segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Obs...

Apesar de todo lero-lero que fiz no post abaixo... em geral estou feliz...
*que milagre eu falar isso
Mas... um dia... eu teria que admitir né? rs
Portanto... agradeçam a Camila!
rs
E a minha loucura valeu a pena!
*pelo menos eu não me arrependi nem um pouco
Só tô um pouco endividada...
he-he-he

Sabiam que eu já me declarei a ela?
\o/
*como se isso fosse interessante pra vocês
Pra quem me conhece, sabe que um "te amo" não se sai a toa da minha boca...
Portanto...

^.^

Besteira minha me gabar por isso... mas... sei lá... pelo menos uma vez na vida eu tenho que me sentir feliz com isso né?
rs
Um mês...
Foi muito bom! Mesmo!
Sinto saudades...
E sinto falta...
Assim como já dito uma vez:

"Ich liebe dich, mein Engel!"

Música de fundo: Mazzy Star - Flowers In December

Confusa, abestalhada ou pura falta de utilização do cérebro?

Estou confusa... ou aflita... ou angustiada... não sei... simplesmente não sei bem o que é exatamente o que estou sentindo...
E como sempre... essas coisas sempre se ativam depois de ouvir alguma música, ou de ver algum anime, qualquer coisa assim...
Estava vendo Kashimashi e sinceramente, de primeira, pelo que tinha ouvido da história, achei que não ia gostar, mas agora tô gostando (por enquanto)... aguardando ansiosamente pra ver como termina aquela bagunça toda!
E foi justamente naquela bagunça de sentimento que o anime explora que me deixou assim...
História: Um garoto que sem querer foi atingido por uma nave e reconstituíram ele, só que em forma de garota, tendo de conviver com o seu novo corpo e seus amores sobre outra pespectiva. Só que o indivíduo (pelo menos até onde eu vi) tem duas garotas nos seus pés, mais o seu melhor amigo e mais uma garota que parece também se interessar por ele (que agora é ela, rs).
Enfim...
O que me chamou a atenção nesse anime é... como o povo tem tanta coragem pra falar na cara o que sentem uns pelos outros. E isso me inveja, de uma certa forma...
Tenho tantos receios... tenho tantos medos... que as vezes isso me irrita e me atrapalha... e eu não sei mais o que fazer pra melhorar isso, porque tentar falar por conta própria, já vi que não dá certo...
Não sei... as vezes falo demais... as vezes sou recatada demais...
Sou incrível... nem eu me conheço...
Durante esses meus vinte e um anos de idade... e ainda não me conheço...
Assim como eu me decepciono muito fácil comigo mesma, acho que, mesmo sem querer, acabo decepcionando os outros...
Não tomo partido pra nada... nem com as minhas coisas...
Sou muito relaxada... preguiçosa...
O que eu conquistei durante a minha vida? Nada!
Nada que tenho é meu... sempre a custa do dinheiro dos meus pais...
Nada que tenho é meu de fato...
Nada que eu tenho foi do meu esforço...
Eu mereço alguma coisa?
As vezes, até penso que não mereço amor de alguém...
Mereço?
Do que estou reclamando?
Tenho tudo... mesmo não sendo do meu suor...
Reclamando de barriga cheia...
Ouvindo o maldito Radiohead, que é um verdadeiro retrocesso na vida de qualquer pessoa...
Radiohead lembra muito o meu passado...
Meu passado...
Do quanto me deixava muito mal querer desejar tanto ter uma relação afetiva verdadeira e séria com alguém... ao ponto de me cegar e pegar qualquer tranqueira que aparecia na minha frente...
Do quanto eu brigava, discutia, batia boca com a minha mãe...
De como me sentia super só, mesmo rodeada de gente...
Do quanto, na época, odiava São Paulo...
Do desespero de procurar alguém que suprime minhas carências afetivas...
Enfim... passado é passado...
Não sou museu...
Mas as vezes parece bom você querer se sentir mal...
Pensando melhor... acho seriamente que tenho algum problema com isso...
De ser uma masoquista sentimental...
Mesmo sem motivos pra isso, procuro alguma coisa pra me sentir mal...
Não é toda hora, a todo momento... mas, as vezes, dá vontade sim...
Alguém já me viu chorando de verdade? De chegar a soluçar?
Difícil...
As vezes também dá vontade de chorar na frente de algum amigo... só pra encostar no ombro e me sentir um pouco mais confortável... mas no fim, não faço isso... não é legal ficar preocupando os outros a toa...
Acho que no fundo... sou uma criancinha mesmo... sempre querendo mais atenção, carinho, mimos...
Sempre querendo colocar uma armadura de independência...
Não que eu queira ser dependente de alguém e essas coisas... mas... sempre quebro a cara, me vendo pedindo isso ou aquilo.... gostando dos "mimos" recebidos...
Não sei se isso é digno... mas, como já falei acima, eu não me acho muito digna de receber tanta atenção, carinho e essas coisas como eu recebo de algumas pessoas...
Não confio no meu taco... não tenho confiança...
Incrível como as vezes nem eu mesmo confio em mim mesma...
Não sei se isso foi trauma da última relação, ou sempre fui assim, ou se isso é idiotice minha...
Mas.... tenho muito receio das coisas que falo e penso... sempre achando que até comigo mesma eu posso me enganar...
Como se minha mente fosse outra pessoa... sei lá...
Meu deuses!!! Como eu sou idiota!!! Olha a merda que estou falando...
Será que a Camila me aguentaria deprimida? Sempre me rebaixando, falando que sou isso ou aquilo? Tem gente que não gosta disso e não tem paciência... pior (ou melhor, não sei) que ela não conheceu pessoalmente esse meu lado...
Aliás... que engraçado... ela me conheceu de uma forma totalmente diferente...
Acho que, todas as pessoas que tenho consideração, sempre me conheceram na minha fase deprimida, exceto a Camila.
E a Sheyla também... logo porque ela me conheceu quando eu era pirralha, então nem conta...
A Beatriz também...
E eu não tomo rumo algum...
Quando eu aprenderei isso?
Me sinto mal com isso... de não ter nenhum estímulo, vontade de fazer algo... trabalhar, arranjar meu próprio dinheiro, de porra nenhuma...
Me sinto mal e continuo não fazendo porra nenhuma...
Nem me dedicar aos estudos estou...
Pelo menos eu pretendo fazer isso esse ano, logo porque, se eu não fizer, vou bombar, vou me fuder e com certeza, pensarei até em desistir do curso. Porque, não tem coisa pior que fazer trabalhos práticos com uma turma totalmente desconhecida pra você?
Sim... ainda tenho sérios problemas de sociabilização... achei que tivesse melhorado, mas acho que não muito...
Aliás... acho que, pra eu pegar alguma afinidade por alguém, esse "alguém" tem que ser bem delicado comigo aos primeiros contatos. Será que é isso? Nem eu mesma sei!
Sou muito sucetível a grosserias, agressões diretas e indiretas, e essas coisas (na verdade nem sei bem o que significa sucetível, mas tô escrevendo, crendo que tenha algo a ver com sensibilidade).
Admito até que, as vezes eu vejo grosseria onde não existe. Muita gente acha isso como se fosse uma frescura minha... mas vejo isso como um ponto forte meu...
Deveria ser né?
Enfim...
Só queria ser mais tranqüila com as coisas que falo e penso... penso tanto o que a outra pessoa possa pensar que acabo não falando porra nenhuma e a minha comunicação fica prejudicada...
Queria ser mais relaxada... sem ter medo do que falo... sem ter receio de falar as coisas que penso...
Queria que alguém entendesse isso de mim... e me compreendesse... e que não achasse isso uma mera frescura... como se fosse a coisa mais fácil do mundo...
No fim... ainda tenho muitos problemas internos a resolver...
Tenho até minhas dúvidas se estou melhor mesmo, comparando com alguns anos atrás, ou não...
Enfim...
Enquanto não me deito (pretendo fazer isso já)...
Vou me afundando ouvindo essa joça...
E esperando piamente que esse sentimento suma com o sono... porque não estou numa época boa pra ficar me deprimindo, tendo tantas outras coisas a fazer e a me preocupar...

Ouvindo: Radiohead - Street Spirit (Fade Out)