sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Muitos sonhos!

Dos que eu lembro, são três... esses dias tô sonhando direto, mas tem alguns que não lembro (pra variar)....

DONA ELZA - A BRUXA DO 1601

Estávamos viajando não sei pra onde de carro, e o bendito veículo resolve esculhambar no meio da estrada de terra. Beleza... saímos do carro e ficamos no acostamento, esperando passar algum ônibus ou algo assim. De repente, começa a chover muito forte, e um ônibus que passou por nós, além de não ter parado quando demos sinal, tombou logo em frente. Aí, o povo que tava no busão, saíram desesperados, mas eu não entendi o porque do tanto desespero. Não que eu não tenha entendido que eles poderiam morrer dentro do busão, mas o desespero era tão grande e tão descontrolado que era medonho e terrível, tanto é que esse desespero me abalou e comecei a sair correndo junto com o povo pra, sei lá que sentido eles tavam indo, e a Dona Elza junto comigo. Aí, chegamos numa parte da estrada que era tipo uma serra: de um lado, o precipício; do outro, um paredão de mato e pedra. E a estrada era bem estreita. Aí, comecei a ficar desesperada porque a gente não conseguia sair daquela parte da estrada, e comecei a me meter no meio do mato, com um monte de árvores quebradas, com troncos e cipós soltos e tudo mais. Sei que, no sonho, eu meu caguei todinha, suando frio, e depois ainda tive que ajudar a Dona Elza atravessar o mato, com todo aquele peso em excesso que ela tinha e a dificuldade enorme de andar... foi foda puxar aquela mulher. E depois de ter quase caído junto com ela, o povo descobriu um cantinho lá que dava pra passar numa boa sem ter que se enfiar no mato. Me deu uma raiva isso... e depois acabou!


O DEDO INFECCIONADO

Eu e a Mariana, estávamos indo numa balada, que a festa ocorria no subsolo da casa, ou algo assim. A Mariana tava toda empolgada, porque estava esperando por essa balada há anos... tão empolgada que ela ficava me puxando pelo braço pra chegarmos logo na balada. Aí, quando estávamos bem na porta da casa, senti uma leve dorzinha no dedo do pé, mas até aí nem liguei, achei que fosse tensão muscular, ou algo assim. Só que, cada vez que eu andava, mais doía. Quando chegamos na escada pra descer pro subsolo, a Mariana derruba alguma coisa que tinha um formato de uma lâmina de barbear, mas sem o fio de corte, justamente do dedo que tava doendo. Aí, não aguentei... parei de andar e a Mariana foi descendo, nem me viu sentindo dor (acho que ela nem viu esse objeto cair). Quando tirei o sapato e fui ver o dedo... tinha um corte enorme, cheio de pús melequento... e o negócio tava tão feio que eu tinha certeza absoluta que ia perder aquele dedo.
FIM!


LUANA PORTUGUESA

Tava indo pra casa de carro... e pra cortar caminho, tive que passar numas ruas que fica perto de onde eu trabalhava da última vez. Aí, passando lá, vi a Luana (ela era uma das supervisoras de lá onde trabalhava), e ficou acenando pra eu parar o carro. Aí, dei meia-volta e parei bem na frente da casa onde ela estava (e a rua estava totalmente modificada do que ela realmente é). Aí, conversando um pouco com ela, descobri que ela tava morando lá, e que ela tinha viajado pra Europa, não sei pra quê, e ficava falando direto, quase sem parar, que ia se mudar pra Portugal, também não sei porquê. Depois que me toquei que ela tava falando um português de Portugal, e que, na realidade, ela era portuguesa, e não brasileira, como achava. Aí, perguntava pelo povo de lá, algumas pessoas que eu tinha amizade e tal, mas ela não respondia a minha pergunta, sempre falando do maldito Portugal, que ia se mudar e bla bla bla.
FIM!


Tô começando a anotar num papel coisas que gostaria de falar aqui mas, nunca lembro de anotar, e aí, já esqueci o que era, rs.
Só anotei uma vez uma teoria cretina exatamente assim:

" Olhar eclipse com negativo de foto = estragar meus olhos"

Na verdade, é fato: quando você olhar para um eclipse, não se pode usar de forma nenhuma aqueles filmes negativos de fotografia, que não protege porra nenhuma e estraga seus olhos. Você só pode olhar com óculos escuros MESMO (não aqueles comprados de camelô que não tem proteção nenhuma), e muito mal, porque não se pode ficar muito tempo olhando, no máximo, por alguns segundos. Porque os raios dessa luz são tão intensas que não existe proteção nenhuma que barre-os, além de serem nocivos aos olhos.
Agora, a teoria cretina: lembro-me que, um dia, teve aquele eclipse de escurecer tudo lá em Manaus, e eu fui ver com a porra do negativo, fora que fiquei muito tempo olhando. Antes disso, eu não usava óculos. Não sei se foi logo depois desse evento que eu comecei a enxergar mal e começar a usar óculos, mas o fato é que, depois disso, eu fiquei com miopia, ou seja, eu não devia ter visto aquela porra do eclipse!
Agora, sou quase uma cega pra andar na rua, porque minha vista é MUITO enbassada quando é pra ver coisas de longe... além de me irritar, me dá uma puta dor de cabeça. Não posso nem cogitar em sair de carro sem meus óculos (apesar de que, na minha carteira, não tem nada escrito que eu obrigatoriamente preciso andar com óculos, aliás, uma coisa muito estranha, e eu acho que o cara que fez o exame médico ou era doido, ou tava drogado no dia, rs).
Fora que, sou pobre, então não posso ter dois óculos (óculos são carérrimos, sabiam?)... e esse meu atual as vezes quebra alguma coisinha, ou dá algum problema, e no fim, nessas horas, sempre fico refém delas e tendo que me sujeitar a ir, no mínimo, pra faculdade sem elas, me dando mais irritação e dor de cabeça. Acho que já aconteceu isso umas duas ou três vezes, e nessas, minha aula foi totalmente improdutiva, porque não enxergava nada que estava na lousa e o professor.
Sim, eu ouço, mas parece que eu não consigo prestar muita atenção se eu não estiver olhando pro professor ou pra alguma coisa visivelmente limpa e clara (no sentido de não estar embassado).

Fiz inscrição pra estagiar na rede Globo e... são SETE fases!!!! A primeira eu já passei, a de análise curricular. A segunda é fazer uns testes online de conhecimentos gerais, inglês, português e alguma coisa de raciocínio lógico.
Caralho!!! Não sabia quase nada!!! Até português foi difícil pra mim (só pra vocês verem o meu nível de burrice). Inglês, foi chutão quase que total, porque sou péssima pra aplicar gramática, e sei muito mal e porcamente ler e interpretar. Português, teve um monte de regras que eu não lembrava mais. Conhecimentos gerais, tinha algumas coisas políticas e de pesquisas do tipo IBGE e gêneros que eu não sabia. Agora, esse raciocínio lógico foi o mais filho da puta...
Sabe aquelas questões pegadinhas do tipo: Fulano gosta de alguém, Ciclano gosta de alguém mas não gosta de Fulaninha, Fulaninha gosta de Jesus, que gosta de Ciclano e que não gosta de Fulano. Quem Fulano gosta? (a pergunta está muito mal formulada, é claro).
Mas, deu pra entender o esquema das perguntas, né???
Tanto é que, todos, tinham tempo pra responder de meia hora, exceto esse último que tinha tempo de UMA HORA E QUINZE MINUTOS!!!!
Ah meu! Eu respondi o que eu achava que era... fazer o quê?

Toddy Ice!!!! Que gostoso!!! Será que, se eu fazer Toddy (o de pó mesmo) e colocar uma bala de menta, fica igualmente gostoso como o Toddy Ice??? (rs)
A impressão que dá é que, o chocolate que você tá bebendo fica menos pesado e não fica travando tanto sua garganta, aliás, dá até aquele frescorzinho, rs.
Uma vez bebi tanto isso que me deu dor de barriga... acho que eu tinha tomado umas quatro caixinhas num intervalo de três ou quatro horas (óbvio que vai ter dar dor de barriga, rs).

A gasolina do carro tá acabando e não tô podendo gastar com combustível no momento... tenho que esperar virar o mês... e tô querendo sair nesse fim de semana... ooohhhh dúvida cruel!
rs

Por que não posso ter um amor tão bonito como da Yumi e Sachiko do "Maria-sama Ga Miteru"???? Se bem que, elas se gostam, mas não tão no sentido amoroso. Aliás, esse anime é tão ambigüo que as vezes irrita. Vou introduzir mais ou menos a história:

Uma escola só de meninas, onde existe um tipo de hierarquia a seguir, que são as "rosas". São sempre três rosas (chinesis, foetida e gigantea), que precisam ser alunas do terceiro ano do ensino médio (meio que equivalendo ao esquema brasileiro). Essas rosas precisam ter a "irmã mais nova", que são alunas do segundo ano e que são nomeadas como "rosa tal en bouton" (eu acho que é esse o nome, não tenho certeza). Assim como as 'irmãs mais novas" precisam das "irmãs mais novas-novas" que são do primeiro ano (sim, terminou por aqui! rs).
Essas rosas fazem parte de um tipo de Diretório Acadêmico da escola, ou algo assim e são bastante prestigiadas, tantos pelas alunas, como pela direção da escola.

Enfim, a principal dupla seria a Rosa Chinesis (Sachiko) e sua "Rosa Chinesis en bouton" (Yumi).
Antes da Yumi ser nomeada a "irmã mais nova" da Rosa Chinesis, ela sempre gostou da Sachiko (no anime, parece ser apenas de admiração). O nomeamento dela foi meio conturbada, mas meio sem querer, acabou realizando um dos maiores sonhos dela. No começo, Sachiko era meio resistente a "nova irmã", mas com o tempo foi gostando dela e assim foi.
Dizem que lá no Japão, eles acham super normal crianças, pré-adolescentes e adolescentes femininas (como preferirem) terem esse sentimento meio que lésbico, mas, com o passar dos anos e o amadurecimento da pessoa, isso vai se dissolvendo até acabar esse desejo. Então, a impressão que dá é de que a Yumi esteja nessa fase descrita acima pela Sachiko, porém, tem horas que você fica vendo o anime e se pergunta: como é possível isso ser apenas um desejo involuntário ou "de fases"???
Como??? Como???? Como????
Se formos ver no ponto de vista "a la brasileira" e na real... meu... é impossível dizer que as duas não se gostam amorosamente. Mas, as vezes, eles mostram um distanciamento entre esse "gostar amoroso" e "gostar de amizade"... as vezes isso fica bem nítido... outras não... então, não sei mais o que pensar das duas!
rs
Mas o fato é que, eles mostram esse amor de uma forma tão pura, tão bonita, tão fiel, tão humilde e singela, que você fica até besta depois de ver o anime.
Então... sei lá... não quero comentar mais sobre, se não vou ficar besta demais (mais do que já sou, rs).

Eu tô com fome... são 11:35am e só tomei um Toddy Ice. E como sou pobre, vou ter que pedir marmitex no boteco que tem aqui na frente de casa, por R$5,50 (aliás, os cinquentas centavos me mata no bolso para um almoço não tão gostoso assim).

Ah! Ontem fui experimentar o almoço da Galeria dos Pães... NOOOSSSSSAAAAAA!!!! É tão gostoso a comida!!! (na verdade não sei se é porque eu tava com muita fome, ou se a comida estava realmente gostosa).
Única raiva que me deu foi, quando eu tava saindo do mezzanino, eu vejo o carinha de lá colocando mousse de chocolate no buffet, ou seja, perdi a chance de comer o mousse... droga!
Mas o strogonoff de frango que eu comi... minha nossa senhora!!! Como tava gostoso!!! E tinha até que bastante salada (pra tentar regular um pouco o meu estômago cheio de besteiras).
Não que eu não goste... eu gosto MUITO, até demais! Como qualquer verdura/legume, e quando eu como fora, aproveito e me encho de salada, porque aqui em casa eu não cozinho... e quando cozinho, mal faço salada... aliás, salada aqui em casa é só alface, tomate, cebola e pepino ou cenoura... ou seja, coisa fácil de fazer, rs.

Vou parando por aqui porque vou tentar dá uma limpada bem chulé no banheiro, já que a faxineira não veio na terça-feira (que é o dia dela) e vai vir gente hoje a noite aqui em casa.
=/

*Ouvindo: Yuki Kajiura - Kopperia No Hitsugi

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Martilizando-se novamente

Uma mania muito estúpida da minha parte: ficar olhando perfis dos outros (fotos, vídeos, comunidades), e sempre penso em algo legal que a pessoa faz ou fazia... depois olho pro meu perfil, e não tem nada de legal, interessante ou de orgulho pra mostrar pros outros (nem pra mim mesma).
Tantas pessoas diferentes, excêntricas, esquisitas, únicas... e eu sou um ser qualquer, um ser comum.
Quero e não quero ser diferente... quero e não quero "me mostrar" pros outros... quero e não quero mostrar meus pontos/objetos de orgulho...

Pontos/objetos de orgulho:
- Promoter da festa de halloween do Colégio Santa Dorotéia para a turma do segundo ano B (ou era primeiro ano? esqueci!), e eu gastei essa joça com o meu PRÓPRIO dinheiro (contadinho, de cofrinho) e, claro, com ajuda (física e financeira) de outras pessoas.
- Eleita a melhor funcionária da miniempresa C.S.D. Notazon S.A./Estudantil, com provas oculares apenas do Walter.
- Conseguir montar (referindo-se a parte de edição) quase que sozinha o programa/documentário "O Mundo do Body Modification", apesar de não ter recebido cem por cento de aprovação da banca de avaliação dos professores.
- Humanista, no sentido de querer o mínimo possível provocar conflitos e sempre que possível e razoável, pensar no outro e compreender as atitudes e pensamentos de cada um, talvez, num sentido mais ético (não sei se seria essa a palavra certa).
- Solidária, quando eu posso e quando a preguiça não fala mais que a vontade, rs.
- Posso de tempos sumir e aparecer do nada, mas... com quem tenho consideração, serei fiel, amiga e prestativa até quebrar a cara ou algo assim acontecer.

Acho que é só isso... sendo que, os três últimos ítens, são orgulhos que só eu vejo (talvez os outros vejam, mas não é algo facilmente visível).
Na verdade, o que eu gostaria é de ter mais orgulhos materiais/visíveis. E também nem sei bem pra que, a não ser exibir pros outros (não imaginem no sentido pejorativo, pois não tenho a mínima vontade de chegar pra algum desconhecido e falar, por exemplo: sabia que eu fiz o programa Cocoricó???).
Sei lá... talvez esse desejo venha do desejo-maior de se sentir importante ou algo assim. Talvez eu queira ser idolatrada, sei lá! Um poço ainda a ser descoberto!
Acho que, no fundo, é só pra facilitar os meus contatos sociais... conhecer mais pessoas, sei lá! Talvez eu esteja delirando também... ter muitos contatos não quer dizer ter muitos amigos... muitas pessoas tendem a te dar mais problemas, mais trabalho...
Bem... acho que, no fundo... láááá no fundinho... estou procurando minha felicidade me atirando pra qualquer lugar, pra ver qual dará certo.
Enfim... sós!

Queria fazer parte de uma banda... queria produzir algo legal e que eu goste (conciliar "legal" e "gostar" é complicado)... queria ter um grupo de amigos que se conheçam entre si e que se ajudem no que for (inspiração do grupo de amigas do seriado The L Word)... queria ser "sabe-tudo" em alguma coisa... queria ser tanta coisa...

Ia comentar algo que foi discutido com a psicóloga na última sessão, mas esqueci...
E tenho que me lembrar de escrever um sonho meio esquisito (mas sem nojeiras) que tive com uma empregada que tivemos (eu e meus pais) , lá em Manaus. Dona Elza, a bruxa! (Sheyla que se lembre, rs)

*Ao som de: Irene Cara - What A Feeling (tô baixando um monte de música véia, do tempo da onça, rs)

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

A volta dos sonhos bizarros

Que coisa... queria ficar acordada até a noite pra dormir direitinho, mas, vou voltar ao meu ciclo vicioso de horários trocados depois de três dias seguidos dormindo direitinho.
Enfim... tive um sonho meio desagradável.

Estava numa balada que parecia ser na casa de alguma pessoa. Andando por lá, vi uma garota escorada na parede conversando com as suas amigas... beleza! Depois de alguns minutos, eu passo no local novamente e vejo a mesma menina, agora sentada no chão, como se estivesse trêbada, tossindo pra caramba e o pessoal ao redor fazendo cara de nojo ou algo assim pra ela, até aí nem liguei e continuei andando. Depois de mais alguns minutos, eu vejo a menina de novo, ainda no chão, tossindo mais ainda, só que, o povo que tava perto dela simplesmente se afastou, e ficou tipo um vazio em volta dela, e ainda fazendo caras e bocas por causa dela. Comecei a achar aquilo muito estranho e fui chegando mais perto dela...
Foi quando vi ela expelindo uns pedacinhos de alguma coisa com sangue, uma coisa nojenta! Tentando imaginar que ela estivesse tendo uma necrose dos orgãos internos e que, os pedacinhos desses orgãos estivessem sendo expelidos através da tosse constante. Muito nojento!!!
Aí, peguei o celular e, em vez de ligar para a ambulância (já que ninguém estava se lixando pra garota), eu liguei sem querer para a polícia, ou vigilância sanitária, alguma coisa que não tinha nada a ver, sabe? E... terminou assim!

Agora, me pergunto: o que será que isso significa?
Falaram por alto, mas nem tinha pensado nisso e seria uma linha de pensamento interessante... expelir todas as coisas ruins que te guarda por dentro (ou algo parecido com isso).
Mas... se fosse isso, não queria que fosse assim: tão desagradável, feia e nojenta (rs).

Ia contar algumas coisas engraçadas que aconteceram ontem, na balada... mas, tô com preguiça de escrever e, já perdeu a graça.
Também ia escrever algumas filosofagens, mas já nem sei mais o que falar... acho que porque estou comendo no momento (rs).

Será que existe alguém que, quando pega uma quantidade de comida, vai medindo pra que tudo que colocastes no prato acabe na sua boca por igual???
Por exemplo: eu coloco no meu prato arroz, atum ralado (aqueles de latinha mesmo), milho verde e brócolis. Aí, eu coloquei bastante arroz e brócolis, já o atum e milho verde só deu pra colocar um pouquinho só. O que eu faço??? Em cada colherada, vou colocando uma quantidade maior de arroz e brócolis (porque eles têm em maior quantidade no prato), e uma pequena quantidade de atum e milho pra, quando chegar na última colher, poder comer todos os ingredientes numa medida igual.

Agora me pergunto: será que isso é uma piração/mania minha???
Bem, cada um com as suas manias (rs).
Outra mania minha???
Deixe-me ver...
Hhhhmmmm.....
........................................................

1) Deixar os cds arrumadinhos, inclusive alinhar o cd na capinha, sem deixar as letras tortas ou ao contrário de acordo com a capinha (não sei se deu pra entender).
2) Deixar o dinheiro arrumadinho na carteira, sem deixar ele todo amassado (na pressa não dá, mas sempre dou uma parada depois pra arrumar).
3) Marcar pra sair tudo em cima da hora.
4) Tirar bife dos dedos dos pés e das mãos com a própria unha (normalmente quando não estou em casa, que não estou com alicate).
5) Não procurar saber o que as letras das músicas dizem (me preocupo mais com a melodia da música).
6) Não querer sujar o carro o máximo possível (sei lá se pode considerar uma mania, mas a minha ex as vezes reclamava que eu parecia gostar mais do carro do que dela).
7) Não querer sujar as mãos o máximo possível (principalmente na hora de comer).
8) Reaproveitar o papel o máximo possível (as vezes escrevia cartas em papel de rascunho, he-he-he-he).

Não lembro de mais algum no momento... mas, do pouco, já deu pra notar que sou muito CHATA! (rs)
Mas, não sou tão neurótica assim, rs.

Por enquanto é só!

*Ouvindo: M.I.A. - Hombre

domingo, 23 de setembro de 2007

Quase roubada!!!

Balada quase ia pro fiasco, mas... foi salva por uma gorda!!!!!
rs
Melhor pro Ronaldo (sem comentários)!

Bem... sabia que cairia num buraco sem fundo... uma balada que dizia que tocava techno, e no fim disso tudo, tocava "Cupim na Mesa"...
Meu... Vila Olímpia é um bairro medonho!!!!

1) Armazém da Vila: toca um leve techno e depois, pagodão do mal!!!
2) R$10,00 pra mulher??? Muito caro pra uma porcaria dessas!!!! Se fosse pra ouvir um pagodão do mal, é melhor ir num boteco lá perto da faculdade que você ouve de graça!
3) Quando dá 1:00am, eles fecham os portões, pra ninguém mais entrar... quem entrou, tá dentro... quem não entrou, se ferrou!!! Que negócio mais estranho!!!

A gente (eu e o Ronaldo, porque ele ficou me chamando pra ir fazer companhia) só foi lá porque era aniversário de uma amiga de uma amiga dele e, como ele já me acompanhou pra algumas coisas que ele não curtia muito, fui trocar as gentilezas...
No grupinho dele, tinha uma garota que, do nada, deu um puta chilique... mas, foi tão engraçado a cena... e no final, ela se emputeceu e deixou as amigas delas mais putas ainda, que resolveram sair fora do local e deixar a garota-chiliquenta sozinha lá....
(rindo até agora)
Depois, as meninas que saíram fora queriam ir embora pras casas delas... moram lá na casa do caralho (lá perto onde o Ronaldo mora, rs)... e tinham ido de carona com a garota-chiliquenta...
Tudo bem, eu não tinha nada a ver com essas meninas, mas fiquei com pena pelas pagarem uma nota preta com táxi e tal, e falei pro Ronaldo deixar as meninas nas casas delas, já que eu não estava com nenhuma presa.
Resultado: Ronaldo tirou as teias da boca! E eu, fiquei de vela por 30 segundos (menos mal).
Depois de nos perdemos um pouco na Vila Madalena, achamos o famoso Matrix... e é muito legal lá! Toca uns rockinhos alternativos (não é bem a minha praia, mas é agradável) e tem até sinuca pra jogar!
Jogamos, comemos, ouvimos e fomos embora em busca de alguma lan-house aberta (sem sucesso).
E cá estou aqui, na frente do pc, pra não perder o costume (rs).

A primeira balada foi horrível... espero nunca mais passar por lá... já a segunda, foi legal!
E... só tenho isso a dizer!
Porque estou com sono e não estou conseguindo pensar em mais nada...
Queria escrever mais coisas, mas tá impossível no momento.
Mais tarde, quem sabe, eu invente de escrever alguma filosofagem inútil aqui.

Bom dia a todos!!!!
(e boa noite pra mim)

*Trilha mental no momento: B-52's - Legal Tender

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Masoquismo mental

Não tem jeito... eu olho pro perfil, vejo os recados, e passo raiva...
Como uma pessoa pouco se importa por tudo que passou, por tudo que viveu ao lado de alguém? Simplesmente descarta como se fosse um simples e sujo papel rabiscado, e joga no lixo como se estivesse brincando de acertar na cesta.
Eu não queria pensar essas coisas... não queria desejar o mal pros outros... não!!! Tenho que tirar essas coisas da cabeça... se não, posso ficar pirada!
Eu tento evitar o máximo possível, mas é inevitável, ainda mais se pertence as comunidades que modero.
Saí, como uma pessoa qualquer... faz um monte de amizades "do meio"... se depender (e pelo que conheço), já deve ter catado, ficado com um bocado, já que, se tornou "livre"!!!
Por que ainda tenho que me sentir mal por isso??? Por que não consigo me livrar logo dessa maldição???
Talvez ela esteja feliz... por ver a minha desgraça... na verdade, tento não transmitir nem felicidade, nem tristeza...
Talvez esteja feliz... por estar "livre", por não ter mais a menina chata e carente, que sempre fazia as coisas pra ela, só pra agradá-la...
Por não ter mais a menina que só ficava "secando as outras"...
Por não ter mais a menina que "nunca" a protegia...
Por não ter mais a menina que só a fazia envergonhar...
POR NÃO TER MAIS A MENINA QUE MAIS AMOU-A NESSA VIDA E LEVOU TANTA PANCADA NA CABEÇA...
NÃO TEM A MALDITA COMPREENSÃO DE ENTENDER QUE, DEPOIS DE TANTA PORRADA NA CABEÇA, O AMOR DIMINUI...
QUE SÓ CONSEGUE VER O SEU PRÓPRIO NARIZ, E O NARIZ DO OUTRO QUE SE FERRE!!!!
PUTA QUE PARIU!!!!!!!

=..........(

Por que continuo sendo uma fudida, me martilizando pela felicidade alheia...
É nessas horas que me torno egocêntrica... ninguém pode estar feliz até EU estiver feliz...
Se o mundo dependesse da minha felicidade, todo mundo estaria fudido...
Como posso semear raiva por alguém que convivi intensamente durante dois anos?
Só não falo ódio porque isso é um sentimento muito forte e destrutivo, e não sei se eu cheguei a esse ponto... tenho minhas dúvidas... mas, que continuo tendo muito raiva, tenho!
Também não sei se essa raiva é legítima, se eu tenho o direito de ter essa raiva... enquanto paira essa dúvida, continuo achando que tenho direito, porém nem tanto assim...
Pior disso tudo é saber que a outra pessoa não está se lixando pra nada disso... talvez nem esteja sofrendo, ou se sentindo triste...
Aliás... no fundo... é verdade... e talvez pela minha incapacidade de mudar essa visão, nunca iria dar certo...
Depois de um tempo, fiquei com a imagem de que, o ser que amei tanto, era desprovida de sentimentos bons, somente sentimentos ruins... na verdade, eu sabia que me amava (agora eu diria, "eu acho"), mas... criticava, reclama por cada coisa besta as vezes, que acabava se tornando um dramalhão mexicano...
Depois fiquei pensando... será que, na real... eu que sou uma pessoa difícil de se conviver?? Porque sempre botei culpa nisso a ela... será que eu sou tão escrota assim, ao ponto de uma pessoa pirar e começar a ficar enchendo com qualquer besteira?
Poxa... sei lá...
Não fui infiel... nunca traí, nem pós-términos que já tivemos antes...
Sim, tenho dificuldades em demonstrar e expressar quaisquer sentimentos for... mas esforços não faltaram, e muito menos falta de tentativas de conversas...
Fiz basicamente quase tudo que ela queria, tudo que ela pedia, tudo que ela desejava... inútil!
Sim... já tive vontades de socar a cara dela e ver se ela se toca... mas, nunca fiz... no máximo, apertei seu braço pra puxá-la ou segurá-la...
Por mais que eu não queira... sempre me lembro do dia que ela ficou tão nervosa por eu ter dormido na casa de um colega meu, e pelo fato de ter dormido na mesma cama, sendo que não aconteceu nada, sendo que a pessoa não me desrespeitou... ficou gritando comigo, e de repente... ela colocou as mãos nos meus ombros, e foi me empurrando até a parede... e ficou gritando na minha cara, me prensando na parede...
Fiquei com tanto medo, e chorava tanto... na hora lembrei dos meus tempos de criança... quando meu pai era muito nervoso e qualquer coisa eu apanhava (sempre com motivo)... e ele também gritava (mas não na minha cara)... e mandava eu parar de chorar, se não apanhava mais ainda... agora, quem disse que eu conseguia segurar o choro? As vezes a minha mãe tinha que me pegar e me trancar com ela no quarto, pro meu pai não me bater mais.
E pensando no primeiro post que fiz... talvez acabei deixando as coisas ficarem desse jeito, permiti que ela fizesse isso comigo, justamente por já ter convivido com alguém um pouco agressivo, e receio de levar porrada, ou apanhar, o que for...
Na verdade, sou assim com qualquer pessoa... só basta alguém falar mais grosso comigo, que eu já me recuo (quando tem motivo, óbvio)... quando a pessoa é grossa comigo sem motivo, eu fico puta, né?
Preciso de alguém menos agressiva... que consiga pensar um pouco mais nos outros...
Humildade...
Humanidade...
Ela, é um fruto da sociedade atual e que se diz "moderna"...
No fundo, continua a mesma "grotescuidade" da idade média, só que, num modo mais refinado (se é que podemos dizer isso de refinado), discreto e muito mais intimista, no sentido de, meter medo psicologicamente e diretamente a pessoa, não necessitando expor ao público. Do tipo, só chegar na pessoa e dizer no pé do ouvido dela: "mortas não traem". Chega na esquina, leva uma bala na cabeça ou no peito. Pronto! Encerrado! O público presenciou a cena da pessoa caindo e somente depois ver-se que foi atingida por bala... agora, da onde saiu a bala, quem foi, ninguém sabe!
E relendo o parágrafo anterior, nem era isso que quis me referir a ela... a teoria é aceita e plausível, porém não corresponde a pessoa citada... o que eu queria realmente citar seria até o motivo que gera a teoria acima: o egocentrismo e auto-referência exacerbada.
Não digo que o egocentrismo e a auto-referência sejam "coisas do mal"... para determinadas situações, ele é muito útil até, pra manter nossa integridade... e isso, qualquer pessoa tem e qualquer pessoa usa... mas, ficar tomando todas as suas decisões e atitudes, tomando referência somente a sí mesmo, as vezes não dá certo, principalmente se a decisão/atitude interfere outras pessoas.
E no fim, a pessoa citada deveria estar feliz, por eu ter gastado um post falando somente dela... e reforçando a imagem de que ela ainda se faz presente no meu interior...
Que bosta hein!
As vezes fico pensando: por que ainda me irrito, me entristeço, me machuco pensando nela, sendo que o contrário não corresponde??? Ela nem deve lembrar mais de mim!!! E fico gastando minhas energias, tempo, etc, pensando nela???
Aliás... eu sou a versão genérica: Ê-Mula!!!
rs

E... no fim... quem se importa?
Alguém vai me xingar por causa da frase acima, mas... eu sei que tem gente que se importa e se preocupa comigo...
Não desmereço de forma alguma meus amigos... poucos, porém fiéis e companheiros...
Mas... por me conhecerem, sabem que, meu maior objetivo ainda é: procurar um amor pra minha vida, com todas as minhas forças!
E continuo me achando burra e inútil por querer algo que vou quebrar a cara de novo... porque, tenho certeza que não será na segunda que acharei o amor da minha vida... se não foi na primeira, muito menos será na segunda, rs.
E como continuo dizendo: MALDITA ESPERANÇA!!!!
Deveria existir uma "cirurgia sentimental"... onde você pode tirar os sentimentos que quiser... no meu caso, tiraria a MALDITA ESPERANÇA!!! (rs)
Não consegui nada na minha vida ainda...

- Solteira
- Desempregada

Amparada somente pelos meus pais e amigos...
Eu sei, não devia estar reclamando... tem tanta gente que sofre muito mais que eu, que passa por dificuldades mais alarmantes e graves que eu...
Mas, é essência do ser humano o ato de reclamar, mesmo que não tenha nada do que reclamar.
Aliás: "Senhor... Dai-me paciência... porque, se me deres força, eu quebro a cara de todo mundo!!!"

=P

Seria bom poder quebrar a cara de todos que você não vai com a cara...
Huahuahuahuhauhauahuahuahuah...

Ia escrever um pouco mais... porém, amigos são para qualquer momento: tristes ou alegres!
Vou levar uma amiga pro pronto socorro.

*Trilha rumo ao hospital: Witches - There Is She!

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Botão OFF!

Totalmente OFF hoje...
Queria ao menos ter ido a feira de manhã, já que ainda estava acordada desde o sábado, mas fiquei com preguiça (pra variar) e fui dormir pra tentar acordar um pouco mais cedo que de costume... e pra variar (de novo), não acordei mais cedo...

Quase deixei de ir no boteco Ouzar de novo, mas, dessa vez, tomei coragem e fui... sozinha!
Pra quem foi lá só pra comer, fiquei um bom tempo... uma hora e meia, por aí... gastei trinta paus só em besteiras (churrasquinhos, pão, batata, refrigerante, suco), mas... como eu nem gosto de comer (pra não falar ao contrário), se a comida é boa, eu vou mesmo! (rs)
Batata da Drica e o Pão da Drica, meu deuses!!! Como é gostoso!!! Só faltou alguém pra ir comigo e ficar mais animado a passagem por lá, rs.
E de quebra, dei uma passada no Madame Satã, só por passar mesmo, já que mulher é de graça em dia de domingo...
E eu podendo ter saído de graça... mas não, ainda tive a maldita compaixão e comprei, pelo menos, um copo de refrigerante... dois paus!!!! Se bem que, o copo não era tão pequeno assim... e só fiquei exatamente uma hora lá... porque não queria perder o começo do The L Word... e, como quase nada dar certo comigo, perdi justamente o começo que não tinha visto...
BAAAHHH!!!!!

Apesar disso... até que foi bom ter saído sozinha... tá certo que, num boteco só de meninas, e eu lá, sozinha, no balcão, e todas sentada nas mesas ou jogando sinuca, não é lá muito confortante, mas não me senti tão mal como imaginava. Acho que as besteiras que comi amenizou o meu estado de pavor, rs. E como comi, meu deuses! Acho que a dona deve ficar assustada quando vê a minha comanda.
o.O

Talvez alguém chegue e me pergunte: pq OFF?
Simples! Pra quem me conhece, quem um dia diria que eu sairia pra algum lugar sozinha, e muito menos em lugares só de meninas ou gls?
Acho que agora ficou explicado!

Mudando de assunto...
O Madame Satã sempre toca quase as mesmas músicas... aliás, o esquema de música é assim:

1) No começo, sempre toca as "músicas diferentes" do dia da semana
2) No meio, começa a colocar uns electro-gothic meio parecidos dentre os fins de semana (não sei quanto a quinta, mas os que cito seria a sexta, sábado e domingo)
3) No pré-final, toca aquelas famosonas tipo, The Smiths, Depeche Mode, The Cure, etc, variando pouquíssimas músicas (só pra não dizerem que é basicamente um playback num random)
4) E pra finalizar, músicas nacionais!

Daqui a pouco vou começar a enjoar das músicas tocadas lá... mas, enquanto isso não acontece, vou indo quando me der vontade!
=)

Tinha coisas meio filosóficas pra descrever aqui, mas esqueci (minha memória é PÉSSIMA). Acho que, devido ao estado OFF, tenha me desligado mesmo de coisas filosóficas, e me deixado levar mais pelas vontades momentâneas e espontâneas. As vezes isso faz bem (quando a consequência não seja gastar muito dinheiro, rs).

Então, encerro-me no momento.

*Pensando em: numa música que ouvi no Madame Satã, mas não sei quem canta... e não dá pra "tra-la-la-la" aqui, rs. Só lembro que o começo é muito bonito e até deprimente, mas no meio e refrão da música, soa mais batidas e coisas eletrônicas (não soube distinguir se era guitarra distorcida ou sintetizador, ou algo assim), aí essas partes a música perde a beleza melódica (ao meu gosto, óbvio).

domingo, 16 de setembro de 2007

Tristeza nos seus olhos...

Uma boa estréia tem que começar deprimente, certo???

*Ao som de Old Boy Soundtrack - The Last Waltz

Como descrito, já tive um blog, há MUITO tempo atrás... da qual abandonei e dei um fim nele! As vezes me arrependo de tê-lo excluído... poderia pelo menos, guardar algumas coisas que escrevi nelas... coisas que até agora não sei como cheguei a tal raciocínio ou teoria, o que for! Enfim, voltando ao exercício de pensar comigo mesma e quem sabe, botar em prática o que, desde o primeiro dia que faço terapia me falam: "uma coisa pra você pensar, refletir...".

E como descrito novamente, mais um "diário pessoal"... porém, acho que isso me ajudaria, por isso, a criação de "mais uma".

Escrita não é meu forte, portanto, não fiquem me corrigindo! Principalmente se for por erros de "esqueci-o-nome-nominal-e-verbal"
(são tantas regras gramaticais que terminam com nominal ou verbal)
*esqueçam!

O que me aflingiu hoje (e ainda me aflingi no momento):

1) Quando acharei a pessoa quem tanto procuro?
2) Por que quando você está na merda, todos parecem ser felizes, de bem com a vida, com seus namorados(as), ou empregado num lugar muito bom (seja o ambiente de trabalho ou financeiramente), ou curtindo com as suas "ficadas", ou nas suas "baladas", o que for???

Não posso falar muita coisa... ultimamente ando saindo de uma forma que não saía desde quando cheguei em SP ou quando estava ainda em Manaus. Não tenho do que reclamar... apenas gesticulando o que penso no momento... nesse exato momento, de desânimo e um pouco de tristeza sem motivo aparente (ou, ainda não descobri).

Uma coisa que me chocou no momento que ouvi e até agora fico pensando... pela descrição que eu e a minha mãe fizemos do meu pai, parece que ele tem um certo problema psiquiátrico. E mais, como minha mãe teve um pai também meio "doidinho", parece que ela não enxergou bem esse problema que meu pai tinha, justamente por já ter convivido por muito tempo com alguém que tinha quase o mesmo problema, e o mais surpreendente, isso também serve pra mim!
Nunca tinha pensado nisso... e acho que a minha psicóloga está certa. Talvez por isso eu não enxerguei muito bem como a minha ex era, pelo costume de conviver com o meu pai.
Tá certo que ela não era parecida ou igualzinha a ele, mas tem algumas atitudes que entre os dois se coincidem.
Pior que eu fiquei pensando: quer dizer que, desde que eu nasci eu convivi com uma pessoa que tem um certo distúrbio psiquiátrico... e... será por isso que sou assim??? Tão problemática emocionalmente???
Bem... não sei se, o meu caso seria um problema de fato... mas, que tem certas coisas das quais eu não sei me controlar bem e atrapalha, isso tenha certeza!
E o pior dos piores... ficava meio que culpando as atitudes da minha ex por ter uma família tão problemática, sendo que a minha, no final, também não escapa dessa descrição.
Me sinto mal por ter pensado dessa maneira... meio que me "vangloriando" por ter tido uma família "normal"... aliás, normal o caralho! Seria "mais razoável"...
Mas... por mais chocante e esquisito que essa descoberta me trouxe, nunca reclamei e nem será agora que reclamarei da educação que recebi deles... temos um jeito de funcionar muito estranho, eu reconheço, mas mesmo não demonstrando verbalmente e talvez fisicamente, gosto muito dos meus pais (mais a minha mãe).
E, pra variar... a gente só sente falta mesmo quando não está mais conosco... o que exatamente aconteceu comigo com relação a eles...
Meu pai, as vezes, ainda faz umas coisas que me deixam com raiva e me dá mais pena ainda da minha mãe, mas... fazer o quê??? Já tá velho... não vai ser agora que ele vai mudar.
Antes que pensem merda... nada de espancamento, abuso de que tipo for, traição e etc.

Mudando de assunto...
Fazia muito tempo que não ouvia The Fugees - Killing Me Softly... nem lembrava que tinha até deletado do meu pc... ouvi num filme que fiquei vendo um pedacinho e, voltei a sentir tristeza nessa música...
Na verdade, nem sei o que a letra diz (um problema meu: não costumo saber o que diz as letras das músicas que ouço)... só me lembro de que, talvez de tanto ouvir, já não fazia o efeito "depressão" que algumas músicas te oferecem... e acho que por isso, joguei fora... mas, como voltou essa "nostalgia", catei na net de novo, rs.

Uma ressalva: Eu não preciso de I-Doser pra ficar alegre, triste, deprimida, etc... você não conseguirá me enfeitiçar pra essa "coisa" esquisita! (rs)
Assim como continuo careta, e bato o pé com o lema "não preciso beber álcool pra me divertir!".

Lemas que eu sigo??? Deixe-me ver...
Fora o que eu já escrevi acima...
hum....

1) "NO putaria, YES namoro!"
2) "NO cigarro, drugs e gêneros!"

Não consigo me lembrar de mais nada no momento...
E como mais nada me vem a cabeça... vou encerrando essa estréia chata!

*Ouvindo: Old Boy Soundtrack - The Last Waltz (ainda)