Ame no Naka no Futari
Ela lembra música de alguém que já morreu e que teve seus altos e baixos. E sempre quando ouço essa música, eu não sei porque, lembro da minha mãe e sempre me vêem essa imagem dela morrendo e passando tudo quanto é tipo de flashback da vida dela na minha cabeça. Fico imaginando como seria o cenário no velório, descendo o caixão e essas coisas. E eu nem sei do que a música fala.

Enquanto estava no meu estado REM, lembrei de uma palavra que falaram e eu fiquei de pensar sobre essa palavra e se incluía sobre minhas atitudes, mas eu esqueci...

E já estamos chegando perto de dezembro... e tô pretendendo ir lá pra João Pessoa ver meus pais, mas algo me prende a essa cidade... como uma amiga minha dizia, a essa cidade chamada "maria-fumaça", rs. E eu não sei bem o que é exatamente que me prende aqui.

Ah! Teve um dia que sonhei que a Sheyla veio aqui pra SP, e trouxe a Beatriz (uma outra amiga minha) junta sem eu saber, e fiquei mor espantada e feliz. Ia ser mor legal se as duas pudessem vir juntas pra cá, mas quando a falta de dinheiro reina sobre as pessoas, nada é possível, rs.
E isso inclui a mim... que, aliás, uma japonesa louca, filha da puta e dona de um boteco escroto me deixou com um puta remorso com isso.

Explicando a história: Sexta eu fui de carro pra faculdade, e bem no meio do trânsito da vinte e três de maio, me deu uma puta vontade de fazer xixi... tentei segurar, mas eu não tava mais aguentando e já tava cogitando de fazer xixi nas calças mesmo... aí, consegui parar em alguma rua e fui subindo até achar esse maldito boteco. A japonesa louca não me deixou usar sem consumir algo... então, depois de fazer o xixi, pedi refrigerante e Torcida.
Aí, a desgraçada vendo que eu era japa, ficou conversando comigo e perguntando um monte de coisas nada a ver, como se fôssemos íntimas só pelo fato de sermos japas (por isso a loucura dessa idiota). Até que ela falou alguma coisa da minha faculdade e perguntou se eu queria deixar currículo com ela, porque ela conhecia alguém que trabalha em tal revista e que poderiam me pegar pra estagiar. "Sorte" que eu tava com a minha pasta que deixei meu currículo e dei pra ela... pra quê???
Depois ela ficou apontando todos os erros possíveis que tinha no meu currículo, ou seja, tudo! E eu, já tava de saco cheio e pedindo várias vezes pra ela me dar um saquinho pra colocar as coisas que comprei lá... ela sempre procurava, mas no meio do caminho, sempre pediam algo pra ela e já tinha esquecido do meu maldito saquinho pra eu ir embora de lá.
Bem, no fim... teve uma hora que ela perguntou se eu tava trabalhando... falei que não... e fazia quanto tempo que não estou trabalhando... falei que já fazia um ano... pra quê?
Começou a falar... que eu tinha que arranjar trabalho, nem se fosse na área, pra ter meu dinheiro, pra me sustentar, pra pegar experiência tanto profissional quanto pessoal... ou seja, só me chamou de vagabunda filhinha de papai.
Aquilo me veio nos nervos que, na hora que ela virou as costas pra atender alguém, peguei as coisas que eu comprei e sai fora de lá, sem saquinho mesmo! Simples assim!
Como é que alguém pode falar uma porra dessas sem nem conhecer a pessoa??? Se fosse amigos meus, beleza, é outra história... mas... que japa louca! Deu vontade de dar um soco na cara dela e destruir aquele boteco nojento e escroto de tanta raiva, mais a raiva acumulada de enrolação e de encher o saco por causa do currículo. Quase falei pra ela: pra quê você pegou meu currículo então, se está tão ruim assim???
Ain!!! Que maldição, viu????

Mas... enfim... no fundo... nessa parte de vagabunda filhinha de papai, ela tá certa...
Se dependesse de mim, não trabalharia nunca... bem... afinal... quem não queria isso???
rs

Fiquei pensando com a minhas feridas...
Será que, se eu fosse fazer arubaito lá no Japão, eu iria melhorar um pouco isso em mim?
Aliás, já pensei nisso várias e várias vezes... fora que, do povo que eu conheço e que já foi pra lá, falam tão bem de lá que, da mínima vontade que eu tinha de conhecer lá, já cresceu um pouco mais, rs.
Pensei até em seguir uma sugestão da minha mãe, que aliás, foi muito do estranho:

- Yuri... por que você não faz arubaito com a Mariana, quando ela for?

Huahuahuahauhauhauhauhauhauha....
As vezes, acho que a minha mãe deve achar que eu devo estar tendo um caso com ela ou algo assim... mas que coisa engraçada (e ao mesmo tempo também não é engraçado)... eu só não sei da onde ela poderia tirar isso... e é tudo na base do "eu acho"... porque ela nunca me falou nada a respeito...

E ontem fiquei pensando...
Nossa... com o povo que conheci aqui em SP... eu peguei mais afeição e amizade por pessoas de touro...

Huahuahauhauhauhauhauha....

Eu só ando com chifrudos (que nem eu)!

Huahauhauahauhauhauhauah...

Quem são os chifrudos???
Além de mim... tem a Mariana, o Ronaldo e o Rodrigo... sendo que o Ronaldo faz aniversário no MESMO DIA que eu, e o Rodrigo no dia seguinte... que porra!!!

rs

E pra quebrar a aliança "chifrudos"... tem o Fernando... que eu nem sei de que signo ele é...
Mas... achei isso tão engraçado...
E eu lembro muito bem que, quando era mais nova, ficava até com raiva de não conhecer ninguém do mesmo signo, só pra saber como é andar com alguém que tem quase a mesma personalidade que eu...
E do nada... só na faculdade... me aparecem dois rapazes, do mesmo signo, e com datas de aniversários próximos.

Aliás... problema meu: sou simplesmente um livro aberto pros outros... acho que por isso sempre dou brecha pro povo pisar em mim...

=/

Fiquei pensando agora... o Ronaldo sabe até bastante coisas de mim... e soube mais coisas recentemente por causa do ocorrido do e-mail lá com a minha ex... e eu não sei quase nada da vida pessoal dele...
O Rodrigo, eu já sei um pouquinho mais... e ele já sabe quase tudo de mim... ha-HÁ!
A Mariana... estamos empatadas...
O Fernando... tá no mesmo nível do Ronaldo... sabendo um pouco menos coisas de mim, se comparado com o Ronaldo...
Agora... os meus amigos lá de Manaus, um conhece tanto quanto o outro... e conhecem bem mais... óbvio... convivemos por muito mais tempo juntos.

Em tão pouco tempo, consegui achar amigos aqui em SP... sim, pouco tempo... posso até quebrar a cara... mas estou confiante de que são boas pessoas e que posso contar com eles!

Agora... só falta a básica, fatídica e busca constante de todo ser humano que se preze: achar um amor pra vida toda! (que emA!!!)
rs

Acho que estamos numa fase "neo-romântica" porque, nunca se falou tanto de amor, amor e amor como esses tempos... neo porque já teve épocas românticas... como aquelas famosas divisões literárias portuguesas e brasileiras... era barroca e bla bla bla...
Talvez não tanto literária... mas musicalmente... pelo amor... chega enche o saco... por isso que gosto mais de músicas em outras línguas... que eu não faço a mínima do que os caras falam...

Huahauhauhuhauhauhauahuahuahuah

Aliás, tenho quase certeza de que esse é o maior motivo de não gostar de música nacional escrita em português (porque existe muita banda brasileira que canta em inglês). Porque entendo quase que perfeitamente o que a pessoa está falando... e se fica falando muito de amor, eu já acho um porre. Apesar de que, já tive minha fase "romântica ao extremo". Me derretia de delírio ouvindo Marisa Monte e essas papagaiadas todas...
Ainda gosto de Marisa Monte, mas não mais pelas letras... mas sim pela voz dela, pela melodia da música, pelo o andamento da cantoria e essas coisas...
Aliás, eu gosto das músicas dela de exatamente dois cds: "Barulhinho Bom" e "Memórias, Crônicas e Declarações de Amor".

Meu... simplesmente não prestou eu ter dormido naquelas horas... já são quatro e cinco da madrugada e ainda tô acordada, escrevendo esse livro enorme que, aliás, acho que bati o recorde do post mais extenso que já escrevi em toda a minha vida...

E continuo angustiada...

E com farofa no meio dos dedos dos pés...

Hauhauhauhauhauhauhauhauha....

Tinha comida congelada aqui em casa, e resolvi descongelar pra comer... no que eu joguei pro prato de vidro pra esquentar, derramou farofa nos meus pés... e ficou uns grãozinhos no meio dos dedos dos pés...
Eu sei... é nojento...
rs

=P

E falando mais ou menos nisso... a minha casa tá um lixo total...
Além de estar uma bagunça total... tá sujo pra caramba... já tem duas semanas que a faxineira não vem aqui em casa... porque ela só vem em dia de terça-feira... e na última terça foi feriado... ou seja, ela não veio.

Ainda bem que hoje não me deu dor no estômago...
Esse fim de semana fiquei comendo só besteira... literalmente besteira... e sempre quando eu voltava nas baladas (nesses dois dias), me dava uma puta dor no estômago... aí, eu já tomava Eno e ia dormir logo... ainda bem que passava as dores...

Meu.... fui passar esse post pro Word (de repente dá pau aqui e perco isso tudo que escrevi)... deu nada mais, nada menos que CINCO folhas inteiras!!!!

Portanto... chega!!!

Ouvindo no momento: Sen Masao - Kita Guni no Haru

domingo, 25 de novembro de 2007

Set impolgation ON

Nossa!!!
Eu nunca tinha ido em algum lugar onde cinquenta por cento das músicas que tocaram eu conhecia... e esse dia chegou!!!
O nome do felizardo: Morrison Rock Bar!!!

Quando chegamos lá, tava só nos cds mesmo... e as músicas estavam legais... rock normal...
Aí, entrou uma banda (a Almanak) e começou tocar um monte, mas um monte de músicas que eu conhecia...
Nirvana, Evanescence, Metallica, Janis Joplin, Audioslave, Cranberries, Rage Against The Machine, Franz Ferdinand, Rolling Stones, Bon Jovi, System Of A Down, e mais algumas que tem no Guitar Hero (a viciada, e os caras também, rs).
Como isso nunca tinha acontecido, eu me empolguei muito e... tá certo... fiquei pagando mor pau pro lugar. Mas a banda também tocava MUITO BEM!

Outra coisa que eu achava que não prestava: Red Bull!
Como eu dormir um pouco menos do que costumo dormir, chegou a noite fiquei com muito sono... mas muito sono MESMO... aí, antes de entrar no bar, resolvi experimentar comprar um Red Bull... pois não é que o negócio funcionou? Mas também, só tomei isso e evitei ao máximo tomar bebida alcóolica (na verdade eu nunca peço álcool pra mim, no máximo eu dou alguns golinhos de alguém que está comigo).

Outra bizarrice: eu não sei se isso acontece só quando eu saio com a Mariana ou não... mas, nesses dois dias que saí em balada junto com a Mariana, sempre falei alguma merda que só bêbado falaria, mesmo não bebendo nada de álcool... incrível!
Na sexta e no sábado saí com ela e com o Ronaldo... e eu já saí várias vezes só com o Ronaldo e nunca soltei pérolas tão esdrúxulas como esses dois dias... meus deuses!

Primeiro dia
- Será que, se jogar cigarro dentro da privada, ele não explode por causa dos gases do esgoto???

Segundo dia
- Olha a vala.... (na verdade era valeta, ou algo assim... já esqueci!)
- Vai... passa... aproveita que tá AZUL!!!! (quis dizer VERDE, do semáforo)

Tem mais merdas que eu falei, mas não lembro no momento.

Como o efeito do Red Bull já tá acabando, tô ficando com MUITO sono... portanto, vou parando por aqui.

Lembrando de: Peaches - Set It Off

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Feriadão de game!!! (parte 2)

Fiquei o feriado inteiro fazendo o quê????
PORRA NENHUMA!!!
Só indo em casa de games e jogando em casa...
Foi um dos feriados mais inúteis que tive na minha vida, rs.

Mas também, graças a isso conheci o "Para Para Paradise"... que é a mesma coisa do "Dance Dance Revolution", só que... com os braços!
E sinceramente... eu achei mais legal os braços que os pés (apesar de gostar muito do DDR e Pump It Up).

E descobri uma coisa sobre o DDR e Pump: eu canso muito mais rápido no Pump que no DDR... porque no Pump, como as setas são diagonais, sou obrigada a abrir mais as pernas (no bom sentido!). Já o DDR requer mais viradas no corpo e trocas de pés.

Outra coisa surpreendente aconteceu: eu nunca tinha brincado naquelas máquinas inúteis de pegar bichinhos de pelúcia, que fazem mais comer seu dinheiro que o próprio video-game, e na primeira vez que resolvo tentar, quem diria... eu peguei!!!! E ainda peguei um bichinho até que razoavelmente bonitinho, uma arara verde.
Como não sou de colecionar muito bichinhos de pelúcia, dei pra Mariana (que resolveu ir comigo jogar lá no Hot Zone).

Pra falar a verdade, eu até tenho bichinhos... uns sete, vai...
rs
Mas, são todos ganhados (exceto um), por isso que os guardo. Inclusive, guardo um que ganhei da minha ex, mas... o bichinho é bonitinho... e só por isso eu não joguei ou dei pra alguém.

Mas... resumindo: meu feriado foi basicamente de video-game em casa, Hot Zone, Neo Geo, Royal e Unit Zero, rs.

E fazer o trabalho que é bom, eu não fiz... e no fim, meio que fudi o grupo, porque a entrega é na segunda (26/11), e eu só comecei a mexer e olhe lá hoje (22/11). Quem disse que vai dar tempo??? Fora que a gente ainda nem fez a arte do dvd (capinha do box e do dvd).

Resumindo: tô fudida!!!

E sabem qual é a pior??? É que não estou com nenhuma vontade de fazer isso... mesmo ciente do desespero e do trabalho fudido que é fazer edição de som. Além de não estar com a mínima vontade de fazer isso, quero curti minha vida! Tipo, que nem lema de vagabundo, sabe? Não fazer porra nenhuma e só sair por aí em baladas, comidas, cinema, evento ou show, video-game, etc.

É nessas horas que penso... e vejo o quão filha da puta eu sou... e continuo sendo...

=..............

Acho que extrapolei um pouco com a tal da "liberdade"....
Depois que eu terminei com a minha ex, fiquei livre de basicamente TUDO... então, já fiquei mais relaxada, mais desligada... e me desliguei tanto que nem tô dando muita bola pra esse trabalho de faculdade que ainda está pendente.
Fora que ainda não me livrei de provas escritas... terei duas... e agora, perguntem se eu sei o que vai cair? Sei porra nenhuma!
E o pior: veja a minha cara de preocupada...

-_-

rs
*Ri pra não chorar...

Fora isso... mais nada de interessante..

Ah!!! Ultimamente tô faltando tanto na psicóloga... hoje era pra eu ter ido, mas acabei não acordando... que merda! Pior que vou dar mais trabalho pra ela tentar encaixar essas duas sessões que não fiz.

Meu coração??? Nesse exato momento vai muito bem, obrigada! (odeio quando falam isso, rs)
E sim, estou sendo irônica... porque meu coração nunca vai bem... única coisa que faço é não tentar dar muito bola pra ela, se não me empolgo muito e me fodo, entrando na onda dela.
As últimas novidades sobre o meu coração seria um leve "tum-tum-tum" acelerado por alguém, DE NOVO!
Aliás... isso fica num vai-e-vem desgraçado... mas até que não está me atrapalhando, me agonizando ou me deixando mal... pela primeira vez na vida isso está basicamente relax pra mim.
E assim, confirma-se mais uma vez do quanto eu extrapolei na minha "liberdade"...
Acho que tô ficando realmente "alienada"... de tão boba que estou...
Talvez seja o sono...
rs

Portanto... the end!

*Pensando em: Barulho de moscas... e imaginando a minha cabeça... oca... e cheio de moscas, pra demonstrar o vazio, rs.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Hentais e suas relações

Eu nunca imaginei que iria me sentir assim, ainda mais vendo algum hentai, porém, aconteceu.

Baixei três hentais, pois estou numa época que fico com muita vontade de ver "aquelas coisas a mais".
O primeiro que peguei é uma bosta! História de uma casa que mora um monte de irmãs juntas e um irmão distante aparece lá pra ficar uns dias e sai transando com todas as irmãs... praticamente hentai incesto... argh!
Mas, como não deixo de ser uma "garota suja"... me empolgo até vendo apenas insinuações de relações sexuais. Mas as vezes, vai numa boa... outras, fico com um peso tão grande na consciência depois que, fico com uma enorme vontade de chorar... como se realmente tivesse feito a coisa mais feia, nojenta e suja do mundo... ter pensado tal coisa ou ter conseguido me empolgar vendo tal cena e bla bla bla.
Enfim.... o segundo foi mais ou menos, mas eu não veria novamente... é uma gueixa que conta estórias pra um dos seus clientes preferidos, aí fica ilustrando as estórias dela.
O terceiro me emotivou... mas, bastante! É a história de uma família que deixa um rapaz (não sei se é parente ou não, mas era conhecido) ficar uns dias na casa, e ele se apaixona dela dona da casa, sendo ela casada e ter uma filha. Aí, viram amantes, até que a mulher fica com muito peso na consciência e resolve contar pro marido. Ele resolve falar também que tem amante mas, como um grande machista que se preze, exige que a mulher não veja mais seu amante, enquanto ele poderia ter quantas amantes quizesse. Aí a mulher fica numa encruzilhada pensando se continua com a família e a sua filha ou opta em ficar com o amante.
O único problema é que no final ela fica com o amante, mas não mostra como ficou com relação ao marido e a filha.
As cenas "a mais" não foram coisas forçadas do tipo estupro, submissão total da mulher, etc. Bem... resumindo, mostram eles "fazendo amor", não transando somente.

Tá... e... o que te mexeu nisso tudo??? As "cenas em si"?

Mais ou menos... o que me deixou com muita raiva de mim mesma foi que, enquanto estava vendo essas cenas, lembrei de quem??? Da minha ex, e dos tempos que tudo estava a mil maravilhas, inclusive "isso". Só que, em vez de me empolgar, me deixou completamente deprimida, triste.
Aquela velha história de "relembrar as coisas boas"... a maldita nostalgia, ou alguma bosta assim... e ficar perdendo meu tempo e gastando lágrimas pra ela.
De como no começo era tudo bom... tão mágico... como se você não tivesse problema nenhum naquela época... e eu crendo piamente que todas aquelas palavras que ela "profanou"* eram verdadeiras, puras e singelas... e eu acreditei naquilo tudo... e eu caí de cabeça naquilo tudo que ela falou, como um patinho na lagoa...

*Profanou: botei asterisco porque até agora não sei se ela realmente mentiu pra mim quando dizia que me amava ou não... e nunca vou saber disso, e por isso quero acreditar que ela mentiu para os seus sentimentos... ou, no fim, não quero admitir que abri totalmente meu coração pra ela simplesmente pisotear e chutar ele, me manipular e fazer de mim a sua escrava... ou seja, quem tem culpa nisso tudo sou eu por ter deixado ela ter feito isso comigo... sou uma Ê-Mula mesmo!

Estou tão desestimulada, desanimada... vontade de desistir de tudo... e sinto raiva por não poder fazer isso, pois tenho muita coisa pra fazer ainda como: gravar a porra do armário (de novo!) hoje, tenho que ver a porra dos papéis de paredes que me pediram pra ver, ajudar na edição do nosso trabalho, não esquecer da psicóloga na terça a tarde, ver apartamentos perto da Madre Cabrini (outro favor que me pediram), e tenho certeza que me pediram mais alguma coisa pra eu ver e esqueci.

No momento, estou com uma vontade incrível de gritar, mandar todo mundo se fuder, chorar que nem uma louca, xingar minha ex de tudo quanto é nome, de ficar me socando e batendo a cabeça na parede... eu admito: eu não gosto de responsabilidade e pressão!!!!

AHHHH!!!! Ainda não dei o dinheiro da minha avó... que bosta!

Queria sumir... no momento, temporariamente... só queria sumir por uns tempos...

Queria ser feliz, ao meu modo... somente ao meu modo... nada mais, nada menos que ser feliz ao meu modo...

Aliás... eu sempre cortejo as garotas de quem eu gosto (falando em termos amorosos), mas ninguém me cortejou uma única vez. Talvez por isso eu nunca me senti plenamente feliz... talvez... porque nem eu mesma tenho certeza...
Pensando melhor... estou mentindo... já me fizeram agrados sim.... eu que sou ultra-romântica e acabo acostumando mal as pessoas. Talvez isso seja um dos meus piores problemas. Pior é que eu sei que esse meu ultra-romantismo não dura muito tempo... eu mimo demais no começo e logo depois já fico cansada e largo tudo.
Acho que era isso que a minha ex reclamava tanto... eu a acostumei muito mal...
E no fim... descubro que... afinal... a culpa... é sempre minha...

E é nessas horas que fico com mais medo de mim mesma, pois não quero voltar a minha fase "galinha"... mas... tô sentindo tanta falta de "alguém"...

*Que bosta! Só falo merda nisso aqui!

FIM!

*Pensando em: Eu não sei o nome da música... é música clássica... e nem sei quem compôs... pensem em qualquer música clássica que conheçam e que achem deprimente...

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Video-gamer viciada e recaída 1

Meu feriadão foi super-hiper-mega-blaster legal e divertido, mas... totalmente inútil! E foi tão inútil e divertido que esqueci todas as obrigações que tinha que fazer para a gravação na segunda-feira do nosso curta metragem. Mas nada tão sério ou urgente assim.

De quinta para sexta, fui com o Walter para uma balada dark-electro-gothic miado. O som estava muito legal, mas não tinha quase ninguém. Se eu tivesse saco, contaria e falaria quantas pessoas tinham, rs.

Sexta.... quem diria...
A princípio, pensei que só ia andar com o povo lá, sem me empiriquitar toda, e no fim, Waltero, o grande culpado, simplesmente me incentivou a criar "machucados" nos meus braços e fazer parte da encenação "zombination" do Zombie Walk. E... admito: não me arrependi! rs
Quando eu receber algumas fotos, posto aqui a minha "arte zumbificada"... eu fiz o papel da garotinha que parece um garotinho que mais vomitava e cuspia sangue que qualquer outro ser existente lá (babei muito, rs). Embrulhei o estômago de um dos nossos fotógrafos contratados, rs.
Depois do Zombie Walk.... varei o resto da sexta, sábado e domingo direto no Playstation 2!!!!! Já que choveu direto no fim de semana, fiquei mesmo em casa jogando com o Walter, mas ele não aguentou o meu pique (he-he-he).

Segunda... fiquei o dia inteirinho fora de casa e em pé! Fui pegar um presente que ganhei do Guilherme, um amigo meu lá de Manaus que está no Japão no momento. Ganhei um GRAVADOR DE DVD EXTERNO!!!!!
Fiquei tão feliz que, quando cheguei em casa, queria estrear logo o presente, mas eu não tinha tempo, pois já estava atrasada pra ir na faculdade fazer a porra da gravação do inter.
Cheguei lá, só me sentei no momento que fui almoçar super rápido (meia hora somente)... depois, só montagem dos equipamentos, do cenário e gravação direto, sem parar até às onze da noite.
Fora a puta vergonha e uma merda enorme do tamanho de um elefante que eu passei. Como disse acima, não tive tempo pra fazer nada além do que já foi dito, portanto, não fui ao banco tirar um dinheiro pra encher meu bilhete de estudante. O pouquinho que eu tinha na minha carteira comprei umas coisas que eu precisava pra gravação, e no fim perdi cinco reais não sei como, um desconhecido teve que me pagar uma passagem de ônibus, e fiz o coitado do Rodrigo ficar esperando passar o meu ônibus pra eu usar o bilhete de estudante dele e jogar logo pra ele antes que acabasse não indo mais pra casa dele.
Cheguei tão morta que até agora estou ainda cansada.

Esse foi o meu feriadão divertido e totalmente inútil!

Agora, a outra parte do título...
Pra variar, fico sempre fuçando o perfil da minha ex e... olha o que vejo: ela está namorando!
O correto seria: filha da puta! Já arranjou uma rapariga escrota pra ficar pisando e fuder com a vida da outra!
Mas o que aconteceu foi isso: ..... (escorrendo lágrimas)

Eu fico abismada comigo mesma...
Como posso me importa tanto com uma inutilidade e idiotice dessas??? Por quem eu acabei pegando tanto ódio, mas tanta raiva...
E no fim, tô quase chegando a conclusão de que, por mais raiva e ódio que eu sinta, ainda a amo. Acho que ainda tenho resquícios desse amor inútil e sujo por ela.
Inútil não preciso responder... sujo por ter me desvalorizado tanto ao ponto de fazer muitas besteiras e "sujeiras" (coisas contra a minha vontade) por ela... acho simplesmente uma imundice o que eu fiz... mas, tenho quase certeza que, quando eu me apaixonar novamente, vou fazer as mesmas merdas e imundices que fiz com ela.
Eu sei que essa palavra soa muito feia e até em outro sentido... mas o que eu quero dizer é que acho uma imundice total você deixar de ser você mesma por conta dos outros, ou só pra agradá-la(0). E eu fico mais assustada ainda comigo mesma porque antes, eu pressava muito a minha autenticidade e integridade, apesar da minha aparência. Eu lembro que as vezes algumas pessoas, quando me olhavam, me achavam muito esquisita e depois de conversar comigo, viram que não sou uma má pessoa.

Não querendo me gabar, mas acho que eu seria uma boa nora, porque a lista de mães que gostaram de mim é impressionante, rs. Não digo mães de quem já namorei e fiquei (isso é outra história e é sempre o contrário), mas mães de colegas, amigos e conhecidos meus. Assim como eu tinha um dom enorme de atrair cachorros pro meu lado de tudo quanto é tipo, até aqueles que o povo falava que eram muito bravos e tal, eu sempre dava um jeito do cachorro chegar perto de mim e eu poder tocar na cabeça deles... e ficar fazendo carinho e brincar com eles.
Esse do cachorro eu me arrependendo amargamente de tê-lo perdido. Talvez porque, depois que eu me mudei pra SP, eu perdi um pouco de contato com cachorros, já que, em casa, eu tinha dois.
E essa de mães, eu já não sei dizer se o perdi ou não, logo porque, depois que cheguei aqui, só conheci uma mãe (a da Mariana).

Enfim... continuo sendo a garotinha besta e idiota, que ainda fica derramando lágrimas por alguém que nem lembra mais de mim.
E, o que me deixou mais irritada e chateada é que fiquei deprimida com uma besteira dessas, e continuo deprimida com uma besteira dessas.
Será que vou continuar sendo essa garotinha besta, idiota e imunda que estou demonstrando até o presente momento?

Talvez eu me arrependa uma hora da palavra "imundice" que usei... mas... no momento... eu me sinto dessa forma.

"Quem sabe, um dia, eu seja feliz ao meu modo..."

Ouvindo: Yuki Kajiura - Zero Hour (faz parte da trilha sonora do anime "Noir"); Sen Masao - Tsugaru Heiya

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Falhas técnicas e decepção amorosa

Bem...
Devido a uma crise existencial absurda e initendível do meu pc que, simplesmente fechou do nada a Internet Explorer, eu desisti de continuar a escrever e o post de ontem ficou aquela miséria meio sem nexo. E não me perguntem o que eu tinha pra escrever que eu não lembro mais!

Enfim, depois de ficar alguns dias sem conseguir acompanhar The L Word, hoje consegui ver (graças ao lembrete com barulhinho que coloquei no meu celular pra avisar o dia e a hora da série, he-he-he)!
Perdi tanta coisa da série e não gostei de absolutamente nada do que aconteceu... simplesmente foi desgraça atrás da outra, e isso meio que me abalou no momento (coisas momentâneas, espero).
Vamos tentar resumir (para quem acompanha mais ou menos):

- Shane pede pra se casar com a Carmen, e depois da noiva entrar no salão, a filha da puta cai fora, deixando todo mundo de boca aberta e decepcionados. Desde o começo eu já imaginei que a Shane não prestava, mas não sabia que chegaria a esse ponto. E tudo isso, por causa da burrice da Shane de querer seguir o jeito do pai, que é um outro estúpido, mas que não ganha da Shane... ooohhh mina burra, puta e maria-vai-com-as-outras só pra coisa que não presta, incrível!
- Helena deu um puta de um dinheiro pro pai filho da puta da Shane. E a mãe dela ferra ela dizendo que não ia dar mais grana... pra ela aprender com isso e ver quem são seus melhores e reais amigos. O que me irritou foi da Helena dar o dinheiro pro homem, que no fim fugiu com a grana e uma amante.
- Alice fica (ou namora, não sei) com a Lara. Como???? A Dana morre e, só porque as duas gostavam da Dana, vão ficar/namorar??? (se bem que, nem sei se é isso mesmo, mas se for, que merda hein!)
- Tina deixa a Betty e fica com o carinha que conheceu não sei aonde por causa da filha. E agora estão se destruindo pela guarda da filha (queria tanto que as duas se ajeitassem e ficassem juntas, e agora já era).
- Jenny está mais distante ainda de Max (antiga Moira). Se bem que, essa é a personagem que eu mais odeio, porém, quando a Jenny começa a ficar ergocêntrica, fica muito estúpida com tudo e todos.

Basicamente é isso...
Acho que, o que me abalou mais entre as situações citadas, é da Betty e Tina, e isso me veio a tona a falta de amor, a falta de "alguém".
Meu passado... minhas dores... meus recuos... meus medos... minha insegurança... voltou tudo de quando ainda namorava...

*uma hora depois

fim!

Pensando em: Muse - Stockholm Syndrome (nada a ver com o momento, porém tô com ela desde que acordei)

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Tour de France versão urbana, automotiva e cooper

Caramba... mais um fim de semana corrido...

Fui para tantos lugares, tive que fazer tantas coisas, saí pra tantos lugares, e tô ouvindo tantas músicas no pc que já nem sei enumerar direito pra quantos cantos diferentes fui.

- Photoboard em casa (que foi incersantemente trocado por Photoshop e photostory)
- Levar minha avó pra igreja
- Chá de bebê
- Halloween Parade (bem miado)
- Roadhouse's house
- Thash 80's (não curti muito não)
- Casamento de um primo meu
- Aeroporto de Guarulhos
- Jogos Mortais 4!!!!!!!! (ainda estou em fase de avaliação, pois, como deu pra perceber, o filme é no mínimo, confuso)
- Parque Anhembi
- Terminal Rodoviário Tietê
- Enfim... casa!!!!

Não que eu não tenha passado em casa entre esses lugares citados... e não foram feitas em apenas um dia.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Muitos sonhos, muitas coisas a relatar

Vamos por parte, pois faz tempo que não escrevo aqui e anotei alguns sonhos que tive:

FICAR NA LOTAÇÃO
Eu já não me recordo quase nada dele, mas como citei no último post, tenho que falar. Eu só lembro de que estava ficando com a minha ex numa lotação, e eu ficava muito preocupada com a reação do povo que tava lá dentro, porque eram duas meninas que estavam mais do que ficando, mas estava gostando, e muito! E o sonho é isso. O que me impressionou nesse sonho foi a veracidade dos atos. Ela me tocava, e eu sentia de uma forma que parecia real e que eu ia explodir a qualquer outro toque. Na verdade, eu acho que tava naquela fase REM (pra quem nunca ouviu falar, é a fase transitória do sono, entre o acordado e o dormindo). Eu, meio que conseguia controlar a condução do sonho, mas nem tanto porque as vezes queria algo e a minha ex não fazia, como se estivesse me provocando mesmo, de verdade, pra eu ficar empolgada. Lembrei de alguém que me falou que tinha uns lances de viagem astral e eu fiquei pensando com as minhas feridas... será que eu não conseguia controlar a minha ex por ela estar também sonhando a mesma coisa? Ou seja, estávamos em sintonia naquele momento? Se isso fosse verdade, eu ia falar: viu, sua filha da puta? Fez de tudo pra terminar comigo e se livrar da culpa de não ter sido você quem profanou o término do namoro, e agora sente falta de mim! Enfim, deixemos isso pra lá. Pelo menos eu assumo que ainda sinto falta dela, mas não está tão desesperador assim.

NA CAMA COM O MEU PAI
A mesma cena da anterior só que, em vez de ser na lotação, era numa cama mesmo. E os dois piores pontos: a veracidade do sonho e o sentimento de prazer no sonho. Lá, eu tava gostando, me empolgando e tudo mais, e continuou também a provocação, de eu querer as coisas e ele não fazia, só pra me provocar. E é nessas horas que eu penso com as minha feridas novamente: essa parada de viagem astral é uma babaquice total... ou não???
AAAAAAARRRRGGGGGHHHHH!!!!!!
Nem quero pensar nessa possibilidade!
Depois que eu acordei, que nojo!!!! Com o meu pai??? Argh!!!!
Enfim, foi isso!

FICADA EM CERIMÔNIA DE CASAMENTO
Mesma estória de ficar, também com a ex, só que, não teve aquela veracidade fudida como nas duas anteriores. Estávamos apenas de mãos dadas na frente de uma igreja, sendo que lá dentro estava acontecendo uma cerimônia, e fomos fuçar a igreja, indo pela parte de trás, e lá achamos vários quartinhos minúsculos, como se fossem cabines de banheiros. Aí a gente entrou, tinha uma micro-cama de solteiro e ficamos lá "fazendo coisas". Quando eu olhei pra cima, tinha uma parte do teto que era de vidro e lá, estava duas amigas da minha ex e a Alessandra, uma colega de infância, nos espionando. E eu comecei a ficar muito nervosa, não conseguia mais relaxar ficando com a minha ex, com aquele povo todo nos olhando. Falei pra ela, mas ela nem ligou e continuou "fazendo coisas". E fim!

ATENDENTE DE LOJA DE CD
Estava vendo uns cds numa loja, aí começou a tocar uma música que eu já ouvi no Madame Satã que até agora não sei o nome da banda e da música (inclusive descrevi ela em um post). Aí chamei a atendente ou balconista (como queiram chamar), e a garota se vestia meio cyberpunk, ou algo assim. Muito vermelho, preto e roxo, com uns dreads no cabelos, umas coisas assim. Aí perguntei pra ela se sabia quem cantava, ela ficou caçando o cd que tinha a música, me mostrou e falou que era do Wumpscut, só que ela não tinha muita certeza. Fim! (seria bom se meus sonhos fossem premonitivos ou gêneros, aí já procuraria a música pela banda informada no sonho, he-he-he)

PSEUDO-GAYS FILHOS DA PUTA
Estava andando numa ladeira, indo pra casa, e de repente, eu cruzo com um casal de gays. Só que, nesse cruzamento, um deles passa a mão e aperta a minha bunda com tudo (por isso pseudo-gays). No sonho, nem fiquei me perguntando se eram mesmo gays ou não, porque depois do ato, fiquei muito, mas muito puta. Depois que acordei que realmente fiquei me perguntando isso, porque, que gay é esse que aperta a bunda de uma mulher, ainda mais se tiver com o seu namorado ou marido ao lado? Aí, fiquei tão puta que só cheguei em um dos gays (sem saber quem foi que passou a mão), e dei um puta tapão na nuca. Depois fiquei gritando e xingando ele. O povo que tava perto, estavam achando que eu tinha pirado, que eu é quem estava errada, e começaram a ficar me vaiando e tal. Aí, tive que explicar detalhe por detalhe pro povo idiota lá. E fim!

Talvez eu tenha sonhado mais coisas, mas não lembro.

Essa semana estive bastante ocupada, sendo o chofer da minha mãe, rs.
Levei ela pra lá e pra cá, já que, da última vez que ela esteve aqui, também queria ficar levando a minha mãe pra tudo quanto é lugar que ela quizesse, mas a minha ex achou ruim dizendo que eu não preciso fazer isso.
Aliás, outra coisa ruim: nos tempos que eu namorava, queria ficar mais próxima da minha mãe, mas a ex sempre dava um jeito de falar algo pra eu não manter muito contato com a minha mãe. Na época, eu achava que a minha ex não se sentia bem falando, estando ou qualquer coisa assim com a minha mãe, já que ela sempre achou que a minha mãe nunca foi com a cara dela e eu acabava fazendo as vontades dela. Agora, consigo ter uma outra interpretação disso, de que ela fazia esse afastamento com a minha mãe de propósito, só pra poder me manipular melhor.
Filha da puta!
Tá certo que, na época que nos conhecemos, eu tinha muita raiva da minha mãe porque ela não me deixava sair, minha opção sexual ainda não estava bem resolvido para ela e tal, e sempre falava dos problemas que ocorria em casa pra minha ex. Talvez ela tenha fixado na cabeça que ainda tenho raiva, rancor ou algo assim da minha mãe, sendo que isso não acontece mais, assim como não guardo mais nenhum tipo de rancor da minha mãe.
Por isso tenho duas interpretações: ou ela achava que ainda tinha rancor ou me manipulava.
Você decide! O que acham???
rs
Mas também, fiquei esses dias tão ocupada levando a minha mãe pra tudo quanto é canto que fiquei até cansada e meio "em falta" com o meu grupo lá na faculdade. Espero que eles entendam que quero agradar a minha mãe enquanto eu posso, já que eles sabem que moro sozinha e que a minha mãe está aqui em casa por alguns dias.

Caramba! No sábado, desde a hora que acordei, até a hora de dormir, não parei de dirigir! Como fiquei cansada!
Levei a minha avó pra igreja, depois eu a minha mãe fomos pra casa de um tio meu, depois deixei minha mãe na casa de uma conhecida dela, depois fui buscar o Walter no Terminal Rodoviário Tietê, depois fomos na paulista, depois fomos buscar a minha mãe, depois fui deixar a minha mãe em casa, depois fomos pra balada, depois de uma balada-fiasco-horrível (chamada Rose Bom Bom) fomos para o Matrix e fiquei um bom tempo dançando, depois uma longa caminhada pra chegar ao carro e mais direção pra ir pra casa, aí sim fui dormir. Fora outros lugares que tive que levar a minha mãe nos outros dias: cemitério, casa de parentes, shoppings, etc.

Acho que eu gosto de dirigir...
he-he-he
Só que... cansa!

Problemas... não vivemos sem elas! Essa é a lei do universo!
Porcaria de trabalho de faculdade! Já estou totalmente desanimada e desestimulada e fazer um curta-metragem muito bom e estou fazendo tudo "as coxas". Quer dizer, não larguei tudo. O que o povo vai falando pra fazer, vou tentando fazer, mas falar as coisas que eu acho, eu simplesmente já cansei de ser uma aspirante a formadora de opinião no grupo. E o pior disso tudo é que, sou tão burra e boazinha que, mesmo sabendo que não dá pra ser de outro jeito, vou deixando os outros viajarem na maionese, não tendo coragem de frear o povo, pra não me condenarem de "a filha-da-puta que só quer causar confusão e ser do contra".
E eu achava que eu já tinha vencido esse medo de "o que os outros acham de mim"... pura ilusão minha!
Mas, tem muitas coisas que eu me importava que agora entra num ouvido e sai no outro. Outras coisas, ainda me importam. Que saco!

Tinha um descontentamento a declarar, mas eu tô com sono e não queria virar a madrugada, portanto vou parando por aqui.

Pensando em: A maldita música que não sei o nome e quem canta.

domingo, 14 de outubro de 2007

Sentimento novo

Aproveitar que tenho coisas na cabeça e o sono ainda não me deu um soco no nariz.

Senti algo que nunca me aconteceu... e não foi sentimento bom...
Soube que alguém chorou por mim sabendo-se de uma futura ausência eterna minha. O que me impressionou foi a pessoa que fez isso.
Não esperava isso, ainda mais dessa pessoa... e eu nem desconfiei, não sei por quê. Acho que eu estava muito, mas muito cega para o mundo.
A pior tragédia não aconteceu (graças), mas... sinto-me tão mal por ter feito isso (mesmo sem querer), e isso foi mais estranho ainda da minha parte por ter sido alguém que, apesar de gostar bastante, não tínhamos tanta intimidade assim e tantos anos de amizade assim.
Agora fico em dúvidas sobre que tipo de sentimentos tenho por essa pessoa... porque me senti tão mal, mas tão mal que parecia que machuquei fisicamente alguém que eu gosto amorosamente, ou algo assim.
Queda eu já tive sim... mas já passou... pelo menos eu achava...
E com essa pessoa, nunca fui conhecer e sair com a intenção de querer ficar ou namorar. É uma pessoa que eu não gostaria de forma nenhuma arriscar-me a fazer uma besteira dessas e depois perder sua amizade. Além de existir o outro fator importantíssimo: opção sexual não compatível.
Considero essa pessoa uma amiga especial. Não que meus outros e pouquíssimos amigos não sejam especiais, mas cada um é especial ao seu modo.
Espero piamente que seja apenas fase, pois tenho amigos das quais gosto tanto que achei que estava gostando no outro sentido, e no fim passou essa fase "empolgation" ou algo assim.
Eu odiei saber que fiz tal pessoa chorar, mas... me passou uma impressão de pureza... que a pessoa tem uma amizade tão singela e pura por mim que, ficou mal em saber que poderia nunca mais falar comigo.
Não queria me sentir assim, pois acho que não mereço essa grandeza toda, mas... me senti importante, mesmo com a desgraça alheia (me sentir importante vendo o outro chorar).
Sinceramente, não sei se sou digna de receber tal dádiva... mas... pretendo manter essa amizade até o fim da minha vida.
Pra mim, isso foi uma demonstração tão triste e sincera de uma verdadeira amizade... mas tão triste que acabou me contagiando...
Assim como parece até uma demonstração de um amor sincero... nesse caso, no bom sentido... e, fico pensando com as minhas feridas... se existisse alguém que fosse que nem essa tal pessoa no quesito amoroso, estaria mais do que nas nuvens, rs.
Aí alguém diz no meu ouvido: essa pessoa não existe, desce do céu!!!
rs
Enfim... uma das coisas que queria falar era isso...
Tenho dois sonhos parecidíssimos pra contar, mas agora tô com muito sono e não vou aguentar escrever direito, portanto... fica pro próximo post.
Só pra eu não esquecer: ficar numa lotação, na cama com o meu pai.

Ouvindo: Emilie Simon - The Frozen World (trilha sonora do filme "A Marcha dos Pingüins")

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

DDD!!!!

Não... não é DDD de Discagem Direta à Distância... e sim de Depressão De Domingo...
Na verdade, DDD é palhaçada, mas hoje senti um pouco de DDD sim... me esvairando em filmes alugados... nem vi todos... aliás, na quinta aluguei:

- Final Fantasy VII: Advent Children
- O Violino Vermelho
- Manderlay

Pra devolver no domingo, e só fui ver os filmes no domingo a tarde... sendo que, acabei nem vendo o Final Fantasy (por pura, mera e estúpida preguiça de me levantar pra trocar de disco lá no aparelho).
Não resisti e aluguei mais:

- Deu a Louca na Chapeuzinho
- A Marcha dos Pingüins

Agora, pra devolver na quinta... vamos ver se serei capaz de não conseguir ver algum filme... pelo menos já vi da Chapeuzinho...
Minha avaliação?
Meio sem graça, mas... quebra bem a rotina dos contos de fadas e histórias com moral infantil. Engraçadinho, podemos dizer.

Eu poderia muito bem utilizar deste blog um exercício do olhar para os filmes que vejo, e tentar meio que me enquadrar aos jargões do (talvez) meu futuro emprego, mas... eu não presto atenção nisso... eu quero mais é entender a história contada...
Se bem que, os professores sempre dizem que você nunca notará as coisas sutis na primeira vez que ver o filme, e que, pra isso, precisa ver no mínimo mais duas vezes.
Eu já tentei isso também, mas não consigo. Mesmo que eu tenha visto tal filme um milhão de vezes, acabo sempre entrando no encanto da história e toda a minha concentração para a análise de enquadramento da câmera, os tons, as edições feitas, etc, vão tudo pro saco.
Assim como comentei uma vez pra psicóloga... eu tenho uma dificuldade tão grande pra ver determinadas coisas que são passadas na aula... eu até entendo os conceitos, mas na hora do "vamos ver", eu não consigo ver sozinha... digo isso na parte somente do olhar, porque o ouvir, apesar de ser uma outra coisa bastante difícil (principalmente em filmes), eu consigo identificar com um pouquinho mais de rapidez e atenção.
Não sou a fodona em trilha sonora... tanto é que, tem tanta coisa que os professores falam que eu nunca percebi, notei e gêneros, mas... sei lá... acho que, no fundo, tô me gabando por uma coisa estúpida. Portanto, esqueça!

Estou tão desanimada com o inter de vídeo, mas tão desanimada... e o pior disso tudo é que, não estou fazendo nada pra melhorar isso, absolutamente nada!
Estamos tão atrasados... nem fizemos casting ainda, nem arranjamos a locação do maldito escritório e armário, nem ensaiamos com os atores e muito menos filmamos. Somos o grupo mais atrasado da turma... puta merda!
Acho que estou ficando tão desanimada que já estou querendo transformar isso em depressão (não exatamente a doença, mas no sentido de um pessimismo tão grande que nem forças e vontades tenho pra fazer algo bom ou ruim pra isso).

Aliás... esse sentimento é culpa do meu ócio maldito que passo no momento... no fundo, estou adorando não fazer nada, só estudar e olhe lá. Mas, tenho consciência de que isso não me faz bem em nenhum sentido: física e psicologicamente. Aliás, só consciência né? Porque, pra botar em ação que é bom... não faço nada! Então, conclui-se que, nem consciência tenho.

Acho que, depois que fiquei só, sentimentos ruins me dominaram, e eu achando que era apenas momentos ou fases, mas acho que essa "fase" está se prolongando demais, e me dando conta que talvez a "liberdade" não é tão legal e feliz assim.

- Ócio
- Preguiça
- Inveja
- Raiva
- Tristeza
- Solidão
- Desmotivação
- Desinteresse
- Fraqueza

Isso tudo é o que sinto no momento, somente com uma leve explicação ao item "solidão".
Essa solidão que sinto é um pouco diferente da solidão que sentia antes, do que leva a palavra ao pé da letra.
Sinto uma solidão de ter alguém do meio, pra poder sair em baladas gls, somente isso. E agora, talvez... mas um talvez bem longe e chutado, entendo um pouco quando a minha ex falava que queria tanto conhecer mais gente do meio... eu digo que talvez eu entenda bem de longe porque não sei se era isso que ela sentia.
Ao meu ver (totalmente envenenado pela raiva e tristeza de tudo que passei com ela), ela só queria conhecer pessoas do meio pra poder sair em baladas ou qualquer coisa gls, somente isso e mais nada. Somente de ter conhecidos (sem vínculos mais fortes de amizade) e sair pra lugares do gêneros.

Eu, além de achar alguém pra poder ir em lugares do gênero, também procuro amigo(s). Admito que, no momento, estou com um puro olho de interesse, só pra eu não ir sozinha mas, se eu achasse alguém que curtisse sair pra qualquer lugar, sem frescura de sair pra uma balada mais chique ou mais punk, ou parar num boteco podre qualquer só pra ficar bebendo e batendo papo (se bem que boteco pra mim nem presta muito, porque eu não bebo). Sair sem compromisso nenhum, só pra estar com a pessoa e qualquer lugar servisse, sabe? Eu ficaria bastante feliz se encontrasse alguém assim e com o adicional de jogar no mesmo time.
Porque até tenho amigos que são assim, só não são gays e lésbicas. E por isso não reclamo da solidão ao pé da letra. Só queria companhia pra sair em lugares gls.
Queria aprender a ir pra onde eu quizesse sozinha, mas... não consigo. Essa minha maldita dependência por companhia me irrita as vezes. O que me dá mais raiva e inveja da minha ex. E mais-mais raiva ainda saber que ela deve estar muito contente e feliz com as vadiagens e vagabundagens que ela deve estar fazendo.
Vivo chamando-a de vagabunda por dentro toda vez que olho o perfil dela. Pra quem já me chamou de prostituta... e no fim, a grande prostituta da história é ela... o único problema é que, ela consegue ser tão cega, mas tão cega que, não enxerga de forma nenhuma que, o que ela fez pode-se considerar uma grande maestria da putaria, ou seja, a verdadeira puta-prostituta.
Pra quem terminou duas vezes antes do término real, e nessas duas vezes, foi justamente pra "ficar"com outras garotas, deixou de falar que FICOU com um cara por estar super bêbada, enquanto estávamos namorando, e só foi falar depois de uns cinco meses ou pouco antes???? Ah não!!! Agora me incuquei com isso e vou fazer a maldita lista dos "pecados" meus e dela:

DELA
- Primeiro pedido de término, ficou com uma garota lá, conhecida das "amiguinhas" dela (assim como ela sempre chamou os meninos lá da faculdade de "meus amiguinhos").
- Ficou com um cara que fazia aula de violino junto com ela, sendo que ela me contou de fato que tinham saído, só não tinha contado que ficaram, e só foi contar meses depois.
- Segundo término, que ela só terminou pra poder ficar quantas vezes quizesse, sem sentir remorso ou culpa com aquela maldita japa cujo nome era o mesmo dela (maldita da japa e da minha ex, as duas juntas!) (obs.: isso é o que eu acho, não sei se foi realmente esse o motivo dela ter pedido o término).
- Não me esqueço jamais de quando ela me prensou na parede só pra me ameaçar! E ainda se diz no direito de ter feito isso e que isso não foi nada... e que qualquer pessoa que sentisse raiva faria o mesmo. Só se for no mundo animal dela! Porque também sou humana e sinto raiva, mas não sou animal que nem ela!

MEU (segundo argumentos dela)
1) Ter ficado vários noites na casa de um cara e ter dormido na mesma cama que ele, que é um absurdo eu ter dormido na mesma cama de um homem.
2) Ter dado carona pro pessoal da onde eu trabalhava pra ficar "mostrando meu carro" e ter dado carona pra uma pessoa que ela não ia com a cara e o outro porque, não sei que raios ela não queria que eu mantivesse alguma amizade com ele.
3) Ficar secando as "japas", e que isso era uma total falta de respeito com ela e que sentia vergonha de ser a minha namorada.
4) Mentiras e omissões por motivos bestas, por isso não daria pra confiar em mim se o caso for mais sério.

MEU (motivando os tópicos acima)
1) Foram apenas três noites e só uma vez eu realmente dormi, na mesma cama sim, mas não rolou nada, não aconteceu nada. No fim, descobri que o cara não era uma boa pessoa, mas na época em que o conheci ele me respeitou, não me forçou a nada. Agora, o que dirá de uma pessoa que FICOU com um cara e não me falou nada depois de quatro, cinco meses?
2) Eu menti pra ela sim que tinha dado carona porque sabia das duas pessoas que ela não ia gostar de saber, mas no dia estava chovendo e como eles iam parar no caminho que eu ia fazer, pra mim não teve problema nenhum em dar carona pra eles e sem a intensão de "mostrar meu carro pros outros". Ao contrário dela, eu não sou tão filha-da-puta e egocêntrica pra ficar somente pensando em mim mesma, e não ser nada humilde e com um pingo se quer de solidariedade... aliás, acho que ela nunca ouviu falar em solidariedade. E até agora não entendi o porque dela não querer que eu conversasse com o amiguinho dela, sendo que era impossível porque fiquei um tempo na mesma sala que dele, e outra, perguntei se era pra eu não dar mancada de que jogávamos no mesmo time e que eu tinha algo com ela, e ela respondeu que não era isso. Não dá pra entender!
3) Concordo plenamente que ficar secando outra pessoa sendo que a sua namorada está ao seu lado é muita falta de respeito, mas isso era uma piração total dela porque eu não ficava secando, apenas olhava de relance e não ficava olhando várias vezes, e no fim, se forem olhar o perfil dela, tem uma japa na lista de "amiguinhos" dela... e sempre com a desculpa de que sou xenofóbica, e que eu sempre quis uma japa, e que meu destino é ficar com japa, por isso ficava secando as japas... e quem fez amizade com uma japa logo de primeira e ainda lésbica, hein??? Agora, me perguntem, eu já namorei alguma japa??? NÃO!!!! Se fosse assim, nem namoraria com ela. Esse foi o mais absurdo dos absurdos que eu tive que aguentar, porque chegou num ponto que eu não podia olhar pra mulher nenhuma, porque ela achava que eu tava secando. Retardada dá nisso!
4) Tentei várias vezes falar que o tom de voz que ela usava comigo as vezes me assustava, me dava medo, e se ela poderia pelo menos policiar com isso... qual foi a resposta dela? De que eu já devia ter me acostumado com o jeito dela, e se não está satisfeita, que era pra terminar com ela. Que ela não falava com raiva ou brava, e que era pra eu entender isso e me acostumar com o jeito dela. Eu tentei e, no que deu? Ficava com mais medo que cheguei no ponto de começar a omitir e mentir com algumas coisinhas bestas, idiotas e insignificantes, mas quando era coisa séria, eu falava a verdade, isso eu sei distingüir bem, minha mãe quem o diga! Eu sei que, realmente, se a pessoa mente muito com coisa besta, você fica com muito receio quando é coisa séria. Mas o outro lado da moeda é dela não ter sido compreensível comigo, de entender que eu não funciono do mesmo jeito que ela, portanto aquele tom de voz me incomodava, me dava medo. Acho que, se ela gostasse e se importasse mesmo comigo, ela pensaria um pouco mais e ao menos tentaria se policiar com o tom que ela usava as vezes, mas não, ela não queria perder o tempo dela pra ficar observando a si mesma, sendo que tem coisas mais divertidas e legais pra fazer como, ficar me dando ordens, me ameaçando, me manipulando.

E esses são os meus maiores motivos de tanta raiva, ódio e rancor da minha ex. Diz a minha psicóloga que isso é fase. E eu respondi: e que santa fase hein! Já vai completar dois meses desde o término, e ainda tô com essa raiva??? Tá durando demais, não acha???
Queria que essa raiva incontrolável passasse logo, porque isso as vezes me incomoda bastante, sobretudo em respeito a minha própria conduta moral. Assim como também me incomoda por esse sentimento se alastrar com uma rapidez e voracidade tão grande, e que te faz ver somente por um lado: o lado ruim, mal das coisas.
Eu simplesmente cansei de caçar algum motivo bom pra algumas coisas que ela fez, e fiquei que nem ela nesse sentido: vendo tudo pelo lado ruim, pessimista das coisas e das pessoas. Acho que isso foi um dos mau costumes que ficou dela.
Fora os momentos bons e legais que tivemos, eu não sei mais o que foi de bom que eu "herdei" dela. Queria saber mesmo se eu peguei algum costume bom dela, pra não ficar com tanto peso na consciência e me arrepender completamente de ter gostado dela.
Eu só queria ser feliz... e ela me iludiu... com uma felicidade de plástico...
E esse fim é ideal com uma música...

*Ouvindo: Lucy And The Popsonics - Coração Empacotado

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

A volta dos enkas!

Catei uma música tão, mas tão velha de enka que me voltou a vontade de catar e catalogar as músicas que tenho aqui. Mas, não dá no momento, fora que, precisaria de MUITO tempo livre pra fazer isso.

Eu tinha perdido a noção de quanto de espaço no HD as músicas ocupam no meu PC... fui ver agora... quase SEIS GIGA!!!!
he-he-he

Pior que estou aqui, postando no blog, mas sem a mínima idéia do que falar...
Durante essa semana não fiz absolutamente nada, fora ver algumas coisas de sempre: pagar contas, pagar isso, pagar aquilo... com um adicional de pneu furado...
Meu... eu sou suprema na arte do absurdo... como eu consegui furar um pneu de carro com dois PARAFUSOS????
Se fosse prego, ainda vai... se fosse UM prego, também passava... mas... DOIS... e ainda PARAFUSOS???
E não faço a mínima da onde eu poderia ter andado pra encontrar esses dois parafusos e pararem no pneu do meu carro...
E o mais revoltante: acho que fui num borracheiro mor farjuto, porque o cara só tirou os parafusos por fora do pneu mesmo, e enfiou (não sei como) um tipo de um pedacinho de borrachinha no buraco... e só! Eu acho que essa borrachinha não vai dar conta não! Tô até com medo de andar de carro pra, no meio do caminho, o pneu muchar de novo. Aliás, foi muita sorte minha ter muchado enquanto estava na garagem... já pensou se eu parasse bem no meio de uma avenida, por exemplo??? Eu estaria fudida!

Queria sair pra fazer alguma coisa... mas... a preguiça e falta de companhia reina... rs
Quer dizer... falta de companhia acho que nem tanto... é mais preguiça mesmo...

Tava vendo um site que me passaram, e tem uma reportagem que enumera os vinte sobrenomes japoneses mais comuns. Eu sempre achei que Watanabe seria o primeiro, mas me surpreendi e ele está na quinta colocação. (pra quem quer ver a reportagem, clique aqui)

Agora vai ter neguinho me perguntando: por que o interesse todo por Watanabe???
Apesar de achar um sobrenome meio sem graça, está no meu sangue (família da minha mãe é Watanabe), e o sobrenome que prevalece no meu registro é do meu pai... e... bota sobrenome medonho, feio, horrível!
Aliás, pra quem me conhece, acho que já perceberam que odeio ter que falar meu sobrenome, e sempre paro no meu segundo nome...
he-he-he
Antes eu era muito mais encanada com o meu sobrenome, porque no curso de inglês que eu fazia (ICBEU), eles sempre faziam chamada em público no primeiro dia de aula, com direito a pronunciar o nome completo... e pra variar... além de ninguém saber falar meu sobrenome, sempre riam da minha cara, assim como já me zuaram com direito a escrever piadinhas sem graças na lousa pra todos lerem (isso já foi numa outra escola de inglês).
Na escola mesmo... eu já não lembro... as vezes, mas bem raramente, zuavam mais pelo meu segundo nome... acho que porque quase ninguém sabia o meu sobrenome (de desconhecimento mesmo). Nenhum professor se arriscava a falar (pelo menos a grande maioria dos docentes de lá tinham o bom senso de pensar que eu ficaria chateada ou brava em ouvir meu nome errado e ser alvo de piadinhas).
Único proveito que tiro dele (se é que pode se dizer "proveito") é de ser um sobrenome muito incomum... eu nunca ouvi de outras pessoas a não ser meus parentes mesmo.
Gostaria muito de saber sua origem, mas nem a minha avó portadora do sobrenome sabe (deu-se pra perceber que não é ela que tinha, e sim o marido, que não está vivo no momento). Única coisa que ela sabe é que, chegou a ouvir um dia de que era um sobrenome de algum samurai famoso, mas... eu duvido e MUITO!
Fico imaginando que deve ser sobrenome de um camponês bem pobre que morreu em alguma invasão de vila (aquelas cenas básicas, típicas e cliquês de filmes de samurais ou ninjas, que o governo da época mandava destruir alguma vila, e fica aquele caos e sangüinolência pra tudo quanto é canto da vila, matando homens, mulheres e crianças as vezes).
Enfim.... deixa o meu sobrenome pra lá!

(passaram-se uma hora à espera de algo brilhante pra comentar aqui)

Portanto... vou-me encerrando aqui.

*Ouvindo: Itsuki Hiroshi - Yokohama Tasonare

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Muitos sonhos!

Dos que eu lembro, são três... esses dias tô sonhando direto, mas tem alguns que não lembro (pra variar)....

DONA ELZA - A BRUXA DO 1601

Estávamos viajando não sei pra onde de carro, e o bendito veículo resolve esculhambar no meio da estrada de terra. Beleza... saímos do carro e ficamos no acostamento, esperando passar algum ônibus ou algo assim. De repente, começa a chover muito forte, e um ônibus que passou por nós, além de não ter parado quando demos sinal, tombou logo em frente. Aí, o povo que tava no busão, saíram desesperados, mas eu não entendi o porque do tanto desespero. Não que eu não tenha entendido que eles poderiam morrer dentro do busão, mas o desespero era tão grande e tão descontrolado que era medonho e terrível, tanto é que esse desespero me abalou e comecei a sair correndo junto com o povo pra, sei lá que sentido eles tavam indo, e a Dona Elza junto comigo. Aí, chegamos numa parte da estrada que era tipo uma serra: de um lado, o precipício; do outro, um paredão de mato e pedra. E a estrada era bem estreita. Aí, comecei a ficar desesperada porque a gente não conseguia sair daquela parte da estrada, e comecei a me meter no meio do mato, com um monte de árvores quebradas, com troncos e cipós soltos e tudo mais. Sei que, no sonho, eu meu caguei todinha, suando frio, e depois ainda tive que ajudar a Dona Elza atravessar o mato, com todo aquele peso em excesso que ela tinha e a dificuldade enorme de andar... foi foda puxar aquela mulher. E depois de ter quase caído junto com ela, o povo descobriu um cantinho lá que dava pra passar numa boa sem ter que se enfiar no mato. Me deu uma raiva isso... e depois acabou!


O DEDO INFECCIONADO

Eu e a Mariana, estávamos indo numa balada, que a festa ocorria no subsolo da casa, ou algo assim. A Mariana tava toda empolgada, porque estava esperando por essa balada há anos... tão empolgada que ela ficava me puxando pelo braço pra chegarmos logo na balada. Aí, quando estávamos bem na porta da casa, senti uma leve dorzinha no dedo do pé, mas até aí nem liguei, achei que fosse tensão muscular, ou algo assim. Só que, cada vez que eu andava, mais doía. Quando chegamos na escada pra descer pro subsolo, a Mariana derruba alguma coisa que tinha um formato de uma lâmina de barbear, mas sem o fio de corte, justamente do dedo que tava doendo. Aí, não aguentei... parei de andar e a Mariana foi descendo, nem me viu sentindo dor (acho que ela nem viu esse objeto cair). Quando tirei o sapato e fui ver o dedo... tinha um corte enorme, cheio de pús melequento... e o negócio tava tão feio que eu tinha certeza absoluta que ia perder aquele dedo.
FIM!


LUANA PORTUGUESA

Tava indo pra casa de carro... e pra cortar caminho, tive que passar numas ruas que fica perto de onde eu trabalhava da última vez. Aí, passando lá, vi a Luana (ela era uma das supervisoras de lá onde trabalhava), e ficou acenando pra eu parar o carro. Aí, dei meia-volta e parei bem na frente da casa onde ela estava (e a rua estava totalmente modificada do que ela realmente é). Aí, conversando um pouco com ela, descobri que ela tava morando lá, e que ela tinha viajado pra Europa, não sei pra quê, e ficava falando direto, quase sem parar, que ia se mudar pra Portugal, também não sei porquê. Depois que me toquei que ela tava falando um português de Portugal, e que, na realidade, ela era portuguesa, e não brasileira, como achava. Aí, perguntava pelo povo de lá, algumas pessoas que eu tinha amizade e tal, mas ela não respondia a minha pergunta, sempre falando do maldito Portugal, que ia se mudar e bla bla bla.
FIM!


Tô começando a anotar num papel coisas que gostaria de falar aqui mas, nunca lembro de anotar, e aí, já esqueci o que era, rs.
Só anotei uma vez uma teoria cretina exatamente assim:

" Olhar eclipse com negativo de foto = estragar meus olhos"

Na verdade, é fato: quando você olhar para um eclipse, não se pode usar de forma nenhuma aqueles filmes negativos de fotografia, que não protege porra nenhuma e estraga seus olhos. Você só pode olhar com óculos escuros MESMO (não aqueles comprados de camelô que não tem proteção nenhuma), e muito mal, porque não se pode ficar muito tempo olhando, no máximo, por alguns segundos. Porque os raios dessa luz são tão intensas que não existe proteção nenhuma que barre-os, além de serem nocivos aos olhos.
Agora, a teoria cretina: lembro-me que, um dia, teve aquele eclipse de escurecer tudo lá em Manaus, e eu fui ver com a porra do negativo, fora que fiquei muito tempo olhando. Antes disso, eu não usava óculos. Não sei se foi logo depois desse evento que eu comecei a enxergar mal e começar a usar óculos, mas o fato é que, depois disso, eu fiquei com miopia, ou seja, eu não devia ter visto aquela porra do eclipse!
Agora, sou quase uma cega pra andar na rua, porque minha vista é MUITO enbassada quando é pra ver coisas de longe... além de me irritar, me dá uma puta dor de cabeça. Não posso nem cogitar em sair de carro sem meus óculos (apesar de que, na minha carteira, não tem nada escrito que eu obrigatoriamente preciso andar com óculos, aliás, uma coisa muito estranha, e eu acho que o cara que fez o exame médico ou era doido, ou tava drogado no dia, rs).
Fora que, sou pobre, então não posso ter dois óculos (óculos são carérrimos, sabiam?)... e esse meu atual as vezes quebra alguma coisinha, ou dá algum problema, e no fim, nessas horas, sempre fico refém delas e tendo que me sujeitar a ir, no mínimo, pra faculdade sem elas, me dando mais irritação e dor de cabeça. Acho que já aconteceu isso umas duas ou três vezes, e nessas, minha aula foi totalmente improdutiva, porque não enxergava nada que estava na lousa e o professor.
Sim, eu ouço, mas parece que eu não consigo prestar muita atenção se eu não estiver olhando pro professor ou pra alguma coisa visivelmente limpa e clara (no sentido de não estar embassado).

Fiz inscrição pra estagiar na rede Globo e... são SETE fases!!!! A primeira eu já passei, a de análise curricular. A segunda é fazer uns testes online de conhecimentos gerais, inglês, português e alguma coisa de raciocínio lógico.
Caralho!!! Não sabia quase nada!!! Até português foi difícil pra mim (só pra vocês verem o meu nível de burrice). Inglês, foi chutão quase que total, porque sou péssima pra aplicar gramática, e sei muito mal e porcamente ler e interpretar. Português, teve um monte de regras que eu não lembrava mais. Conhecimentos gerais, tinha algumas coisas políticas e de pesquisas do tipo IBGE e gêneros que eu não sabia. Agora, esse raciocínio lógico foi o mais filho da puta...
Sabe aquelas questões pegadinhas do tipo: Fulano gosta de alguém, Ciclano gosta de alguém mas não gosta de Fulaninha, Fulaninha gosta de Jesus, que gosta de Ciclano e que não gosta de Fulano. Quem Fulano gosta? (a pergunta está muito mal formulada, é claro).
Mas, deu pra entender o esquema das perguntas, né???
Tanto é que, todos, tinham tempo pra responder de meia hora, exceto esse último que tinha tempo de UMA HORA E QUINZE MINUTOS!!!!
Ah meu! Eu respondi o que eu achava que era... fazer o quê?

Toddy Ice!!!! Que gostoso!!! Será que, se eu fazer Toddy (o de pó mesmo) e colocar uma bala de menta, fica igualmente gostoso como o Toddy Ice??? (rs)
A impressão que dá é que, o chocolate que você tá bebendo fica menos pesado e não fica travando tanto sua garganta, aliás, dá até aquele frescorzinho, rs.
Uma vez bebi tanto isso que me deu dor de barriga... acho que eu tinha tomado umas quatro caixinhas num intervalo de três ou quatro horas (óbvio que vai ter dar dor de barriga, rs).

A gasolina do carro tá acabando e não tô podendo gastar com combustível no momento... tenho que esperar virar o mês... e tô querendo sair nesse fim de semana... ooohhhh dúvida cruel!
rs

Por que não posso ter um amor tão bonito como da Yumi e Sachiko do "Maria-sama Ga Miteru"???? Se bem que, elas se gostam, mas não tão no sentido amoroso. Aliás, esse anime é tão ambigüo que as vezes irrita. Vou introduzir mais ou menos a história:

Uma escola só de meninas, onde existe um tipo de hierarquia a seguir, que são as "rosas". São sempre três rosas (chinesis, foetida e gigantea), que precisam ser alunas do terceiro ano do ensino médio (meio que equivalendo ao esquema brasileiro). Essas rosas precisam ter a "irmã mais nova", que são alunas do segundo ano e que são nomeadas como "rosa tal en bouton" (eu acho que é esse o nome, não tenho certeza). Assim como as 'irmãs mais novas" precisam das "irmãs mais novas-novas" que são do primeiro ano (sim, terminou por aqui! rs).
Essas rosas fazem parte de um tipo de Diretório Acadêmico da escola, ou algo assim e são bastante prestigiadas, tantos pelas alunas, como pela direção da escola.

Enfim, a principal dupla seria a Rosa Chinesis (Sachiko) e sua "Rosa Chinesis en bouton" (Yumi).
Antes da Yumi ser nomeada a "irmã mais nova" da Rosa Chinesis, ela sempre gostou da Sachiko (no anime, parece ser apenas de admiração). O nomeamento dela foi meio conturbada, mas meio sem querer, acabou realizando um dos maiores sonhos dela. No começo, Sachiko era meio resistente a "nova irmã", mas com o tempo foi gostando dela e assim foi.
Dizem que lá no Japão, eles acham super normal crianças, pré-adolescentes e adolescentes femininas (como preferirem) terem esse sentimento meio que lésbico, mas, com o passar dos anos e o amadurecimento da pessoa, isso vai se dissolvendo até acabar esse desejo. Então, a impressão que dá é de que a Yumi esteja nessa fase descrita acima pela Sachiko, porém, tem horas que você fica vendo o anime e se pergunta: como é possível isso ser apenas um desejo involuntário ou "de fases"???
Como??? Como???? Como????
Se formos ver no ponto de vista "a la brasileira" e na real... meu... é impossível dizer que as duas não se gostam amorosamente. Mas, as vezes, eles mostram um distanciamento entre esse "gostar amoroso" e "gostar de amizade"... as vezes isso fica bem nítido... outras não... então, não sei mais o que pensar das duas!
rs
Mas o fato é que, eles mostram esse amor de uma forma tão pura, tão bonita, tão fiel, tão humilde e singela, que você fica até besta depois de ver o anime.
Então... sei lá... não quero comentar mais sobre, se não vou ficar besta demais (mais do que já sou, rs).

Eu tô com fome... são 11:35am e só tomei um Toddy Ice. E como sou pobre, vou ter que pedir marmitex no boteco que tem aqui na frente de casa, por R$5,50 (aliás, os cinquentas centavos me mata no bolso para um almoço não tão gostoso assim).

Ah! Ontem fui experimentar o almoço da Galeria dos Pães... NOOOSSSSSAAAAAA!!!! É tão gostoso a comida!!! (na verdade não sei se é porque eu tava com muita fome, ou se a comida estava realmente gostosa).
Única raiva que me deu foi, quando eu tava saindo do mezzanino, eu vejo o carinha de lá colocando mousse de chocolate no buffet, ou seja, perdi a chance de comer o mousse... droga!
Mas o strogonoff de frango que eu comi... minha nossa senhora!!! Como tava gostoso!!! E tinha até que bastante salada (pra tentar regular um pouco o meu estômago cheio de besteiras).
Não que eu não goste... eu gosto MUITO, até demais! Como qualquer verdura/legume, e quando eu como fora, aproveito e me encho de salada, porque aqui em casa eu não cozinho... e quando cozinho, mal faço salada... aliás, salada aqui em casa é só alface, tomate, cebola e pepino ou cenoura... ou seja, coisa fácil de fazer, rs.

Vou parando por aqui porque vou tentar dá uma limpada bem chulé no banheiro, já que a faxineira não veio na terça-feira (que é o dia dela) e vai vir gente hoje a noite aqui em casa.
=/

*Ouvindo: Yuki Kajiura - Kopperia No Hitsugi

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Martilizando-se novamente

Uma mania muito estúpida da minha parte: ficar olhando perfis dos outros (fotos, vídeos, comunidades), e sempre penso em algo legal que a pessoa faz ou fazia... depois olho pro meu perfil, e não tem nada de legal, interessante ou de orgulho pra mostrar pros outros (nem pra mim mesma).
Tantas pessoas diferentes, excêntricas, esquisitas, únicas... e eu sou um ser qualquer, um ser comum.
Quero e não quero ser diferente... quero e não quero "me mostrar" pros outros... quero e não quero mostrar meus pontos/objetos de orgulho...

Pontos/objetos de orgulho:
- Promoter da festa de halloween do Colégio Santa Dorotéia para a turma do segundo ano B (ou era primeiro ano? esqueci!), e eu gastei essa joça com o meu PRÓPRIO dinheiro (contadinho, de cofrinho) e, claro, com ajuda (física e financeira) de outras pessoas.
- Eleita a melhor funcionária da miniempresa C.S.D. Notazon S.A./Estudantil, com provas oculares apenas do Walter.
- Conseguir montar (referindo-se a parte de edição) quase que sozinha o programa/documentário "O Mundo do Body Modification", apesar de não ter recebido cem por cento de aprovação da banca de avaliação dos professores.
- Humanista, no sentido de querer o mínimo possível provocar conflitos e sempre que possível e razoável, pensar no outro e compreender as atitudes e pensamentos de cada um, talvez, num sentido mais ético (não sei se seria essa a palavra certa).
- Solidária, quando eu posso e quando a preguiça não fala mais que a vontade, rs.
- Posso de tempos sumir e aparecer do nada, mas... com quem tenho consideração, serei fiel, amiga e prestativa até quebrar a cara ou algo assim acontecer.

Acho que é só isso... sendo que, os três últimos ítens, são orgulhos que só eu vejo (talvez os outros vejam, mas não é algo facilmente visível).
Na verdade, o que eu gostaria é de ter mais orgulhos materiais/visíveis. E também nem sei bem pra que, a não ser exibir pros outros (não imaginem no sentido pejorativo, pois não tenho a mínima vontade de chegar pra algum desconhecido e falar, por exemplo: sabia que eu fiz o programa Cocoricó???).
Sei lá... talvez esse desejo venha do desejo-maior de se sentir importante ou algo assim. Talvez eu queira ser idolatrada, sei lá! Um poço ainda a ser descoberto!
Acho que, no fundo, é só pra facilitar os meus contatos sociais... conhecer mais pessoas, sei lá! Talvez eu esteja delirando também... ter muitos contatos não quer dizer ter muitos amigos... muitas pessoas tendem a te dar mais problemas, mais trabalho...
Bem... acho que, no fundo... láááá no fundinho... estou procurando minha felicidade me atirando pra qualquer lugar, pra ver qual dará certo.
Enfim... sós!

Queria fazer parte de uma banda... queria produzir algo legal e que eu goste (conciliar "legal" e "gostar" é complicado)... queria ter um grupo de amigos que se conheçam entre si e que se ajudem no que for (inspiração do grupo de amigas do seriado The L Word)... queria ser "sabe-tudo" em alguma coisa... queria ser tanta coisa...

Ia comentar algo que foi discutido com a psicóloga na última sessão, mas esqueci...
E tenho que me lembrar de escrever um sonho meio esquisito (mas sem nojeiras) que tive com uma empregada que tivemos (eu e meus pais) , lá em Manaus. Dona Elza, a bruxa! (Sheyla que se lembre, rs)

*Ao som de: Irene Cara - What A Feeling (tô baixando um monte de música véia, do tempo da onça, rs)