sábado, 20 de setembro de 2008

Tirando teias desse lugar

Depois que percebi que eu estava realmente doida escrevendo que o Gato de Botas aparece em "Alice no País das Maravilhas"...
Mas, vi um sol com cara de drogado, com um fusca rosa (ou lilás?), junto com o bonequinho da Vivo num país das "maravilhas"...
(vide álbum do orkut, rs)

Vim tirar um pouco as teias daqui... aliás, eu preciso fazer isso aqui no meu quarto que está um lixo total... assim como minha vidinha está meio sem graça e talvez, reclamando a toa... um lixo também...

Na verdade, não tenho nada a reclamar...
Estou terminando a faculdade (tudo bem que era pra terminar esse ano, mas resolvi adiar mais um semestre), consegui arranjar um estágio (apesar de que provavelmente não será remunerado), não estou me matando muito esse semestre (só quando me chamam pra fazer algo do estágio ou que ganhe cachê).... e assim vai...
Até um tempinho atrás, achava legal ficar fazendo as coisas da faculdade, assistência de produção e essas coisas... me matar pra ver o negócio bem feito e legal... mas agora eu já me "acostumei" com esse ritmo (talvez, eu acho).... e já não estou achando mais graça... ou talvez, já não me acho tão útil quanto deveria ser...
Esse sentimento estúpido de se sentir útil ou não, as vezes me mata...

Outra coisa que está começando a me pertubar é o meu maldito coração...
Tô começando a sentir falta de alguma companhia mais íntima... ou, talvez (como eu não tenho certeza de nada, pra variar)... sinto falta de uns mimos e carinhos... umas coçadas na cabeça e essas coisinhas mais "meiguinhas" que eu não gosto de admitir, mas que no fundo eu gosto... e sinto falta...
Ultimamente ando lembrando muito da Renata... talvez porque ela foi a última pessoa a qual me deu um pouco de carinho... não que eu queira voltar com ela... isso jamais! Mas, sinto falta dessas coisas mais "táteis" (se é que posso falar assim)... táteis, mas não sexuais, se é que me entendem...

Ando querendo me deprimir... não queria ficar assim... eu estava ótima quando não pensava nessas coisas... quando me sentia muito bem estando livre, sem estar presa por ninguém e por nenhum sentimento...
E nessa história toda, me veio a tona o meu maior ódio: ficar sozinha... morrer sozinha...
Não estou com saco pra sair... preguiça até de comer (o que não é novidade, rs)... mas, a preguiça está acentuada demais... durmo demais... sei lá...
E sempre que penso em solidão, sempre me vem a cabeça a história de ir pro Japão... talvez seja meu pensamento masoquista: querer ir lá pra ficar realmente sozinha e me fuder até eu me suicidar, ou qualquer coisa do gênero...
Quem dera se eu tivesse coragem de tirar a minha própria vida... eu sou covarde demais pra isso...

E cada dia que passa, parece que mais exigente fico em "idealizar" a minha companheira...
Gostaria de ter alguém que tenha uma personalidade mais estável, ou que seja mais "pé no chão" e ao mesmo tempo gostasse de mimar ou fazer carinho...
Ai.... que merda!

Fico pensando agora... talvez eu tenha até recebido carinho demais e nos momentos, eu não me satisfiz com o que eu recebia... ah! Sei lá!
Eu mudei bastante, eu sei.... ando mais egoísta... mais egocêntrica... quero alguém que seja igual, que faça as coisas mais iguais e humanitariamente... da mesma forma que eu me jogo nos pés da pessoa, gostaria que fizessem isso comigo também...
Também estou mais intolerante... não sei se isso é bom ou ruim de fato... mas, ao meu ver, acho que é um pouco ruim.... porque, as vezes, não consigo mais ver coisas boas nos outros.... acho que tudo é pros outros se fuderem, ou fala por mal, ou faz de propósito, e essas coisas...
Ai... que merda!

E pra variar... eu só reclamo...
Com outras coisas, quando realmente preciso, eu corro atrás...
Mas...
Procurar uma pessoa...
Tô simplesmente "esperando" que a pessoa venha a mim...
Porque já cansei de procurar... e por puro relaxamento meu mesmo de não sair de casa, por exemplo....
Se eu esperar....
Vou morrer sozinha...
Mas também....
Não quero sair "a caça"...
Pessoas não são animais!
E eu não sou um cavalo (ou égua, enfim)!

Sou a Lady Fudaida!
(ha-ha-ha, piada interna)

-_-

Quando vou aprender a ser gente grande?

Pior que eu continuo com a mesma e babaca ideologia de quando eu era pirralha-pré-adolescente: querer um "amor" pra minha vida...
Porque eu sou brasileira, e não desisto nunca!
(isso se chama BURRICE)

Eu tenho que parar de procurar isso...
Se eu não fosse tão carente e burra, talvez minha vida estaria um pouquinho melhor...
Ou não?
Talvez... menos angustiante...

Falando nisso... "Ensaio Sobre a Cegueira" é foda... ainda não assimilei bem o filme porque algumas partes do filme me deixaram com muita raiva... mas acho que, depois que passar essa fase "raiva", vou dizer que gostei do filme... mas é também angustiante...
E quem disse que eu prestei atenção nos planos e enquadramentos do filme?
(que deveria ser uma coisa que EU deveria prestar ao menos um pouco de atenção)

Mas pelo menos prestei um pouco de atenção no som... e notei uma pequena falha de som entre uma cena a outra... de você ouvir que mudou de cena pelo som... e tenho quase certeza que não foi proposital.... e ficou feio!
Fora toda aquela atmosfera de "brancura" que irritava os olhos... ficar cego "vendo" o fundo preto deve ser mais tranquilo e menos angustiante que um cego que "ver" o fundo branco (se é que existe de fato a versão branca)...

Ah!
Eu seria uma péssima analista de filmes...
Seria não... sou!

Tem alguma coisa que eu sei fazer ou que eu prestaria fazer?

Nesse momento gostaria de estar chorando que nem uma criança... de chorar até cansar ao ponto de dormir... mas, algo me impede de que as águas salgadas banhem o litoral de suas praias... talvez, a insensibilidade seja o problema disso tudo...
Ou, a indiferença me tornou um monstro?

Que merda...

Tô me sentindo um lixo...

Acho que só uma pessoa estranha que nem eu ache a lágrima algo valioso demais pra ser demonstrado pra qualquer pessoa... igual a frase "eu te amo"...
Por mais que eu queira chorar perante os meus amigos... mas, não consigo...
Não sei explicar o porque... simplesmente não sei...

Outra coisa idiota: as vezes sinto falta de falar coisas sérias, ou coisas minhas, ou coisas dos outros que sejam sérias... ultimamente só ando falando bobagens entre colegas, e essas coisas... ou coisas talvez até sérias, mas não sérias emocionalmente...
Enfim... gente idiota que nem eu que fica analisando coisas tão medíocres como esses que falo... afinal, isso aqui é uma das minhas opções de "escape"....
(coisa de nerd sem amigos, pra falar a verdade)

Enfim... diário de uma retardada...

Ouvindo: Barulho do teclado misturado com buzinas, som de carros, ventos, pensamentos, música de abertura do "Chobits" e "Elfen Lied"... choros... resmungos... implorações... pedidos... vozes do além... (gostaria muito de não sonhar com alguém me fazendo carinho, são momentos péssimos pra se sonhar com isso)

Obs.: As vezes queria ter aquela sensação estranha e horrível que tive de quando a Camila esteve aqui em casa, de sentir uma pessoa incorporando em mim, tirando minha alma pela minha boca, e não conseguir me mexer, fazer nada... por quê? Perguntem pra minha cabecinha de vento! Porque eu não sei te responder...