quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Sonho de semanas atrás!!!!!

Fiquei de postar sobre o sonho, mas simplesmente esqueci de fazer isso (e muita preguiça no meio também, rs).

Bem...
Foi um dos inúmeros sonhos mais realistas que já tive (na verdade foi um pesadelo "sereno").
Sonhei que estava andando em uma rua qualquer e entrei em numa que aparentemente parecia sem saída, mas quando fui até o final da rua, descobri uma pequena vila e láááááááá pra dentro, um clube mor escondido, mas era um clube bem grande, com tobogã, quadras de esportes, etc.
Daí, não sei que raios uma bola de volei estava fazendo debaixo do meu braço, e logo ao lado do clube tinha um terreno rebaixado, como se estivessem fazendo um campo de futebol abaixo no nível da terra ou uma mega piscina.
De repente, por um pequeno surto de bobeira física, deixei escapar a bola do meu braço, e foi parar no terreno rebaixado. Lembro-me perfeitamente que, no momento que vi o clube, descobri (no sonho) que eu estava procurando um jeito de cortar um caminho pra ir não sei aonde, e que lá no horizonte dava pra ver uma estrada ou avenida. E o local era bem arborizado, parecia até que estávamos no meio do mato.
Enquanto gente entrava e saia do clube, eu fui descer pra pegar a bola, e logo no instante que boto os pés no terreno (aparetemente era só terra prensada e meio molhada com uns capins básicos), alguém que estava lá na frente do clube grita:

- Não pisa nessa terra que é movediça!!!!!!!!!!!!

A parte da frase "que é movediça" eu já ouvi estando dentro da terra...
Foi uma coisa tão rápida, e tão repentina... que não tive tempo de reagir e nada... mal encostei na terra, e já afundei de vez, com tudo... debaixo da terra-lama-movediça-seja-lá-o-que-for.
E afundei tão rápido que, estando inteiramente dentro da terra, ainda estava um buraco acima de mim, de onde eu fui engolida, sendo fechada pela lama aos poucos.
E a minha reação foi a mais estranha e horrível que tive e senti!
Como eu já fui engolida inteiramente pela terra... eu nem fiquei me debatendo, mexendo, nada... porque já sabia que, quanto mais me mexesse, mais rápido iria pro fundo (mais do que já estava)... e como já sabia que, na altura do campeonato e na profundidade que me encontrava, não teriam como me salvar de forma alguma... então, fiquei deslumbrando o pedaço do céu que veria pela última vez, com um pesar no coração enorme de ter que morrer daquela forma.
E aos poucos fui sentindo a terra me encobrindo totalmente... minhas pernas, meu tronco, meus braços, meu rosto, até a hora que me encobriu por inteira e senti falta de ar, já que a lama entrou nas minhas vias aéreas.
E terminou assim.
Foi um dos sonhos mais esquisitos e horríveis que tive... foi uma sensação MUITO RUIM!
*imagino que alguém ficará muito feliz em saber disso

Mudando totalmente de assunto...
Hoje (terça-feira, dia 16 de dezembro de 2008) (hoje porque como eu não dormi ainda, continua sendo o mesmo dia ainda, rs) fui para uma festa de confratenização dos funcionários da faculdade onde eu estudo.
Na verdade eu não era bem funcionária... eu era estagiária... mas como estágio é um emprego (de uma certa forma), então eu estava na lista! (he-he-he)
Daí fui eu e mais alguns meninos do meu grupo que também estavam estagiando pra TV Anhembi.
Primeiro de tudo: no primeiro instante, é muito esquisito você estar numa festa que mais parecia balada, junto com os professores e coordenadores.
Masssss... depois de um tempo e de muitaaaaa cerveja e coisas alcóolicas, fica muito engraçado ver o povo todo bêbado, andando torto, falando um monte de merda, principalmente os professores (hauhauhauhauhauahuahuahauhauhauh).
Nossa! Nunca ia imaginar que iria presenciar algum professor que já tive aula simplesmente tropeçando em nada de tanto que bebeu... e outro saindo na rua zoando tudo e todos... e outro filosofando quem é viado ou não... e o outro contanto todos os "babados proibidos por trás dos bastidores dos professores"... e outras coisinhas a mais.
E foi nessa festa que eu descobri que, na boca de todos os professores, eu tinha um apelido específico: PUCCA!
Por quê?
A explicação que me deram:
Sim... meu nome é Tatiana Yuri...
E para a minha infelicidade, no mesmo curso que faço, tem uma outra menina com o mesmo nome que o meu! (Tatiana e Yuri, só não sei qual é o sobrenome dela, e nem quero saber)
Nas aulas, o pessoal via que eu era muito séria, as vezes parecia até antipática ou brava...e que eu era baixinha também... e me associaram com a Pucca.
Fim!
Puta merda...
Daí fiquei pensando com as minhas feridas...
Eu sou muito tapada mesmo...
NUNCA que eu ia saber desse meu apelido interno entre eles... só soube porque fui na festa... se eu não tivesse ido, nunca ia saber disso eternamente.
Portanto...
Foi bom eu ter ido!
hehehehehehheheehehhehehehehehehhehehe
Logo porque, estava cogitando mesmo de não ir... por preguiça e porque chuva é uma coisa que desestimula totalmente a você sair pra qualquer lugar, rs.
Ah!
Ganhamos chileninho de borracha (que não tinha pro meus pés, pra variar), e chapéu de cowboy (porque a balada era no Villa Country, uma balada meio tematizada em coisas country e tal).
E o local era grande hein! Grande até demais!
Tinha até touro mecânico pra você brincar!
E também tinha comes e bebes a vontade, na faixa!
E o comes não era qualquer porcaria não... era jantar mesmo... tinha entrada com salgadinho e salada, depois comida mesmo, e sobremesa pra finalizar.
Foi legal vai...
rs

Fora isso... mais nada de interessante a não ser que preciso ainda comprar umas coisas que a minha mãe pediu, ver umas coisas de conta, deixar meu carro na mão de quem, e arrumar minhas malas...
= /

E descobri que estou meio nervosa de passar duas semanas em Recife. Só não me perguntem o porquê que eu não saberei responder.
E que já estou de saco cheio antecipado de ter que passar literalmente a manhã toda viajando... ppppppffffffffff!

Enfim....
A produção agora está de férias indeterminadamente!
rs

Ouvindo: barulho da chuva (pra me concentrar no que ia escrever aqui)

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Sentimento estúpido!

Por que as vezes caem lágrimas nos momentos que você menos quer?
Por que as pessoas se sentem os donos do mundo, incluindo donos de outros seres que nos rodeam?
Por que a insegurança nos rodeia de uma forma fulminante, ao ponto de ficarmos alterados psicologicamente?
E por que raios você chora quando não lhe vem nenhum sentimento a cabeça e muito menos no coração?
Não é raiva, nem tristeza... decepção, espanto, medo, ódio, felicidade, susto, irritação... porra nenhuma!
Por que a merda desse dia está tão quente? Tanto calor... bafo... quentura... tudo!
Por que essa mania estúpida de nunca se sentir completo?
E mais estúpido ainda é querer que os outros estejam dispostos a você vinte e quatro horas por dia, sob todas as condições, das mais absurdas possíveis, para o que você quiser, e para atender somente a maldita necessidade que você tenha, sejam elas o que for!
E é por isso que odeio esses tipos de pessoas!!!!!!!
Agora... a charada do dia:
Por que eu existo?

Ouvindo: algo de Sailor Moon (como se eu estivesse prestando atenção no que está tocando)

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Onde está você agora... com a vozinha irritante de Caetano Veloso!

Bem...
São duas músicas que estão na minha cabeçca no momento:

1) Caetano Veloso - Sozinho
Imaginando a voz deste infeliz (porque eu não gosto dele)... a bendita frase "onde está você agora"... parece que a pessoa está simplesmente viajando na sua própria maionese... se vc analisar apenas essa frase, com o tom de voz que ele canta, sem levar em consideração o resto da letra... e é assim que estou... pairando por aí, sem saber onde estou realmente...
Tô bem retardada... bem abobalhada... bem idiota!
Devido a dois fatores: pequeno desentimento com relação a não mandar notícias + sonho infeliz que tive hoje (depois explicarei mais abaixo).

2) Uma musiquinha religiosa
Na verdade, não é bem uma música, mas sim uma citação de uma parte da bíblia versão cantada, porque todos os padres do mundo podem fazer a sua versão cantada desse trecho, mas, é óbvio que, o que ficou na minha cabeça foi o que me ensinaram na escola, lá em Manaus.

"O Senhor é meu pastor
Nada me faltará
Ainda que eu ande
Pelo vale da sombra da morte
Não temei
Não temei..."

Música chulé... maldita... mas sempre lembro dele porque, é fato, fez parte da minha infância... só que, não sei porque me lembrei dele... talvez porque não esteja bem mentalmente e estou com uma mentalidade muito infantil hoje...

O sonho escroto que eu tive é mais uma daquelas que já sonhei algumas vezes e é sempre a mesma coisa... quer dizer... dessa vez, acho que foi quase a mesma coisa.
Sonhei que tava na rua, num tipo de 25 de março, só que mais festivo e muito menos muvuca... tava de minisaia (não sei porquê) e tava andando sozinha.
Lembro-me que alguém esbarrou em mim e derrubou na minha roupa chocolate quente, café, ou algo assim... e eu xinguei muito a mulher que tinha derrubado a bebida, ao ponto de querer bater... e do nada, a gente se entende e começamos a andar juntas no lugar.
Chegamos numa partezinha que era meio subsolo, mas não era escada, era rampa mesmo e tinha dois ou três restaurantes lá dentro... meio que uma rampa de acesso bem larga a esses restaurantes sem saída.
Em um dos restaurantes, tinha como uma recepção "calorosa" duas panteras negras domesticadas e muito lindas, super bem tratadas, pêlos brilhantes e bonitos! Fiquei super curiosa e fui fazer carinho neles... super bonitinhos... ficavam até brincando comigo... até que começa a aparecer um monte de gatos malhados e pretos... e eu sabia que os gatos eram "malíguinos" e comecei a sair correndo pra fora desse suposto beco, puxando as panteras junto comigo porque não queria que eles morressem.
Na boca desse beco, tinha um portão de ferro para que ninguém roubasse os restaurantes e tal... daí, comecei a fechar esse portão... mas a mulher que tava andando comigo depois de brigarmos resolveu entrar lá dizendo que tinha um filhote de pantera ainda lá dentro... e realmente tinha, só não sei como eu conseguia distinguir entre os gatos, mas sabia quem era.
Ela saiu correndo, pegou o filhote e simplesmente jogou o bichinho pra minha direção... consegui pegar ele, mas a mulher já não tava mais conseguindo voltar pra fora porque os gatos "malíguinos" pegaram no pé dela e não conseguia andar mais.
Fiquei gritando inutilmente pra ela voltar logo, até que uma das panteras, aguçada com o seu instinto de caça, conseguiu sair da pequena fresta que eu deixava ainda do portão e ficou se jogando entre os gatos pra tentar matá-los... mas de nada adiantou... os gatos foram arrastando a mulher e a pantera para um cantinho que não dava pra ver direito e depois, tudo se silenciou com um mega rastro de sangue escorrendo pelo chão.
Depois daquilo... lembro que prendi os gatos que estavam lá e saí correndo... e do nada, a Gabriela (uma ex virtual minha) estava ao meu lado acompanhando toda essa tragédia... paramos numa casa ou apartamento, onde tinha um casal de idosos, também cientes dos gatos do mal e tentando se esconder deles.
O casal resolveu se trancar no quarto deles mesmo... enquanto nós duas ficamos na sala, tentando dormir nos colchões, que estavam bem no meio da sala, no chão mesmo. E a gente só estava mesmo juntas por causa dessa estória dos gatos, não porque estávamos ficando ou algo assim... e eu não sei como ela surgiu no sonho.
Quando foi o dia seguinte, parecia que tudo estava bem... a gente não chegou a ir pra fora, mas o clima ambiental proporcionava que o terror dos gatos já tinha acabado e que tudo estava na sua santa paz. E terminou assim essa porcaria!

Na verdade... acho que acontecia mais algo quando virava o dia, mas eu não me recordo mais... e nem gostaria mais de recordar... porque esse sonho me deixou MUITO MAL o dia todo... o sentimento de angústia e tristeza que passei no sonho ficou comigo durante o dia todo... ou seja, meu dia simplesmente não prestou desde a hora que acordei...
E se agravou um pouco porque eu chateei a Tati com as minhas famosas não respostas de mensagens e os caralhos a quatro... o que me deixou meio instrospectiva e mal comigo mesma...
Porque isso é uma das inúmeras reclamações que ex minhas já fizeram... ou seja, não é de agora. Sempre falo que vou melhorar, melhorar... e até agora, nada! Eu sei que, se você não responde as mensagens de alguém que pergunta como você está e essas coisas, acaba deixando a pessoa preocupada pensando que aconteceu algo... mas é um mal costume meu não responder na hora essas coisas... ou nem responder.
Enfim... não sei o que fazer com relação a isso...
= /
E vou terminando por aqui porque já não tenho nada mais na minha cabeça...

Ouvindo: Movimento da avenida...

sábado, 22 de novembro de 2008

A história terminada!

Continuando com a história do post anterior com uma trilha sonora muito adequada (pra não falar ao contrário)...
Enfim...

Pegamos táxi pra irmos até o motel... fora o chá de cadeira que nos fizeram pegar arrumando o quarto... deve ter demorado quase vinte minutos (ou seja, o último casal que esteve lá fez um estrago do caralho, rs).
Daí, entramos e ficamos olhando o quarto e as coisinhas que tinha por lá... nos deitamos, cada uma do seu jeito e ligamos a TV pra descontrair um pouco o clima "timidez total".
Enquanto estava deitada, fingindo olhar pra TV, tentava planejar em como chegar nela da melhor forma possível, sem que ela me rejeite... apesar de já saber e já estar escrito na testa dela que ela me queria de qualquer jeito...
=P
Daí ela me pergunta: vamos ficar vendo o jô a noite toda?
Ahhh... não teve jeito... já reclamou que estávamos fazendo nada... rs
Tentei ir mais devagar... chegando mais perto dela... me encostar um pouco mais (pois estávamos um pouquinho distante uma da outra)... e quando cheguei perto o suficiente, fui com tudo beijá-la (eu e minha mania de beijar de sopetão).
E o resto... foi a mil e uma maravilhas!
rs
Na verdade... eu não estava tão empolgada no começo, mas as coisas rolaram tão rápido e tão de repente, e durante, fui me embalando no clima e o resto já se imagina o que aconteceu, rs.
Me surpreendi com duas coisas nela:
1) Como ela tem as manhas de tirar as coisas num piscar de olhos!
2) Eu sabia que ela era meio cheinha... mas eu não conseguia abraçá-la por completo... porque meus braços são curtos demais!!!!
Extra) Mamma mias!!!!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Agora a revelação número um das coisas citadas no post bem atrás...
Estávamos nós arrumando-se para sair de lá... quando vou ao banheiro e vejo minha calcinha toda manchada... fiquei pensando: Mas que porra! Fiquei menstruada de novo????
Daí vi que o sangue tava meio esquisito... não era um sangue costumeiro de uma menstruação, parecia um sangue mais ralo, sei lá...
Daí, associei toda a minha histórica de relações pessoais e conclui: eu era virgem????????
Hauhauhauhauhauahahuahauhauhauhauha
Foi tão engraçado (principalmente pra mim)... porque nem eu sabia que eu já tinha perdido ou não a virgindade... já tive relações com outras garotas e nada apareceu ou surgiu... foi MUITO ENGRAÇADO!
E o mais engraçado ainda foi contar pra ela:
- Tati.... seja feliz... você tirou a minha virgindade!!!! Sem querer, cumpri com uma das minhas inúmeras "promessas" do passado!
hauahuhauahuahauhauahuahuahuahuahauhuaha
*pra não dizer tosco demais
Perdi a virgindade aos vinte e dois anos!!!!!!!!!!!!
ahuahuahauhauhauhauhauhauahuahauhauha
*por que estou me exaltando tanto com uma idiotice dessas?

Enfim....
Depois que a gente saiu, fomos pra casa dela...
Owww casinha mor escondida!
rs
Lembro-me que ela falava que morava numa favela e tal... e fiquei pensando comigo mesma: nossa... olha onde vou me enfiar... andar no barro, cheio de esgoto e tal, as casinhas de madeira ou nem isso... nem vai ter lugar direito pra eu dormir...
Fiquei imaginando altas babaquices...
Dai, quando chego lá... uma casa normal... só é bem pequenininha, mas de resto, nada demais!
Owww favela que ela mora... pppppppffffffffffff!!!!
Cada besteira que o povo fala as vezes... rs.
Logo que entrei na casa, já fui recepcionada pela mãe dela... mor simpática e engraçada (rs)... falando pra eu ficar a vontade na casa e tal... agradeci ela e sentei-me na cama da Tati, olhando o movimento, a casa... daí vejo a mãe dela tirando toalha, lençol... e fiquei pensando: será que ela pensa que eu vou ficar aqui????
Depois da mãe dela ter arrumado tudo, chama a gente pra tomar café... fui, óbvio, apesar de que não estava com muita fome, mas pra não ser mal-educada... só achei estranho ter munguzá no café da manhã, e com um milho diferente do que eu costumo comer... mas tava bom!
Comemos e depois fui tomar banho...
AAAAAAAAHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!
Esqueci de falar que antes da mãe, conheci o cachorrinho delas, o Cliffy... tudo bem que é uma porra de um poodle (alguém vai querer me bater, hauhauahuhauahuahuahuha), mas ele era BUNITINHOOOOOO!!!!! rs
Todo meiguinho e mimadinho... lembra um pouco a Jully (da minha ex vizinha lá de Manaus), só que a Jully é bem mais mimadinha e chata pra caralho... ao contrário de Cliffy... e o filho da puta já ficou empolgado quando fiz carinho dele... cachorro tarado!
Voltando ao assunto... depois do banho, cheguei na Tati e perguntei se a gente ia pro hotel depois ou não, porque tinha visto a mãe dela tirando toalha pra mim, e essas coisas... daí ela fala que eu vou ficar na casa dela...
Como assim????? Nem eu sabia!!!
hauhauhauhauahauhauahuahauhauhauahuahhauh
E no fim... acabei ficando...
Esperamos a mãe dela sair de casa pra ir trabalhar... ficamos enrolando um pouquinho mais (batizar a cama dela né? hauhauhauahuhuahuhuahauha, que tosco!), e depois fomos dormir... e a noite fomos dar uma volta numa parte do centro da cidade... conheci um dos pontos onde deveria ter o povo LGBT (porque agora mudou a sigla DE NOVO) e outras esquisitises, só que no dia, eles deram no pé e não tinha quase nenhum movimento não sei por quê.
No domingo, no final de tarde, ela me levou pra Olinda... e segunda fiquei direto na casa dela, só saindo mesmo a noite pra ir comer fora e ir pro aeroporto pra voltar pra casa.
E... foi isso!
Minha mãe ficou me ligando desesperadamente durante esse fim de semana que fiquei fora, e inventei uma desculpa esfarrapada dos infernos... porque se ela soubesse que estive em Recife, ela não ia gostar nem um pouquinho, primeiro por ter gastado grana pra passagem, segundo por estar indo atrás de "mulher" (como ela já me falou isso uma vez indiretamente), e terceiro porque nem passei lá pra vê-la.

E agora já estou com outra viagem marcada: dia vinte de dezembro vou pra João Pessoa, no dia vinte e quatro vou pra Recife, volto pra João Pessoa por volta do dia cinco ou seis de janeiro (vou decidir isso na hora) e volto pra São Paulo no dia vinte de janeiro do ano que vem.
Vou passar Natal e Ano Novo na casa da Tati. Espero que seja bom como foi nos três dias que fiquei lá.

E... já fiquei de saco cheio de escrever...
Ppppppppppfffffffffffff!!!!

Ouvindo: Musiquinha de abertura do Jiraya (e essa foi toda a trilha sonora nesse post, muito adequada, rs)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Furacão!

No momento, meu interior está simplesmente como um furação... muitas coisas a pensar, a fazer... tudo se misturando e me deixando muito angustiada e estressada.

Na verdade, o que está realmente me deixando estressada é a porra do TCC... faltando exatamente três dias para entregar o trabalho todo (escrito e o curta metragem) para os professores... ainda faltando coisas para fazer... e ainda ter que se preocupar com a festa-churrasco que o grupo quer fazer convidando os atores e colaboradores para ver o filme e curti a festa (óbvio).
Sem se esquecer ainda do meu estágio (owww maldito estágio) na TV Anhembi! Só de pensar que ainda tenho que fazer o meu relatório e nem sei por onde começar... tô fudida! E se eu não entrego, fico de DP em estágio... como pode!
*fazendo cara de cú

Fora essa parte faculdade-semi-profissional, o resto está nos seus conformes. Meu coraçãozinho tranqüilo e a maior revelação de todos os tempos...
Estou "quase" comprometida?
Huahuahauhauhauahuahauhauhauhauhauahuahuah...
Enfim... esclarecimentos sobre o post anterior e abrindo logo todo o jogo...
Vou retornar a determinados eventos que já postei anteriormente para melhor entendimento da situação...

Em um belo dia, na minha bela casinha, estou eu acessando os e-mails, vendo se alguém me mandou alguma reclamação de alguma coisa do TCC e spams corriqueiros.... quando vejo um e-mail surpreendente: uma ex virtual dos tempos da "brilhantina" me... procura??????
Sim... Tatiane... eis o nome dela!
Já quase apagada da minha memória pois da última vez que mantemos contato, ela não quis mais falar comigo devido aos meus vais-e-vens de sumiços e etc. E lembro-me do quanto fiquei mal, achando que nunca mais manteria contato com ela, pois tinha uma enorme consideração por ela.
Enfim...
Voltamos a nos falar... ela me explicou os motivos de ter dito tal coisa e porque apareceu de repente. E ambas, descompromisadas e com medo de que tudo volte a estaca zero, resolvemos planejar de nos vermos pessoalmente (conhecer, pra ser mais fatídico), e resolvi fazer os meus "esquemas" de comprar passagens e fui pra Recife.
Chegando lá... que lindinha!!!! Toda tímida, do jeitinho que gosto!!! (que muitas vezes foram os piores motivos pra eu ter me apaixonado por outras pessoas)
E o comecinho foi meio estrainho, logo porque a gente se conheceu lá, no aeroporto... ela... tímida... e eu... mais ainda! (rs)
Já tínhamos combinado de ficarmos num pernoite de motel e depois ela me levaria para um hotel no centro que ela conhecia e que eu ficaria nos três dias, mas as coisas não saíram do jeito que imaginávamos... porque quando entramos no quarto, descobrimos que naquele maldito dia o pernoite não existia, então ficamos lá nas quatro horas permitidas e depois tivemos que ir pra casa dela, e no fim, por insistência da própria e da mãe dela (que na verdade, não ouvi da parte da mãe), acabei foi ficando os três dias lá mesmo.
E....
THE END!
(rs)

Eu tenho que sair agora pra pegar uma amiga minha no aeroporto... mas no post seguinte continuo a saga dessa infeliz (ou finalmente feliz?) que vos fala.

Ouvindo: Agent Orange - Bloodstains (Darkness Version)

sábado, 1 de novembro de 2008

Será???

Na verdade... eu não tenho quase nada a falar... logo porque estou muito sem cabeça pra pensar qualquer coisa, fora as coisas da faculdade...
Mas... enfim...
Só pra deixar como registro porque vou perder a etiqueta das passagens pra justificar a falta na eleição...
Viajei pra Recife na sexta a noite (24/10/2008) e voltei na manhã de terça (28/10/2008).
Enfim...
Foi quase tudo surpreendente... porque gastei bem menos que achei que gastaria... não esperava que seria assim... coisas diferentes senti enquanto estive lá... descobri coisas que nem eu mesma sabia...
Só não conto agora porque, além de não estar inspirada pra escrever, minha perna tá enchendo o saco de dor... vou tentar dormir mesmo sem ter nenhum sono...
Só uma explicação bem superficial do título... leia acima a descrição do blog... tem um pouco a ver...
Quem me acompanha desde o outro blog ou de outras coisas passadas beeemmm antigas mesmo, talvez até chute o que seria... para os mais novo, será um pouco mais difícil...
Próximo post darei as devidas explicações...
Torçam pra que essa porcaria da minha perna melhore logo!!!!!!
Eu não aguento mais sentir aquela dor suportável, mas incômoda e não poder andar direito!!!!!

Ouvindo: Vive la Fête - Jaloux

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Viva a Festa!!!!!!!!!!!

E.... Viva a Festa!!!!!!!

\o/

Um dos melhores shows que fui na minha vida (por enquanto)!!!!!!!
Mas... como eu costumo "muito" ir em shows (pra não falar ao contrário)... em shows de banda de fora, só fui no do Cradle Of Filth (2004) e Tristania (2005).

AAAHHH!!!

Acabei de lembrar que vi mais uma banda de fora, só que esse foi totalmente sem querer e sem conhecer nada da banda (Cassandra Complex) e no fim não gostei das músicas, só achei engraçado a "dança do ventre" do vocalista. Aliás, quem quiser o autógrafo que peguei dele, é só dar seu lance! (rs)
O ingresso foi BEM salgado, mas tirei várias vantagens nessa grana toda (ainda bem):

- Local diferente da costumeira "fase antiga" em que eu curtia loucamente metal: The Week, uma balada com um espaço MUITO grande!
- Povo educado (ou tentavam se passar por seres cultos e educados)... nada de cavalos empurrando as "gentálias" e esmagando a gente.
- Ficamos literalmente coladas no palco!
- Não tinha um puta espaço entre eu e as outras pessoas que estavam ao meu redor, mas tinha um espaço razoável para você pular e se mexer um pouco, o que já é um grande passo!
- Do jeito que eu gosto... nada de mudar muito a música, ou fazer remixações e essas palhaçadas toda... do jeito que está gravado no cd, foi tocado!
- Setlist bem feito... nada de músicas paradas demais... só agito! Incluindo a vocalista, louquíssima, por sinal. (rs)
- Quase DUAS HORAS de show!!!!!
- Sei lá quantas músicas foram tocadas, mas dentre elas, eu conhecia CINCO!!!!!!!!! (incluindo os três mais foda [na ordem crescente dos preferidos]: Noir Désir, Touche Pas e MAQUILLAGE)
- Além de termos ficado coladas no palco, também ficamos do lado de uma puta caixa de som... que não sei se é bem uma caixa de som ou um amplificador próprio pro subwoofer, ou qualquer coisa referente a freqüências graves... porque o som estava super alto, mas (pelo menos eu) não saí com os ouvidos zuados (o que seria meramente impossível pra quem fica ao lado da caixa de som)...

Estou deslumbrada até agora (após dois dias do show)!!!!!!!
*coisa de retardada que nunca curtiu tanto um show

Talvez eu tenha gostado muito por não ter me sentido tão "por fora" da banda... de terem tocado bastante músicas que eu conhecia, e essas coisas... até as outras músicas que eu não conhecia eu fiquei agitando... um cover do Iggy Pop (Candy) e uma música instrumental que o riffzinho base me lembrou totalmente de uma outra música que ouço no jogo Dance Dance Revolution. Pra mim, foi uma cópia discarada... agora eu não sei se realmente foi cópia ou eles criaram sem saber que já existia... mas... enfim... muito "loocoooo"!

E nesse fim de semana, gastei tudo que eu não podia gastar... droga! (rs)
No dia seguinte, fui intimada a ir no Trash 80's (rs).... comemoração de aniversário de um conhecido muito distante (se é que posso falar assim).
Enfim...
Foi engraçado, porque tive um acesso de retardadisse total e simplesmente entrei no clima da balada... cantando aquelas coisas terríveis que tocava lá... só faltei dançar as coreografias, mas isso já não faz parte dos meus "dotes inúteis"... rs

Gostei do momento, mas não iria pra essa balada novamente... fora a facada que foi...
Aliás, um absurdo isso...
A balada tem em dois lugares, um no Centro, e o outro na Vila Olímpia.... Centro é o lado pobre da "força bregueira anos 80"... enquanto a Vila Olímpia é o lado rico... enquanto eu pago vinte reais pra entrar no do Centro, na Vila Olímpia eu pago 40 paus!!!!!!!!!!!!!!
Ridículo isso, mas... fazer o quê?
Paciência... rs
Obs.: Paguei vinte e cinco = vinte reais por está na lista de aniversariante + cinco por uma garrafa de água

Mudando totalmente de assunto...
Para demonstrar como já falei dez mil vezes no meu antigo blog (e talvez aqui também) de que não me importo com o que a letra diz em músicas cantadas em outras línguas, passarei logo abaixo a tradução da minha música-fixação do momento:


Vive la Fête - Maquillage (tradução)

Maquiagem
É camuflagem
E eu não amo

O microfone e mim

Maquiagem
Eu não amo


É fato: eu não amo maquiagem.
kkkkkkkkkkkkkkk

Outra coisa que estou fixada: mudar um pouco "radicalmente" meus cabelos... dá uma raspada na lateral, só dos lados...
Queria fazer isso pra semana que vem, mas descobri um pequeno probleminha... justamente as laterais, os fios de cabelos que ficam mais acima da cabeça estão mais curtos que embaixo... na verdade não sei se isso seria um problema de fato, mas não sei se ia ficar bom, logo porque, como atrás eu não vou raspar, eles vão ficar bem mais compridos que nas laterais...
Que merda! Pior que tô doidinha pra fazer isso... rs
Outro problema: eu não sei se a cabeleireira que eu costumo ir vai saber fazer... eu sei que ela manja um pouco fazer aqueles cabelos arco-íris dos cortes todo torto e doido que japa costuma usar... mas juntar cortes típicos de jovens japas de colônia com raspagem já é outra história...
Enfim... até lá eu me decido...
Enquanto isso... vou tocando a minha vida com o meu cabelinho tortinho-esquisitinho-mas-que-eu-até-que-gosto de sempre...
rs

Ouvindo: Vive la Fetê - Mon Dieu

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Indignação total

Não sou de acompanhar essas coisas de política, eleições e etc, mas vi umas coisas que me deixaram de boca aberta...

1) Óbvio, o mais falado e visto... o Kassab derrubou o Alckmin... e eu não gosto do Kassab! Cara de psicopata... mas não é só por isso que eu não gosto... enfim...
2) O infeliz do Maluf conseguiu mais votos que a Soninha????? Depois dizem que não existe gente burra...
3) O Netinho de Paula conseguiu o terceiro lugar dos vereadores mais votados! Puta merda... povo burro (2)!!!!!!!!!
4) Lacraia conseguiu seus míseros quatrocentos e alguns pontos... povo burro (3)!!!!
5) Huahauhauhuahuahhauha.... a "Rainha Naja" também ganhou pontos... trezentos e quinze... dava pra disputar com a Lacraia....
6) E aquele ridículo do Dinei, jogador de futebol... ficou em terceiro lugar como o melhor votado do partido dele...
7) E Léo Áquila vai subindo... conseguiu seis mil e tantos votos...
8) Ao contrário de Salete Campari, sua arquinimiga dos palcos (não sei se é de verdade, estou apenas zoando), conseguiu dois mil e poucos votos...
9) E ao contrário de Sérgio Mallandro com seus vinte e dois mil e tra-la-lá de votos... povo burro (4)!!!!
10) E pra encerrar o top 10 dessa bizarrice... Dra. Havanir.... que, apesar de ser a discípula master do falecido Enéas e parecer mais competente que o indivíduo citado no item anterior, conseguiu menos pontos que o próprio, com oito mil e pouco...

Esses são os Top 10 de São Paulo, porque tem mais coisas que me impressionaram:

1) Amazonino DE NOVO??????? Vai embora dessa cidade, pelo amor!
2) Notícia: Mesários faltam e causam transtorno em Manaus. (puta que pariu hein)
3) E o seu Paulo Nasser, pela 387.595 vez, não conseguiu... de novo... rs


NOMES BIZARROS DESSA ELEIÇÃO EM SP (se isso podem ser chamados de nomes)

- Dr. Calvo
- Lôla Lôla Lôla
- Joselito (só não sei se é o próprio, ou se é outra pessoa)
- Rose do Rock
- Já-Já
- Claudio Cinquentão
- Wadão Vadão Jegue Dente D'Ouro
- Paquera
- Mendigo (também não sei se é o personagem ou não)
- Tang (é um chinês, eu vi a propaganda dele na tv, do partido do Maluf)
- Tomas - O Tomate (do Jô?)
- Cor
- Seu Madruga (e acredita que ele foi o primeiro mais votado do partido dele?)
- Gil da Ultra-Som
- Dna. Hilda S/ Escola (é sem escola mesmo?)
- Cotonete
- Eliete Politi A Guerreira (é isso aÊ)
- Cowboy do Asfalto
- Fabio-Zs (se fosse Zona Leste, acho que ia fazer mais efeito, rs)
- Embaixatriz Maria Helena
- Sorriso do Farol
- Ester Midnight
- Cigana
- Joaninha (o jargão dela era "Joaninha dá sorte", agora vê se deu, rs)
- Cham da Xerox
- Ademir Crack

Enfim... uma vez na vida, eu tenho que ter um post político, certo????
rs

Ouvindo: nada

domingo, 5 de outubro de 2008

Retrocesso

Como não tinha nada pra fazer na net, resolvi reler meu blog inteiro...
Continuo impressionada com certas coisas que escrevo...
Não sei da onde que eu tirei tais conclusões ou linhas de raciocínios, mas que as vezes fazem um sentindo tremendo sobre as coisas que roda o mundo...

E eu não sei no que pensei pra resolver ver umas fotos velhas minhas, e me deparei com uma que deixei guardado apenas como um tipo de lembrança dos tempos que eu me "auto-mutilava".
Pra quem acompanhou a minha fase "fotolog", lembro de ter postado uma que mostrava as costas com alguns hematomas de corrente. Lembro-me muito bem que, além disso, fiquei impressionada com o formato do meu "corpo" (se é que posso dizer isso, pois foi tirada da cintura pra cima).
Como eu tinha um corpo razoavelmente "esbelto"! Parecia um violão versão pra criança! (rs)
Depois de vê-lo, pensei: eu sei que não devo estar mais assim, mas... que tal ver quanta gordura cresceu na minha cintura?
E... tirei a foto quase do mesmo jeito que estava o outro... claro que, a posição ficou um pouco deslocada, fora a angulação da câmera, mas dá pra se ter a noção do quanto fiquei gorda...



(antes)


(depois)



Cara!!!!!!!!
COMO EU ENGORDEI!!!!!!!!!!!

o.O

Pensei até em colocar essas fotos no álbum do orkut, mas, mudei de idéia... é comprometedor demais... fora que, com certeza, ia ter um monte de gente me enchendo perguntando sobre a foto com os hematomas...
Depois de ter tirado essa foto.... me arrependi!

Huahuahauhauhauhauhauhauahuahuahuahuahuahauhah....

Eu já era feia, e uma das únicas coisas que eu achava até bonitinho eram as minhas costas... agora acho eles horríveis também! É muita gordura pra uma pessoa só!
Ai ai...
rs

Esse tópico serviu somente pra isso... porque hoje não estou inspirada nem um pouco a filosofar ou falar pelos cotovelos...

Ouvindo: Spice Girls - Who Do You Think You Are (voltando a assumir o meu passado negro)

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Coisas boas e ruins

Essa semana duas notícias me surpreenderam... um compensando o outro....

1) Depois de um ano (que mais pareceram ANOS e ANOS), uma pessoa da qual achei que tivesse perdido totalmente o contato e a amizade voltou "do nada" a falar comigo. "Do nada" porque depois a pessoa me explicou os motivos e tal... e fiquei tão feliz em voltar a falar com ela! E o engraçado que, mesmo depois de tanto tempo que ficamos sem nos falarmos, nos tratamos da mesma forma como antigamente... claro, muito mais maduras e cientes de muitas coisas do que antigamente... inclusive a respeito de sentimentos... tem coisas que realmente não mudam....

2) Soube que uma conhecida minha (da qual tenho muita consideração por ela) sentiu que está começando a ter problemas com drogas. O bom saber disso que a própria tá meio se que tocando que não tá dando certo, em compensação, você sente perfeitamente que ela tá querendo ficar perdida e desesperada por isso. Perdida e desesperada do fato de não usá-lo em horas mais fudidas, assim como também o desespero de querer se livrar do suposto vício e dessa angústia de não conseguir dar conta dos seus próprios sentimentos. Queria poder fazer algo por ela, mas ao mesmo tempo que você ajuda alguém em horas mais difíceis, você também pode não estar contribuindo com a melhoria dando tudo de mão beijada. Deu até vontade de chamar ela pra vir trabalhar aqui em SP e, se fosse possível, até de ficar em casa, pra ver se passa essas coisas e ocupar mais a cabeça, mas aí caio no dilema acima. Agora, apoio e conselhos, esses eu não meço e regulo de forma alguma. E fiquei bastante triste em saber disso, apesar de confessar que não vou ficar levando e lembrando disso dias e dias, semanas e semanas...

Enfim... alguma coisa ruim tem que acontecer nessa inércia toda que estou vivendo no momento...
E o pior que voltei a ficar meio pessimista... de tal modo que consigo ver até coisa ruim na notícia boa que tive...
Podemos dizer que um antigo amor voltou a ativa (rs)... talvez seja a carência (ou não)... enfim... fazendo a retrospectiva de todas as pessoas que me entreguei intimamente, talvez ela foi uma das que mais se enquadra no perfil de pessoa que procuro atualmente, e a desgraça da história que ela mora longe TAMBÉM!!!!!
Se não fosse por isso, acho que nem perderia meu tempo enrolando... mas... enfim... depois de sete anos, a gente ainda não se conhece pessoalmente!
É foda!
E agora que as coisas estão mais fáceis e aparentemente perto, tentações sempre espetam na minha cabeça.
Acho que, de todo o povo (que eu me lembro) que conheci na net, somente duas ainda não conheci pessoalmente... uma não faço questão mesmo (aliás, já faz muito tempo que não falo mais com essa pessoa)... a outra foi citada acima...
Enfim... sou uma fudaida mesmo... e meu destino é morrer sozinha...

Minha inércia é tanta que faz duas ou três semanas que não vou pra faculdade... isso porque tenho o estágio e as atividades complementares pra resolver...

= /

Tô uma bosta ultimamente...
Querendo viajar as escondidas mesmo não podendo...
Queria ter mais peito pra ir viajar sozinha...
Assim como quero loucamente viajar pra alguma cidadezinha do interior de SP com o meu carro, só pra dizer que já andei na estrada com o meu carrinho querido (rs)...

E descobri que o bluetooth do meu celular é uma droga...
Só porque eu queria pegar músicas e vídeozinhos "sem querer" por aê...

E como eu queria viajar pra conhecer a pessoa...

*miséria

Por que passagem de avião é tão caro?

Queria falar mais coisas, mas já tô com a cabeça cheia... cheia de vento...
Ai! Meu deuses!!! A porta!!!

*cinco minutos depois

Por que o ingresso do "Viva a Festa"* é tão caro?

*Vive la Fête

Por favor... que valha a pena... se não, vou querer destruir a balada toda!!!! E que me cante pelo menos o "Tuch Pá"*....

*Touche Pas

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

*Ouvindo: Enka.... não sei o nome do cantor e muito menos o nome da música....

sábado, 20 de setembro de 2008

Tirando teias desse lugar

Depois que percebi que eu estava realmente doida escrevendo que o Gato de Botas aparece em "Alice no País das Maravilhas"...
Mas, vi um sol com cara de drogado, com um fusca rosa (ou lilás?), junto com o bonequinho da Vivo num país das "maravilhas"...
(vide álbum do orkut, rs)

Vim tirar um pouco as teias daqui... aliás, eu preciso fazer isso aqui no meu quarto que está um lixo total... assim como minha vidinha está meio sem graça e talvez, reclamando a toa... um lixo também...

Na verdade, não tenho nada a reclamar...
Estou terminando a faculdade (tudo bem que era pra terminar esse ano, mas resolvi adiar mais um semestre), consegui arranjar um estágio (apesar de que provavelmente não será remunerado), não estou me matando muito esse semestre (só quando me chamam pra fazer algo do estágio ou que ganhe cachê).... e assim vai...
Até um tempinho atrás, achava legal ficar fazendo as coisas da faculdade, assistência de produção e essas coisas... me matar pra ver o negócio bem feito e legal... mas agora eu já me "acostumei" com esse ritmo (talvez, eu acho).... e já não estou achando mais graça... ou talvez, já não me acho tão útil quanto deveria ser...
Esse sentimento estúpido de se sentir útil ou não, as vezes me mata...

Outra coisa que está começando a me pertubar é o meu maldito coração...
Tô começando a sentir falta de alguma companhia mais íntima... ou, talvez (como eu não tenho certeza de nada, pra variar)... sinto falta de uns mimos e carinhos... umas coçadas na cabeça e essas coisinhas mais "meiguinhas" que eu não gosto de admitir, mas que no fundo eu gosto... e sinto falta...
Ultimamente ando lembrando muito da Renata... talvez porque ela foi a última pessoa a qual me deu um pouco de carinho... não que eu queira voltar com ela... isso jamais! Mas, sinto falta dessas coisas mais "táteis" (se é que posso falar assim)... táteis, mas não sexuais, se é que me entendem...

Ando querendo me deprimir... não queria ficar assim... eu estava ótima quando não pensava nessas coisas... quando me sentia muito bem estando livre, sem estar presa por ninguém e por nenhum sentimento...
E nessa história toda, me veio a tona o meu maior ódio: ficar sozinha... morrer sozinha...
Não estou com saco pra sair... preguiça até de comer (o que não é novidade, rs)... mas, a preguiça está acentuada demais... durmo demais... sei lá...
E sempre que penso em solidão, sempre me vem a cabeça a história de ir pro Japão... talvez seja meu pensamento masoquista: querer ir lá pra ficar realmente sozinha e me fuder até eu me suicidar, ou qualquer coisa do gênero...
Quem dera se eu tivesse coragem de tirar a minha própria vida... eu sou covarde demais pra isso...

E cada dia que passa, parece que mais exigente fico em "idealizar" a minha companheira...
Gostaria de ter alguém que tenha uma personalidade mais estável, ou que seja mais "pé no chão" e ao mesmo tempo gostasse de mimar ou fazer carinho...
Ai.... que merda!

Fico pensando agora... talvez eu tenha até recebido carinho demais e nos momentos, eu não me satisfiz com o que eu recebia... ah! Sei lá!
Eu mudei bastante, eu sei.... ando mais egoísta... mais egocêntrica... quero alguém que seja igual, que faça as coisas mais iguais e humanitariamente... da mesma forma que eu me jogo nos pés da pessoa, gostaria que fizessem isso comigo também...
Também estou mais intolerante... não sei se isso é bom ou ruim de fato... mas, ao meu ver, acho que é um pouco ruim.... porque, as vezes, não consigo mais ver coisas boas nos outros.... acho que tudo é pros outros se fuderem, ou fala por mal, ou faz de propósito, e essas coisas...
Ai... que merda!

E pra variar... eu só reclamo...
Com outras coisas, quando realmente preciso, eu corro atrás...
Mas...
Procurar uma pessoa...
Tô simplesmente "esperando" que a pessoa venha a mim...
Porque já cansei de procurar... e por puro relaxamento meu mesmo de não sair de casa, por exemplo....
Se eu esperar....
Vou morrer sozinha...
Mas também....
Não quero sair "a caça"...
Pessoas não são animais!
E eu não sou um cavalo (ou égua, enfim)!

Sou a Lady Fudaida!
(ha-ha-ha, piada interna)

-_-

Quando vou aprender a ser gente grande?

Pior que eu continuo com a mesma e babaca ideologia de quando eu era pirralha-pré-adolescente: querer um "amor" pra minha vida...
Porque eu sou brasileira, e não desisto nunca!
(isso se chama BURRICE)

Eu tenho que parar de procurar isso...
Se eu não fosse tão carente e burra, talvez minha vida estaria um pouquinho melhor...
Ou não?
Talvez... menos angustiante...

Falando nisso... "Ensaio Sobre a Cegueira" é foda... ainda não assimilei bem o filme porque algumas partes do filme me deixaram com muita raiva... mas acho que, depois que passar essa fase "raiva", vou dizer que gostei do filme... mas é também angustiante...
E quem disse que eu prestei atenção nos planos e enquadramentos do filme?
(que deveria ser uma coisa que EU deveria prestar ao menos um pouco de atenção)

Mas pelo menos prestei um pouco de atenção no som... e notei uma pequena falha de som entre uma cena a outra... de você ouvir que mudou de cena pelo som... e tenho quase certeza que não foi proposital.... e ficou feio!
Fora toda aquela atmosfera de "brancura" que irritava os olhos... ficar cego "vendo" o fundo preto deve ser mais tranquilo e menos angustiante que um cego que "ver" o fundo branco (se é que existe de fato a versão branca)...

Ah!
Eu seria uma péssima analista de filmes...
Seria não... sou!

Tem alguma coisa que eu sei fazer ou que eu prestaria fazer?

Nesse momento gostaria de estar chorando que nem uma criança... de chorar até cansar ao ponto de dormir... mas, algo me impede de que as águas salgadas banhem o litoral de suas praias... talvez, a insensibilidade seja o problema disso tudo...
Ou, a indiferença me tornou um monstro?

Que merda...

Tô me sentindo um lixo...

Acho que só uma pessoa estranha que nem eu ache a lágrima algo valioso demais pra ser demonstrado pra qualquer pessoa... igual a frase "eu te amo"...
Por mais que eu queira chorar perante os meus amigos... mas, não consigo...
Não sei explicar o porque... simplesmente não sei...

Outra coisa idiota: as vezes sinto falta de falar coisas sérias, ou coisas minhas, ou coisas dos outros que sejam sérias... ultimamente só ando falando bobagens entre colegas, e essas coisas... ou coisas talvez até sérias, mas não sérias emocionalmente...
Enfim... gente idiota que nem eu que fica analisando coisas tão medíocres como esses que falo... afinal, isso aqui é uma das minhas opções de "escape"....
(coisa de nerd sem amigos, pra falar a verdade)

Enfim... diário de uma retardada...

Ouvindo: Barulho do teclado misturado com buzinas, som de carros, ventos, pensamentos, música de abertura do "Chobits" e "Elfen Lied"... choros... resmungos... implorações... pedidos... vozes do além... (gostaria muito de não sonhar com alguém me fazendo carinho, são momentos péssimos pra se sonhar com isso)

Obs.: As vezes queria ter aquela sensação estranha e horrível que tive de quando a Camila esteve aqui em casa, de sentir uma pessoa incorporando em mim, tirando minha alma pela minha boca, e não conseguir me mexer, fazer nada... por quê? Perguntem pra minha cabecinha de vento! Porque eu não sei te responder...

domingo, 15 de junho de 2008

O Gato de Botas rindo da minha cara

Pra falar a verdade, eu nem vi a lua pra saber se está mingüante ou crescente (até agora também não aprendi qual é que tem o formato de um sorriso ou de tristeza)... enfim... o que me veio a cabeça agora é ver a lua com o formato de um sorriso, que imediatamente me remete ao referido gato de botas do Alice no País das Maravilhas... ele está lá em cima, rindo da minha cara...

Mais uma das minhas crises melodramáticas de que ninguém se importa comigo, que ninguém está cagando e andando pra mim, e essas porcarias todas...

Essa semana que passou (especificamente) foi super-hiper-mega-ultra corrigo, por causa do negócio do sitcom, e um workshop no sábado de captação de áudio direto. Tive que ficar acordando cedo (menos na sexta).
Enfim... o que importa, certo?

Estava vendo um documentário falando sobre uma escola no Texas direcionada a receber alunos homossexuais. Eu peguei pela metade (pra variar), e ele relatava a vida de cada aluno e da coordenadora da escola.
A cena que citarei a seguir é, para alguns, a coisa mais boba, estúpida e inútil de ser lembrada, mas no momento podemos dizer que estou muito "ema"... não sei te dizer se estou emotiva demais, ou minha sensibilidade está aflorada ou irritada demais.

Tá...
Uma da alunas tinha uma namorada... ambas tinha a faixa de vinte e dois, vinte e três anos... estão namorando a um tempinho que eu não sei quanto... teria um baile na escola, só que era um propótipo de "baile-matinê" (só pra menores de dezoito anos)... a aluna queria muito ir nesse baile com a namorada... o que a namorada fez? Arrumou a casa da menina toda com velas, balões, taça de suco de uva, musiquinha melosinha.... tava mais pra um encontro que um micro-baile em casa... mas, aquela "babaquice" toda me envolveu de uma certa forma que... não sei explicar...
Na verdade, até saberia explicar... mas serão dez mil teorias pra isso...
Vamos logo abrir o jogo dessa porra toda:
Eu tô carente.... eu tô sentindo uma necessidade enorme de ser cuidada... e aquilo tudo que vi me frustrou, me entristeceu, me deixou pensativa, sei lá mais o que senti...

1) Frustou: porque a menina, com a mesma faixa etária que a minha, tinha uma estabilidade amorosa muito boa e tranqüila... tudo bem que o documentário foi feito em torno de 2001, 2002... mas, sei lá... porque não poderia ser eu? Depois falou que em 2004 as duas se casaram...

2) Entristeceu: porque eu queria estar na mesma situação que o dela... ter alguém que me queira, que goste de mim, que cuidasse de mim... não que não exista essa pessoa... mas a porcaria da distância está começando a realmente me incomodar... e quem me conhece sabe, eu não dou conta de me controlar as vezes... tenho medo de me estourar e fazer alguma merda ou besteira...

3) Me deixou pensativa: já citei acima... porque não comigo????

4) Sei lá mais o que senti: entenda o que quiser... imaginem o que quiser... nem eu sei o que senti depois das citadas...

No momento, estou com o meu lado emotivo muito bagunçado... eu não sei se foi devido ao cansaço e stress que passei com toda a trabalheira do sitcom, e agora ficar correndo atrás das coisas que nem uma louca com o TCC. Não teremos férias simplesmente... teremos que ir todos os dias a partir dessa segunda-feira pra faculdade, pra fazermos reuniões e adiantar uns cenários pro curta-metragem, passaremos o mês de julho inteiro gravando...
Cara... eu acho que eu não presto pra trabalhar em produção... eu me preocupo demais, canso muito a minha cabeça, estresso num instante, e assim vai...
Continuando... eu tô me sentindo muito presa em mim mesma... querendo fazer umas coisas impulsivamente, e algumas idiotices sem motivo algum, por exemplo, querer gritar ou xingar até me cansar, oras chorar que nem uma retardada, oras não fazer porra nenhuma, e assim vai.
Tô muito afobada sem motivo... não sei explicar bem... sabe quando a sua cabeça está cheia, mas você não sabe do quê??? Mas... você sente... ela está BEM cheia!
É mais ou menos isso...
Não tô mais com saco pra sair... as vezes quero ficar sozinha em casa, sem ninguém me encher o saco... as vezes quero sumir daqui de SP e ficar em algum hotel de luxo em outra cidade, mas sozinha (se eu tivesse grana, eu faria mesmo)...
Eu tô muito chata... eu tô muito cri-cri... eu tô realmente escrota... não estou tendo nem paciência comigo mesma...
Queria dormir e acordar daqui um mês, por exemplo...
Eu simplesmente estou cansada... mas não sei do quê...
Apesar de eu estar me cuidando física-mentalmente, parece que os meus próprios cuidados não estão sendo suficientes pra eu me sentir bem... acho que tô precisando urgentemente de alguém que fique mais próxima de mim...
Sei lá... algo está me frustando... algo está me irritando... algo está me cansando...
Eu já tinha meio que prometido a mim mesma que não iria priorizar tanto essa minha necessidade amorosa constante que tenho, e tentar focar mais em como me manter, trabalho, qualquer outra coisa, menos o meu coração.
Mas que merda!!!!!!!!
As vezes eu queria ser menos sensível pra essas coisas...
Eu quero sossego pro meu coração!!!!!
E... sim! Meu mau humor está realmente insuportável!
Por favor... digam que é apenas "hormônios"... porque estou "nos dias"....
Será que eu sempre tive TPM e nunca saquei???
Mas eu não lembro de ficar assim em épocas de menstruação...
Enfim... sou mor tapada pra essas coisas também...

Será que existe alguém no mundo que consegue me entender????
Ou eu sou tão complicada que ninguém tem saco pra me entender???
Sim... estou egoísta e egocêntrica no momento...
Portanto... se não tiver saco de me aguentar, nem fale comigo!!!!!!

Sabe o que é pior disso tudo???
Que essa minha "revolta" (que não é bem uma revolta), é só por causa de cuidados...
Podem falar na minha cara... eu sou muito estúpida... não é?????

*eu já sabia

*Ouvindo: Gigi D'Agostino - I'll Fly With You

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Vários contos... nada útil!

1) No feriado do dia do trabalho, fui pra Manaus... totalmente de sopetão e só vi quem me interessava: Sheyla e Beatriz. Foi divertido, principalmente porque dei muitos soquinhos na cabeça da Bia quando ela estava loucamente tribêbada e não parava de me dar cabeçadas... meu instinto animal prevaleceu no momento (hehehehehehehhehe). E por ter ficado com minhas amigas, e ter saído por aí. E ganhei festinha de aniversário (heheehehhehehehehe).

2) No feriado de Corpus Christi, fui pra João Pessoa, vê a minha amada... continua linda, como sempre! E por milagre da vida, minha mãe não ficou me enchendo (o.O). Conheci um barzinho e baladinha gls de lá. Apesar de achar muito esquisito tocar forró numa balada e não gostar muito, pior que eu gostei do lugar... talvez porque não estava tão cheio como ela costuma falar que fica (menos mal). Brincadeiras no meio do caminho a parte (que por sinal, foram muito bons, rs), algumas cagadas básicas. Incluindo, inflar o meu alter-ego de querer xingar alguém no alto e bom som, e no fim, receber mor xingos e deixar que xinguem quem está ao seu lado... eu sou uma merda mesmo! E... ho-ho-ho-ho... agora posso dizer que conheço uma parte da grande família dela... povo super simpático!

3) Depois de ouvir uma coisa nada agradável, eu tive a insanidade de querer encher a cara com licor de chocolate.... que merda! Ainda bem que não vomitei, mas seus efeitos colaterais são muito ruins e escrotos... pretendo nunca mais fazer isso! Foram quase os mesmos efeitos de quando tomei não sei quantos comprimidos de dramin, só que um pouquinho mais fraco. Não fiz sozinha... mas é como se eu estivesse sozinha, de qualquer modo. Ainda sobrou bastante licor e metade de uma garrafa de vinho? Quem quer??? Estou doando!!!!

4) Eu já sonhei com tantas coisas que não lembro de mais nenhuma delas... e foram umas bizarrices atrás de outras... eu só lembro de ter sonhado ontem com a ex-vizinha minha lá de Manaus, a Vera. Eu tentando tocar no piano dela, e depois descubro que era elétrico (não me perguntem que não faço a mínima de como um piano pode ser elétrico, rs). E que eu tentava tocar uma música japonesa, só que não lembrava o começo, e o piano reconheceu uma outra música pelas notas que toquei e começou a tocar sozinho a outra música também japonesa. E foi isso... coisa idiota! Ah! E sonhei com a Carla, uma garota que trabalhava comigo lá na Ágape (no último trabalho que tive). Só que, nem lembro o que ocorreu. Só!

5) É um sub-tópico do 3: não estou tão empolada como eu imaginei, mas tô me coçando muito em algumas regiões do meu corpo... parece até que tô com perebas... que droga!

6) Sem mais inspiração pra escrever...


Ouvindo: Porra nenhuma.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Previsível...

Sou tão previsível... tão "livro aberto" que as pessoas não precisam de muito tempo pra decorarem as minhas "regras" e adivinharem tudo que eu falo, faço, penso...
E as vezes não gosto disso... me sinto muito fraca sendo assim... e me sinto pior ainda porque eu não saco as pessoas tão rápido assim... eu custo muito tempo a pegar as manhas das pessoas... e as vezes, quando eu acho que entendi a pessoa, faz-se uma reviravolta que me confundo toda e perco as referências, começando da estaca zero de novo...
As vezes... parece que as pessoas não captam a seriedade que falo determinadas coisas... que falo com sentimentos... parece até que estou falando qualquer outra coisa...
Não sei a palavra certa... as acho que as vezes as pessoas não me levam a sério...
Já perdi amizades com o meu jeito...
Tenho medo de perder mais pessoas com o meu jeito... aquele meu jeito que não muda, sabe? Ou a pessoa me entende, ou sai fora...
Quer dizer...
Meu jeito "mal", triste... é péssimo... é maçante... enche realmente o saco... até a mim... mas, pouquíssimas pessoas sacaram esse meu outro lado e entendem que não faço determinadas coisas por mal... não é a toa que perdi muitas amizades...
Já tô sentindo que estou começando a ficar distantes dos meus amigos...
Só quero que entendam que não é por mal que faço isso... eu sei que faço esse movimento, mas é meio que contra a minha vontade... tô um pouco mal... apenas isso...
Nada relacionado a amores e gêneros (menos mal)... são coisas minhas mesmo, somente minhas... que ninguém iria entender... também, é pedir demais que as pessoas me entendam... sou complicada demais pra ser entendida...
Acho que nunca serei feliz, porque quero que as pessoas me compreendam... não precisa ser o mundo inteiro... só os que eu tenho consideração...
Mas eu também não sou uma pessoa que compreende muito bem as pessoas... sou meio cabeça-dura... até meio antiquadra (sei lá como escreve)...
As vezes acho que quero conversar sobre papos-cabeças, ou coisas muito sérias, e as pessoas não tem paciência pra conversar essas coisas, ainda mais comigo que falo pra caramba e, quando me empolgo não tem fim...
Fico pensando comigo mesma... acho que conviver comigo mesma é realmente uma merda... as vezes estou muito boa, legal... e do nada me distancio de tudo e todos... e sempre fica nesse ciclo vicioso... quem ia querer viver com uma pessoa assim??? Acho que nem eu queria...
Sou muito dependente dos outros... até pra me fazer pensar nas coisas, preciso que os outros falem ou me cutuquem...

*três horas depois

Depois eu escrevo... já me desinspirei...

Ouvindo: barulhos... apenas barulhos...

sábado, 22 de março de 2008

Vomitório!

Lembrar de todas as coisas ruins que já pensei, fiz, aconteceu...

1) Troquei quase que totalmente os horários... tô indo dormir bem depois de amanhecer e acordo algumas poucas horas antes de ir pra faculdade...

2) Eu já tô querendo postar há tempos e sempre esquecia... de um pesadelo que tive quando a Camila tava aqui em casa... dormi no mesmo quarto que ela tava dormindo, mas eu tava dormindo no chão, no colchão que tirei do meu quarto, e ela dormindo na cama. Pra mim, aquilo foi real, pois estava no quarto mesmo, tudo no mesmo lugar onde realmente estavam as coisas, incluindo a Camila dormindo do mesmo jeito como estava de fato. Senti um ventinho perto da minha cabeça e chegando no meu pescoço, e eu achando que era a Camila, e senti que ia chegar ao meu rosto. Quando chegou era uma outra pessoa totalmente diferente, e não vi o seu rosto porque os cabelos não me deixavam ver. Me desesperei e fiz um esforço enorme pra gritar pela Camila, mas não saia voz nenhuma, tentando gritar mais forte e alto, mas nada saia. A "entidade" ficou descendo até chegar na minha barriga, se virar toda, fazendo com que a cabeça dela alinhasse com a minha, e de repente, ela ficou abrindo a minha boca, encostou a dela na minha e ficou meio que sugando a minha alma. Depois de sugar tudo, ela entrou em mim! Foi horrível na hora! Quando ela terminou a transição que eu consegui acordar! Acordei a Camila (coitada, assustei ela) e pedi pra ela dormir junto comigo. Até agora fico pensando se alguma alma realmente se incorporou em mim, e eu achava essas coisas uma puta besteira, mas agora vejo isso com outros olhos.

3) Mal começou as aulas e já tem um monte de coisas pra fazer... e pra foder ainda mais a minha vida, esse semestre tenho que começar com o TCC, e dois trabalhos de interdisciplinares: fazer um programa de tv, e uma sitcom ou dramaturgia pra tv. É tanta coisa, mas tanta coisa que já tô começando a ficar pirada, estressada antecipadamente, e o pior, nem comecei a fazer porra nenhuma. Só fiz umas pesquisas muito ralé. É a minha maldita merda de não querer responsabilidades pro meu lado, e quando tenho muitas, mas muitas responsabilidades, eu simplesmente travo e não consigo mais pensar em porra nenhuma, e se tornar um peso morto pros outros. Sou uma merda mesmo!

4) Na última sessão com a psicóloga, ela falou que talvez eu esteja querendo entrar em depressão novamente, e citou até no homeopata que eu fui uma vez, quando eu estava bem mal. Na hora, não acreditei nisso, falando que não estava mal. Mas agora, pensando melhor, acho que tô querendo ficar mesmo, pior momento pra eu estar assim! Não tô mais com saco pra sair toda hora, perdi interesse em tudo, não estou com saco pra me empenhar na faculdade, não tô fazendo porra nenhuma, não consigo me concentrar, não consigo pensar direito, simplesmente perdi vontade de fazer qualquer coisa. Meu... que merda! Pior que não posso ficar assim, com tantas coisas que preciso fazer na faculdade. Já faltei pra caramba, já deixei o meu grupo na mão, já tô quase estourando de falta numa matéria. Que vontade de chorar ou de me socar pra valer, pra ver se eu acordo! Voltei a ouvir tudo que eu costumava ouvi quando estava mal, mas tudo mesmo! Desenterrei Cranberries, Coldplay, Lacrimas Profundere, Flowing Tears, até aquelas malditas músicas japonesas. Ai ai...

5) Por que eu não sei distingüir na hora se estou falando merda ou não? Ou eu não falo nada, ou eu falo demais! Alguém me ensine o meio termo, por favor! A psicóloga fala muito também que eu não sei fazer o meio termo dos meus gastos e castigos impostos para mim por mim mesma. Que merda!

6) Outra da psicóloga: eu não sei organizar meu tempo e dinheiro (era dinheiro mesmo? agora esqueci!). Principalmente o tempo... faço tudo em cima da hora ou perço as coisas. Que merda, que merda, que merda!

7) Saudades... sinto muita falta da Camila. Agora sim, tô começando a me fuder legal com isso. Mas, por enquanto, tô conseguindo me controlar com telefone e celular, pelo menos. Óbvio, sem dinheiro... dá pra comprar o quê? NADA!

8) Já são seis da manhã... já tá amanhecendo... e vou ter que acordar meio "cedo"... fazer maquete de cenário... Socorro! Não sei fazer maquete!

9) Por que as pessoas não entendem que, só porque não demonstro, não significa que eu não sinta, pense em algo? Eis minha grande dúvida: quem se deve corrigir? As pessoas ou eu? Agora tô sendo bem egoísta... queria que o problema fosse das pessoas, não meu... porque estou cansada de me mudar (ainda estou, depois de já ter terminado aquele martírio há meses)!

10) Meu... o que que a Ceres quer comigo agora??? Me acha no orkut com a "inocente" frase: let's be friends. Cai fora meu! Quero que ela se foda!

11) Depois desse caso "Ceres" que vejo o quão rancorosa sou... isso é bom ou ruim? As vezes me pergunto se tenho sabedoria suficiente pra ser rancorosa com as pessoas que mereçam de fato isso.

12) Me sinto velha, uma idosa mesmo, pelo seguntes fatores: muitos cabelos brancos para a minha idade; parece que eu não tenho disposição pra porra nenhuma; não consigo comer MUITO como antigamente; só reclamo e reclamo pra caralho, e pra piorar só falo e fazer que é bom, nada; vivo voltando ao tempo, parecendo um livro de história; e outros das quais não lembro no momento.

13) Outra grande dúvida de minha pessoa: será que eu sou a incompreensiva ou as pessoas que não me entendem? Acho que devo ter algum trauma com essa história de me entenderem e/ou acreditarem nas coisas que eu falo. Isso é uma coisa que me pergunto insistentemente.

14) Eu só quero apenas "X" coisas: paz; felicidade; um cantinho MEU, e não dormir na casa dos meus pais como acontece atualmente; muito dinheiro pra não ter que trabalhar e dar esse luxo pra quem decidir querer viver ao meu lado (com isso eu nem conto, apenas sonho de vez em quando); ser alguém na vida afora; ser alguém na vida de alguma pessoa; queria que alguém enxergasse que sou "gente", e não uma criança (outra coisa pertinente nos meus argumentos, por que será?)... tem mais coisas, mas não lembro no momento. Enfim... está na lista do vomitório porque não creio que vou conseguir metade disso, e com isso me sinto pior que já estou.

15) Camila me falou uma coisa que me deixou bastante triste comigo mesma... não lembro exatamente como ela falou, mas foi mais ou menos isso: "você deveria me conquistar, em vez de eu sempre correr atrás de você". Ia botar culpa na minha suposta depressão, mas como falei, é apenas "suposta", nada confirmado... eu gosto muito dela, amo-a demais... mas admito, não estou fazendo esse movimento de "conquistá-la", e isso me deixa muito mal. Eu só não sei explicar como e o por quê... eu tenho muita vontade de conquistá-la mesmo, de fazer algo que a surpreenda, ou falar algo que a impressione, mas tô muito "mucha" (se é que esse adjetivo existe e se é compreensível). Quero demonstrar pra ela o quanto amo ela, o quanto ela significa pra mim, mas, além de não saber fazer, de não saber como demonstrar, tô "mucha". Acho que tô mal mesmo. E eu não queria estar assim, não mesmo!

16) Vontade constante de me afundar mais e mais... vontades... horas de chorar, horas de me auto-mutilar, horas de mandar todo mundo se foder, horas de sumir na face da Terra, horas de não existir nem um pedaço da minha pobre e estúpida alma, horas de estar sofrendo que nem uma condenada pra "pagar os meus pecados"... enfim... chega de descrições!

Ouvindo: Lacrimas Profundere - Morning... Grey

segunda-feira, 10 de março de 2008

Sentir na pele o que se faz pros outros!

Três coisas que me aconteceram hoje que fiquei, de uma certa forma, impressionada...

1) Eu... toda feliz (de uma certa forma), empolgadérrima por ter ido no Mercado Mundo Mix e ter extrapolado (de novo), comprando um monte de roupas pra mim e tal... depois recebo mensagens de celular da Camila, falando que não estava bem, com crises de existências e essas coisas, e fui correndo voltando pra casa, pra pegar ela na net e falar com ela. Óbvio, comparando com ela, eu estava extremamente feliz, mas, tentei descontrair ela e tal, fazer ela esquecer um pouco a crise. Até que funcionou um pouquinho... e não só por isso, porque eu tava empolgada e quis mostrar, falar das coisas que vi e comprei lá e tal. Enfim... resumindo: sabe quando você está super contente e tal, e tenta passar isso pra outra pessoa e não consegue, e no final isso acaba de frustando e você ficando na mesma situação da outra pessoa? Foi isso... consegui literalmente, ficar de alegre pra triste, de um segundo para o outro. Já me ocorreram isso sim, mas não nessa mudança tão brusca.

2) Ela começou a se auto-rebaixar e tal... e... meu... simplesmente me vi nela! Não que eu tenha deixado de ser assim... acho que minha essência é auto-destrutiva, mas já não estou como antigamente (pelo menos por enquanto). Sempre arranjando um jeito de se rebaixar mais do que já está, procurar mais o fundo do poço, até cansar ou (no meu caso), quando alguém fala literalmente que se chateou e essas coisas... aí, acabo ficando mais mal ainda por isso, como se eu tivesse falando essas coisas de propósito só pra deixar a pessoa realmente chateada e fazer falar na minha cara isso. Claro que não fazia de propósito, mas quem tem isso sabe que a força da depressão acaba conseguindo ser mais forte que a consciência e razão em si.

3) Agora vi o quanto isso chateia mesmo... o quanto eu realmente chateava as pessoas falando um monte de asneiras minhas (não que eu ainda tenha deixado de acreditar que sou uma merda mesmo)... mas... enfim... no meu caso, eu não fiquei me matando pra tentar animá-la a todo custo porque sei muito bem que não ia resolver porra nenhuma, mas tentei um pouco... vi que já estava lá no fundo do poço mesmo, então só fiquei de ouvido mesmo... não sei se pra ela resolveu, mas pra mim confortaria bastante se alguém tivesse saco pra ouvir minhas asneiras por quanto tempo fosse, e que, pelo menos prestasse atenção no que eu falasse... nem precisava falar, apenas me ouvir... foi o que eu fiz... e percebi que, a pessoa fala com uma convicção tão grande que, você acredita que é verdade e se chateia legal... as vezes sei que as pessoas falam umas coisas que, no fundo, ela sabe que não está falando sério... não a conheço bem, portanto, não desacredito em algumas coisas que ouvi... por isso mesmo fiquei chateada... enfim... caio no mesmo dilema de anos atrás: quem se importa?

Lembrando: Flowing Tears...

quarta-feira, 5 de março de 2008

Estraga tudo!

Incrível como eu consigo estragar tudo...
Um simples depoimento, escrito com todo o sentimento do mundo, com boníssimas intenções...
Acho que não sei escrever bem...
Acho que realmente, não sei me expressar corretamente...
Sempre acabam entendendo errado...
E como isso vem de uma constância... acho que o problema sou eu mesma...
Que mais???
Eu não sei administrar meu tempo...
Sempre fazendo as coisas em cima da hora...
Sempre a preguiça reina sobre meu corpo e não faço nada de útil...
Nada que preste...
Nada que me faça crescer...
Não tenho pespectiva pra nada...
Não sei o que fazer da minha vida... na minha vida...
Aliás... não sei de nada...
Nada que preste ou seja útil...
Sou uma alienada...
Ou mesmo um zumbi...
Vivendo a vida sem motivo algum...
Eu odeio chatear as pessoas de quem gosto muito...
Isso é tão difícil de entender?
Ainda mais quando EU que acabo chateando a pessoa...
Sim... as vezes sou auto-destrutiva...
Isso ainda não saiu de dentro de mim...
Mas, não estou tão auto-destrutiva como antigamente...
Aliás...
Ando sem saco pra pensar em nada...
Sem paciência pra fazer algumas coisas...
Muito pessimista em tudo...
Até com trabalhos de faculdade fico botando empecilho (oww novidade)...
Uma hora eu tenho que cair né?
Não sou nenhum deus...
Muito menos um "deus ex machina"...
Sei lá...
Pensativa..
Pessimista...
Realista?
Nem um pouco!
As vezes... um pouco de dor é bom...
Principalmente quando você está muito num clima "oba-oba"...
Pra você se tocar um pouco...
Parar de viajar...
Parar de se iludir...
O que seria pior?
Dor física ou dor espiritual, sentimental, o que for?
Minha opinião:
Dor física é péssima...
Mas...
Dor mental é pior...
Porque ele é quem te conduz a fazer tudo no seu corpo...
Você pode perder todos os membros do seu corpo...
Você pode estar tetaplégico...
Mas... com o poder da mente e da fé em si próprio, você consegue se recuperar de suas perdas físicas e tocar a sua vida pra frente...
As vezes me sinto uma doente mental...
Reclamo de tudo... sem motivos...
Até a minha mãe me acha retardada...
Que eu não cresci merda nenhuma...
Ainda me vê como se eu fosse aquele retardada de antigamente...
Que só quer viver de amor... e que qualquer peixe que cáia na rede, pegava...
Enquente: as pessoas que não me compreendem ou eu que não sei fazer com que as pessoas me compreendam?
Eu tenho noção de que as vezes não me expresso bem ou claramente...
Enfim...
Que merda de pessoa eu sou?

*preciso de uma luz

Trilha sonora: movimento noturno de uma cidade grande

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Obs...

Apesar de todo lero-lero que fiz no post abaixo... em geral estou feliz...
*que milagre eu falar isso
Mas... um dia... eu teria que admitir né? rs
Portanto... agradeçam a Camila!
rs
E a minha loucura valeu a pena!
*pelo menos eu não me arrependi nem um pouco
Só tô um pouco endividada...
he-he-he

Sabiam que eu já me declarei a ela?
\o/
*como se isso fosse interessante pra vocês
Pra quem me conhece, sabe que um "te amo" não se sai a toa da minha boca...
Portanto...

^.^

Besteira minha me gabar por isso... mas... sei lá... pelo menos uma vez na vida eu tenho que me sentir feliz com isso né?
rs
Um mês...
Foi muito bom! Mesmo!
Sinto saudades...
E sinto falta...
Assim como já dito uma vez:

"Ich liebe dich, mein Engel!"

Música de fundo: Mazzy Star - Flowers In December

Confusa, abestalhada ou pura falta de utilização do cérebro?

Estou confusa... ou aflita... ou angustiada... não sei... simplesmente não sei bem o que é exatamente o que estou sentindo...
E como sempre... essas coisas sempre se ativam depois de ouvir alguma música, ou de ver algum anime, qualquer coisa assim...
Estava vendo Kashimashi e sinceramente, de primeira, pelo que tinha ouvido da história, achei que não ia gostar, mas agora tô gostando (por enquanto)... aguardando ansiosamente pra ver como termina aquela bagunça toda!
E foi justamente naquela bagunça de sentimento que o anime explora que me deixou assim...
História: Um garoto que sem querer foi atingido por uma nave e reconstituíram ele, só que em forma de garota, tendo de conviver com o seu novo corpo e seus amores sobre outra pespectiva. Só que o indivíduo (pelo menos até onde eu vi) tem duas garotas nos seus pés, mais o seu melhor amigo e mais uma garota que parece também se interessar por ele (que agora é ela, rs).
Enfim...
O que me chamou a atenção nesse anime é... como o povo tem tanta coragem pra falar na cara o que sentem uns pelos outros. E isso me inveja, de uma certa forma...
Tenho tantos receios... tenho tantos medos... que as vezes isso me irrita e me atrapalha... e eu não sei mais o que fazer pra melhorar isso, porque tentar falar por conta própria, já vi que não dá certo...
Não sei... as vezes falo demais... as vezes sou recatada demais...
Sou incrível... nem eu me conheço...
Durante esses meus vinte e um anos de idade... e ainda não me conheço...
Assim como eu me decepciono muito fácil comigo mesma, acho que, mesmo sem querer, acabo decepcionando os outros...
Não tomo partido pra nada... nem com as minhas coisas...
Sou muito relaxada... preguiçosa...
O que eu conquistei durante a minha vida? Nada!
Nada que tenho é meu... sempre a custa do dinheiro dos meus pais...
Nada que tenho é meu de fato...
Nada que eu tenho foi do meu esforço...
Eu mereço alguma coisa?
As vezes, até penso que não mereço amor de alguém...
Mereço?
Do que estou reclamando?
Tenho tudo... mesmo não sendo do meu suor...
Reclamando de barriga cheia...
Ouvindo o maldito Radiohead, que é um verdadeiro retrocesso na vida de qualquer pessoa...
Radiohead lembra muito o meu passado...
Meu passado...
Do quanto me deixava muito mal querer desejar tanto ter uma relação afetiva verdadeira e séria com alguém... ao ponto de me cegar e pegar qualquer tranqueira que aparecia na minha frente...
Do quanto eu brigava, discutia, batia boca com a minha mãe...
De como me sentia super só, mesmo rodeada de gente...
Do quanto, na época, odiava São Paulo...
Do desespero de procurar alguém que suprime minhas carências afetivas...
Enfim... passado é passado...
Não sou museu...
Mas as vezes parece bom você querer se sentir mal...
Pensando melhor... acho seriamente que tenho algum problema com isso...
De ser uma masoquista sentimental...
Mesmo sem motivos pra isso, procuro alguma coisa pra me sentir mal...
Não é toda hora, a todo momento... mas, as vezes, dá vontade sim...
Alguém já me viu chorando de verdade? De chegar a soluçar?
Difícil...
As vezes também dá vontade de chorar na frente de algum amigo... só pra encostar no ombro e me sentir um pouco mais confortável... mas no fim, não faço isso... não é legal ficar preocupando os outros a toa...
Acho que no fundo... sou uma criancinha mesmo... sempre querendo mais atenção, carinho, mimos...
Sempre querendo colocar uma armadura de independência...
Não que eu queira ser dependente de alguém e essas coisas... mas... sempre quebro a cara, me vendo pedindo isso ou aquilo.... gostando dos "mimos" recebidos...
Não sei se isso é digno... mas, como já falei acima, eu não me acho muito digna de receber tanta atenção, carinho e essas coisas como eu recebo de algumas pessoas...
Não confio no meu taco... não tenho confiança...
Incrível como as vezes nem eu mesmo confio em mim mesma...
Não sei se isso foi trauma da última relação, ou sempre fui assim, ou se isso é idiotice minha...
Mas.... tenho muito receio das coisas que falo e penso... sempre achando que até comigo mesma eu posso me enganar...
Como se minha mente fosse outra pessoa... sei lá...
Meu deuses!!! Como eu sou idiota!!! Olha a merda que estou falando...
Será que a Camila me aguentaria deprimida? Sempre me rebaixando, falando que sou isso ou aquilo? Tem gente que não gosta disso e não tem paciência... pior (ou melhor, não sei) que ela não conheceu pessoalmente esse meu lado...
Aliás... que engraçado... ela me conheceu de uma forma totalmente diferente...
Acho que, todas as pessoas que tenho consideração, sempre me conheceram na minha fase deprimida, exceto a Camila.
E a Sheyla também... logo porque ela me conheceu quando eu era pirralha, então nem conta...
A Beatriz também...
E eu não tomo rumo algum...
Quando eu aprenderei isso?
Me sinto mal com isso... de não ter nenhum estímulo, vontade de fazer algo... trabalhar, arranjar meu próprio dinheiro, de porra nenhuma...
Me sinto mal e continuo não fazendo porra nenhuma...
Nem me dedicar aos estudos estou...
Pelo menos eu pretendo fazer isso esse ano, logo porque, se eu não fizer, vou bombar, vou me fuder e com certeza, pensarei até em desistir do curso. Porque, não tem coisa pior que fazer trabalhos práticos com uma turma totalmente desconhecida pra você?
Sim... ainda tenho sérios problemas de sociabilização... achei que tivesse melhorado, mas acho que não muito...
Aliás... acho que, pra eu pegar alguma afinidade por alguém, esse "alguém" tem que ser bem delicado comigo aos primeiros contatos. Será que é isso? Nem eu mesma sei!
Sou muito sucetível a grosserias, agressões diretas e indiretas, e essas coisas (na verdade nem sei bem o que significa sucetível, mas tô escrevendo, crendo que tenha algo a ver com sensibilidade).
Admito até que, as vezes eu vejo grosseria onde não existe. Muita gente acha isso como se fosse uma frescura minha... mas vejo isso como um ponto forte meu...
Deveria ser né?
Enfim...
Só queria ser mais tranqüila com as coisas que falo e penso... penso tanto o que a outra pessoa possa pensar que acabo não falando porra nenhuma e a minha comunicação fica prejudicada...
Queria ser mais relaxada... sem ter medo do que falo... sem ter receio de falar as coisas que penso...
Queria que alguém entendesse isso de mim... e me compreendesse... e que não achasse isso uma mera frescura... como se fosse a coisa mais fácil do mundo...
No fim... ainda tenho muitos problemas internos a resolver...
Tenho até minhas dúvidas se estou melhor mesmo, comparando com alguns anos atrás, ou não...
Enfim...
Enquanto não me deito (pretendo fazer isso já)...
Vou me afundando ouvindo essa joça...
E esperando piamente que esse sentimento suma com o sono... porque não estou numa época boa pra ficar me deprimindo, tendo tantas outras coisas a fazer e a me preocupar...

Ouvindo: Radiohead - Street Spirit (Fade Out)

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Apenas nove horas nos separam

Quando eu terminar de escrever esse post, serão menos de nove horas... mas... enfim...
Parece que a ficha ainda não caiu... como se eu tivesse sonhando que vou vê-la novamente...
rs

E esses dias estou com tanto sono, mas tanto sono, que estou até estranhando... é muito sono para uma pessoa só!
Segunda, antes de ir comer no Que Pankeka pela segunda vez quase que seguida, cochilei um pouco pra não ficar tão retardada, mas mesmo assim não resolveu nada.

Ah! E descobri, por fontes confiáveis, que eu realmente fico com uma aparência de que estou "secando" alguém quando estou com muito sono, portanto... tenho que tomar mais cuidado quando estou com sono. E o pior que é, nem sei pra que exatamente fico olhando... fico com um olhar tão vago, mas tão vago que nem pensar eu consigo... ou seja, a minha ex não estava totalmente errada... eu só não imaginava que eu ficava com essa aparência... mas as intenções continuam verdadeiras e ela continua me julgando mal... quer dizer, imagino eu que continue me julgando mal.
Enfim... não vou perder meu tempo falando da infeliz, sendo que tenho coisas mais alegres, legais e interessantes pra contar.

Na verdade... tinha um monte de coisas pra contar, mas simplesmente esqueci de todas!
ha-ha-ha

Esse post foi realmente inútil... mas é que não me vem mais nada na cabeça a não ser a Camila, e que vou ter que acordar cedo amanhã...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Portanto... fui-me!

Ouvindo: Miranda Sex Garden - The Wooden Boat

domingo, 20 de janeiro de 2008

Só uma observação...

De alguém que está muito bêbada...
De SONO!!!!

"Eu só quero é ser feliz... e nada mais!
Se é pra ser feliz com a Camila... que seja feita a vossa vontade!!!!
Dai-te em tuas mãos o poder de duas paixões se tornarem uma só!!!"

Pronto!
Desabafo feito!

*mentira, porque na verdade, tô preocupada em dar conforto durante a sua estadia... tanto conforto físico como conforto psicológico, emocional, o que for mais.

Sonhando: ZZzzzzZZzZzZZzzZzZzZ...

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Tédio combatido! - Parte 2

A saga de cinco dias em Fernando de Noronha

Eu sei... eu sei que é pecado não reconhecer os esforços alheios... mas eu reconheço que a minha mãe ralou pra pagar a nossa viagem pra Fernando de Noronha e ela queria MUITO ir... eu sei!!!
Eu não achei tão ruim assim... lá é muito bonito... as praias são lindas e a água então... meu deuses!!! É naquelas praias de lá que realmente dá vontade de ficar horas e horas brincando na água, e mandando se foder o sol escaldante, o sal da água e sua pele toda enrugada, desitratada e queimada!
Eu juro que me esforcei ao máximo pra ir em todos os lugares que a minha mãe queria... e fazer as vontades dela lá... eu tentei!!!
Mas... algumas coisinhas estragaram a viagem (pelo menos ao meu ver):

1) Lá não tem nada pra fazer, a não ser brincar nas águas do mar... e tudo é caro, impossibilitando, por exemplo, de eu experimentar o mergulho amador.
2) Tivemos a proeza de estar em um dia que choveu o dia INTEIRINHO, sendo que não era época de chuva.
3) Eu peguei uma gripe fudida!!! Essa foi o que mais matou as micro-férias de cinco dias!
4) Os cartões de banco que a minha mãe trouxe resolveram ficar de birra conosco, fazendo com que tivéssemos que economizar com o pouco dinheiro que ela trouxe. Tá bom... não era pouco, miserioso, mas tivemos que deixar de fazer ou comprar coisas com medo de acabar o dinheiro e a gente se fuder legal.

Chegamos quase no anoitecer, e no dia seguinte já começamos a fazer os passeios pagos caréssimos, rs.
O que que a gente fez mesmo primeiro???
Hhhhmmmmm....
Ah! Passeio de barco! Por sinal, MUITO BOM!!! Só teve um porém que logo conto...
O barco rodeia toda a costa da ilha... só que, só pro lado que fica virado pro Brasil, que as ondas são mais calmas... o pro lado que fica virado pra África é muito forte, então barco nenhum passa por lá.
Vi golfinhos pulando que nem veadinhos felizes e saltitante!
Huahuahuhauhauhauhauahuahuahuaha
Tinha uma pedra (no meio do caminho, rs) que fazia um barulho que parecia rugido de leão. Dizem que a pedra é oca dentro e quando bate uma onda lá, a água entra na parte oca e o ar de dentro sai, fazendo o barulho... é mor engraçado!
Depois paramos perto de uma praia pra gente nadar ou ficar bizoiando os peixinhos que tinha abaixo de nós (com a máscara e tudo né?). Vi um monte de peixinhos bonitinhos e coloridinhos... e vi também raias!!! Um com um rabão maior que o outro...
huahauhauhauahauhuhauahauhauha
E o porém que falei acima: tive a proeza de ficar enjoada dentro d'água!
Eu, boiando na água pra ficar vendo os peixinhos... de repente, fico meio tonta... e volto pro barco... daí senti um pouco de enjôo, mas só mal estar momentâneo mesmo... depois passou... única coisa que não passou foi o movimento do barco, o do "vai-e-vem", até depois de sair dela, porque depois desse passeio, fomos almoçar e eu fiquei um pouquinho numa lan... aí só via a tela do pc indo "pra-lá-e-pra-cá"...
ahuhahauhauhauhauahuahuahuahuahuahauhuah
E a tarde ficamos andando nas micro-vilas que tem por lá, tudo uma encostada na outra.

Dia seguinte fomos fazer o passeio pelas vilas, pontos históricos (se é que tem, rs) e essas coisas... e foi o fatídico dia que começou a chover no meio do passeio, tivemos que nos abrigar numa igreja (de novo! rs) e estragou o resto do passeio (que nem teve mais).
Caiu um pé d'água do inferno! E nem deu pra fazer nada a tarde por conta da chuva.

O outro dia fomos fazer um passeio que eles falam de "Ilhatur"... eles te mostram todas as praias da ilha, e dura o dia inteiro. E esse foi o outro fatídico dia que eu fiquei com uma gripe fudida! Fui de manhã meio mal... aguentei mais ou menos ir na primeira praia... já no segundo, a minha mãe foi sozinha e eu fiquei no carro morrendo... depois teve o almoço e já falei pra minha mãe que, se ela quizesse ir, que fosse, porque eu não tava aguentando mais de tão mal que tava. Aí, coitada... ela deixou de ir... esse dia que fiquei com muita pena dela. Mas, ela disse que a tarde, quando foi comprar remédio pra mim, ficou andando por lá perto.

Outro dia, me dispôs a ir de manhã numa praia onde tem um monte de restrição, tanto número de pessoas que entra, horário de entrada, quanto tempo fica lá, etc. Apesar de ter ido muito mal da gripe ainda, mas foi uma das melhores praias, pra mim. E vi uma bizarrice que, até agora... não entendo!
Estávamos eu e a minha mãe esperando a porteira de entrada pra ir na praia abrir (sim, porteira mesmo). Aí aparece um bugre com duas pessoas, o motorista e uma mulher super magra e branquela que nem leite. A bizarrice da história é que a mulher tava TODA COBERTA, se escondendo literalmente do sol, em plenas dez da manhã, onde o sol estava a pino. Ficaram por lá perto apenas uns cinco minutos e depois foram embora... e nessa hora, a mulher estava tentando cobrir a única coisa descoberta: o rosto!
Agora me pergunto: sabendo-se que Fernando de Noronha é só praia e sol... porque ela vai lá??? Gastar seu dinheirinho pra não aproveitar as praias de lá? Só pra olhar??? Aff maria hein!
Bem... de manhã foi isso e a tarde fiquei direto de cama que eu só tinha piorado...
he-he-he

O dia de irmos embora... a gente ainda tinha uma parte da manhã livre... aproveitamos e fomos conhecer alguns pontos que não tínhamos ido, mas indo de táxi mesmo (que era bugres, rs). E depois fomos embora pra casa!

Sabe o que me matou um pouco, fora a gripe?
Foi a maldita saudades que senti da Camila... mesmo que eu tenha visto ela somente uma vez, mas foi tão bom aquele dia... mas tão bom... que eu conseguia sentir falta dela... e aquelas empolgações básicas de querer ficar mais tempo com a pessoa, passar horas e horas ficando com a pessoa e bla bla bla...
Bem... a partir daquele dia, virei ema de novo!
hauahuahuahuahuahauhuha
Pior que eu não gosto de admitir essas coisas... que tô apaixonada, "in love", e bla bla bla... mas, fazer o quê??? Eu não sei mentir, nem disfarçar essas coisas... só olhar pra minha cara que já diz tudo! Que nem a Yumi do Maria-sama...
hauhauhauhauhauhauahuahha

Aliás... ficar na praia... meu deuses! Como é bom! E eu nunca imaginei que ia acontecer isso comigo... como se fosse num filme! Ficar com alguém na praia! Ficava até zoando com piadinhas de entrar areia onde não deve, ficar toda a milanesa... e no fim, também não escapei disso!
ha-ha-ha

Fim da segunda parte.... porque agora vou ter que sair na net... tenho visitas em casa...
=P

Ouvindo: Vive La Fête - Touche Pas

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Tédio combatido! - Parte 1

Como o próprio título diz...
Aí alguém me pergunta: com quê?
Com amor!!!!
hauhauhauhauhauhauhauhauhauhau

Foi uma coisa super espantosa, bizarra, rápida e boa!
E pra variar... mesmo sendo bom, tenho meus medos...
Enfim... vamos retroceder na história:

Estava eu, super entediada e de saco cheio de não fazer nada em casa, e resolvo procurar no orkut alguém de João Pessoa que curta metal, pra perguntar se lá rola algum evento ou banda. Achei uma pessoa... mas no perfil não estava o nome real, mas mesmo assim me arrisquei e escrevi pra essa pessoa, mas crendo que nem ia responder e nada...
Quando olho no orkut uma semana depois de ter escrito... meu deuses!!! Tô fudida!!!
hauhauhauhauhauhauhauhauhauhaha

Essa foi a primeira parte do encontro...

A segunda e a mais árdua parte foi: tomar coragem pra ligar pra essa pessoa e perguntar como chega no local e combinar horário e essas coisas, sem saber se quer o nome dessa pessoa.
Depois de muita insistência de alguém e reclamações da minha parte, tomei coragem e falei com essa pessoa.

Terceira parte: Chegar lá
Na verdade... o "chegar lá" nem foi o complicado... o pior foi eu estar no local sozinha...
Quando perguntei pra minha mãe como chega lá, ela ficou metendo medo em mim dizendo que era deserto, que é perigoso e bla bla bla. Então eu já fui me cagando de medo...
Quando chego lá... mor vazio!!! Não tinha quase ninguém na rua!!! E a pessoa ainda não tinha chegado... meu deuses! Vou morrer hoje! (pensei comigo mesma, rs).

Quarta parte: O encontro em si
A primeira vista, a garota não me parecia nem um pouco metida... e foi super simpática comigo... só me pareceu ser meio "bofinho" somente pelo jeito de andar, porque ela estava até que bem vestida... simples, mas não tava com roupa de "machinho". Enquanto eu... pppffff!!! E fui justamente meio moleque pra ninguém chegar perto de mim, logo porque eu tava levando muita coisa nos bolsos da calça como carteira, máquina digital, DOIS celulares, chaves de casa, etc.

Quinta parte: Tentar ser simpática
Como de lei, tenho vergonha e não costumo falar muito com pessoas que nem conheço... mas dessa vez fiz um esforço enorme de ficar puxando assunto com a garota... aliás, o nome dela é Camila, rs.
Fiquei lembrando das comunidades que ela participa pra perguntar os gostos dela (essa foi a minha tática, he-he-he). E não é que deu certo? Para uns primeiros papos, falei até bastante!
Só que aí, uma amiga dela chegou e miou tudo... fiquei mor calada por um bom tempo, rs.

Sexta parte: Cantadas
Não fiquei mais puxando assunto e só respondia quando me perguntavam algo. Mas mesmo assim, sempre tentavam puxar papo comigo, inclusive a amiga da Camila, que também foi mor simpática.
E nas horas que a gente ficava vendo as bandas tocando... nossa! Eu via cada secada que a Camila me dava... mas só olhando de lado, sabe??? E umas cantadas... uma atrás da outra... mas, super discretas.
Não sei que milagre aconteceu comigo, porque eu sou super tapada pra essas coisas, mas com ela, eu percebi TUDO! E tô mais espantada ainda porque foram cantadas super discretas, umas coisinhas tão pequenas ou tão rápidas que, se você não percebe na hora, já era. E ninguém viu, desconfiou, notou nada.
Foram secadas, deixar eu passar em qualquer lugar primeiro, algumas coisas que ela falou que eu saquei que foram pra mim (só não me perguntem o que foi que eu não lembro mais), e o mais "na telha"...
Foi quando pegamos carona com alguém pra deixarem a gente lá na praia (que era caminho de casa também), e foi abarrotado de gente. Eu sedi meu lugar de encosto pras costas e fiquei sentada bem na pontinha do banco, e fiquei de costas pra Camila. Ela ficou a viagem toda coçando as minhas costas, bem discretamente. E eu gostei!
hauhauahuahauhauhahauhauhauha

Sétima parte: A praia
Chegamos na praia, ficamos andando no calçadão até chegar perto de casa, daí que fomos sentar na beira da praia mesmo. Ficamos conversando sobre várias coisas e outra coisa me surpreendeu... ela foi uma outra fudida da vida! (rs)
Só modo de dizer... porque a linha de pensamento dela foi um pouco diferente da minha, porém a situação foi a mesma... com um leve agravante de que ela morou com a namorada sob o mesmo teto por dois anos, e não deixou de sofrer mesmo assim.
Outra coisa parecida foi a história de curtir o ato em si com homens. Não lembro como começou esse papo de sexo e tal, sei que falei que eu não curto homens porque não sinto nada por eles, mas que tenho medo de transar com eles por talvez acabar gostando do sexo em si, mas com relação a sentimentos, eu tenho certeza que não sinto nada. E ela falou que tem essa mesma nóia que a minha.
Que coisa hein!
Aliás... tem muitas coisas parecidas entre a gente...
É um caso a pensar...
Enfim...

Oitava e última parte: A revelação
Estávamos sentadas na areia, uma do lado da outra, conversando e tal, até que uma hora ela pergunta pra mim: posso me deitar e encostar minha cabeça nas suas pernas?
Óóóóóóóóóbvio que sim!!!! (só não falei assim, huahauhauhauhauhauhauha)
Aí ela deitou normal e continuamos a conversar... já tinha amanhecido e comecei a ficar preocupada com o horário de chegar em casa. Daí fiquei falando que eu já precisava ir, e ela falando que ainda tava cedo (ah tá, rs).
Continuei a conversar mais um pouco com ela, e depois falei de novo que precisava ir e meio que ameaçando a me levantar.
Ela falou: não vai não! (levantou a cabeça e puxou um pouco a minha pra baixo)

^^

Uuuuuu-la-lá!

Outra surpresa: piercing na língua!
Nossa!!! E como usa bem ele!
huahauhauhauhauahuahuahauhauhauhauh

E todo aquele redemoinho que você sente quando gosta de alguém e tal... quando o beijo está muito bom... aquele sentimento bom e gostoso de saber que alguém te quer... e eu também! (rs)

Outra coisa que me surpreendeu: me entregar dessa forma logo no primeiro dia que eu conheço a pessoa.
Pensando melhor... já fiz isso sim... com a PL maldita, mas prefiro nem contar com isso. Com pessoas que eu considerei/considero, essa foi a primeira vez sim. E não me arrependo!
Voltei pra casa contente e feliz... pulando que nem um veadinho no mato...
hauhauhauhauahauhuahahauhauha

E pra minha tristeza... voltei pra casa só pra cochilar um pouquinho, porque depois de algumas horas, eu ia viajar pra Fernando de Noronha... e fiquei sem ver ela por cinco dias.

Pronto! A primeira saga contada por completo!
=P

Cansei um pouco de ficar na frente do pc só escrevendo... portanto... por enquanto... vou me encerrando...
Porque tem MUITAS histórias pra contar!

Ouvindo: BlutEngel - Bloody Pleasures