domingo, 15 de junho de 2008

O Gato de Botas rindo da minha cara

Pra falar a verdade, eu nem vi a lua pra saber se está mingüante ou crescente (até agora também não aprendi qual é que tem o formato de um sorriso ou de tristeza)... enfim... o que me veio a cabeça agora é ver a lua com o formato de um sorriso, que imediatamente me remete ao referido gato de botas do Alice no País das Maravilhas... ele está lá em cima, rindo da minha cara...

Mais uma das minhas crises melodramáticas de que ninguém se importa comigo, que ninguém está cagando e andando pra mim, e essas porcarias todas...

Essa semana que passou (especificamente) foi super-hiper-mega-ultra corrigo, por causa do negócio do sitcom, e um workshop no sábado de captação de áudio direto. Tive que ficar acordando cedo (menos na sexta).
Enfim... o que importa, certo?

Estava vendo um documentário falando sobre uma escola no Texas direcionada a receber alunos homossexuais. Eu peguei pela metade (pra variar), e ele relatava a vida de cada aluno e da coordenadora da escola.
A cena que citarei a seguir é, para alguns, a coisa mais boba, estúpida e inútil de ser lembrada, mas no momento podemos dizer que estou muito "ema"... não sei te dizer se estou emotiva demais, ou minha sensibilidade está aflorada ou irritada demais.

Tá...
Uma da alunas tinha uma namorada... ambas tinha a faixa de vinte e dois, vinte e três anos... estão namorando a um tempinho que eu não sei quanto... teria um baile na escola, só que era um propótipo de "baile-matinê" (só pra menores de dezoito anos)... a aluna queria muito ir nesse baile com a namorada... o que a namorada fez? Arrumou a casa da menina toda com velas, balões, taça de suco de uva, musiquinha melosinha.... tava mais pra um encontro que um micro-baile em casa... mas, aquela "babaquice" toda me envolveu de uma certa forma que... não sei explicar...
Na verdade, até saberia explicar... mas serão dez mil teorias pra isso...
Vamos logo abrir o jogo dessa porra toda:
Eu tô carente.... eu tô sentindo uma necessidade enorme de ser cuidada... e aquilo tudo que vi me frustrou, me entristeceu, me deixou pensativa, sei lá mais o que senti...

1) Frustou: porque a menina, com a mesma faixa etária que a minha, tinha uma estabilidade amorosa muito boa e tranqüila... tudo bem que o documentário foi feito em torno de 2001, 2002... mas, sei lá... porque não poderia ser eu? Depois falou que em 2004 as duas se casaram...

2) Entristeceu: porque eu queria estar na mesma situação que o dela... ter alguém que me queira, que goste de mim, que cuidasse de mim... não que não exista essa pessoa... mas a porcaria da distância está começando a realmente me incomodar... e quem me conhece sabe, eu não dou conta de me controlar as vezes... tenho medo de me estourar e fazer alguma merda ou besteira...

3) Me deixou pensativa: já citei acima... porque não comigo????

4) Sei lá mais o que senti: entenda o que quiser... imaginem o que quiser... nem eu sei o que senti depois das citadas...

No momento, estou com o meu lado emotivo muito bagunçado... eu não sei se foi devido ao cansaço e stress que passei com toda a trabalheira do sitcom, e agora ficar correndo atrás das coisas que nem uma louca com o TCC. Não teremos férias simplesmente... teremos que ir todos os dias a partir dessa segunda-feira pra faculdade, pra fazermos reuniões e adiantar uns cenários pro curta-metragem, passaremos o mês de julho inteiro gravando...
Cara... eu acho que eu não presto pra trabalhar em produção... eu me preocupo demais, canso muito a minha cabeça, estresso num instante, e assim vai...
Continuando... eu tô me sentindo muito presa em mim mesma... querendo fazer umas coisas impulsivamente, e algumas idiotices sem motivo algum, por exemplo, querer gritar ou xingar até me cansar, oras chorar que nem uma retardada, oras não fazer porra nenhuma, e assim vai.
Tô muito afobada sem motivo... não sei explicar bem... sabe quando a sua cabeça está cheia, mas você não sabe do quê??? Mas... você sente... ela está BEM cheia!
É mais ou menos isso...
Não tô mais com saco pra sair... as vezes quero ficar sozinha em casa, sem ninguém me encher o saco... as vezes quero sumir daqui de SP e ficar em algum hotel de luxo em outra cidade, mas sozinha (se eu tivesse grana, eu faria mesmo)...
Eu tô muito chata... eu tô muito cri-cri... eu tô realmente escrota... não estou tendo nem paciência comigo mesma...
Queria dormir e acordar daqui um mês, por exemplo...
Eu simplesmente estou cansada... mas não sei do quê...
Apesar de eu estar me cuidando física-mentalmente, parece que os meus próprios cuidados não estão sendo suficientes pra eu me sentir bem... acho que tô precisando urgentemente de alguém que fique mais próxima de mim...
Sei lá... algo está me frustando... algo está me irritando... algo está me cansando...
Eu já tinha meio que prometido a mim mesma que não iria priorizar tanto essa minha necessidade amorosa constante que tenho, e tentar focar mais em como me manter, trabalho, qualquer outra coisa, menos o meu coração.
Mas que merda!!!!!!!!
As vezes eu queria ser menos sensível pra essas coisas...
Eu quero sossego pro meu coração!!!!!
E... sim! Meu mau humor está realmente insuportável!
Por favor... digam que é apenas "hormônios"... porque estou "nos dias"....
Será que eu sempre tive TPM e nunca saquei???
Mas eu não lembro de ficar assim em épocas de menstruação...
Enfim... sou mor tapada pra essas coisas também...

Será que existe alguém no mundo que consegue me entender????
Ou eu sou tão complicada que ninguém tem saco pra me entender???
Sim... estou egoísta e egocêntrica no momento...
Portanto... se não tiver saco de me aguentar, nem fale comigo!!!!!!

Sabe o que é pior disso tudo???
Que essa minha "revolta" (que não é bem uma revolta), é só por causa de cuidados...
Podem falar na minha cara... eu sou muito estúpida... não é?????

*eu já sabia

*Ouvindo: Gigi D'Agostino - I'll Fly With You