domingo, 27 de dezembro de 2009

Perdi uma amiga...

De verdade...

=........

sábado, 26 de dezembro de 2009

Começo do abismo?

Quando eu deixei de ir pra psicóloga, ela me lembrou de não me afundar muito do trabalho, porque quando eu invento de querer trabalhar, esqueço todo o resto da minha vida.
Será que é isso que quero na vida?
Será que é isso que está ocorrendo?

(brisando)

Vamos no atualizar... certo?
Estou de casa nova... quer dizer... apartamento novo... num conjunto de prédios que fica praticamente ao lado de onde eu morava, ou seja, quase não mudei de lugar.
Mas, nada mudou....
Quer dizer...
Mudou sim....
Ou eu acho que mudou, mas no fundo não mudou absolutamente nada?

(mudando de assunto novamente)

Tenho um segredo a contar para alguém.... mas eu não gostaria de contar para essa pessoa agora pelas festividades e por todos os outros motivos que não convém escrever aqui. Só sei que ando com esse peso na consciência há uma semana.
E fica esse dilema...
Conto agora, pra não ficar adiando mais do que já adiei, e a pessoa ficar menos chateada que eu deixar pra ano que vem? Ou é melhor deixar pro ano que vem?
Acho que vai baquear muito a pessoa.... e não queria deixar a pessoa mais mal do que já está.
O que fazer???

(pensando)

(pegando o telefone)

.......

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Me odeio!!!!

Por ser tão carente assim...
E necessidade constante de atenção (e nunca é suficiente quando recebo)....

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Sumiço

Se eu pudesse... sumiria por um mês...
Sei lá fazendo o quê... mas sumiria...

Ou sumiria de vez...

Enfim...

Parece que tudo por dentro está morrendo... secando... muchando....

Meu pai vai vir pra SP de novo.
Minha mãe mandou que eu fizesse meu pai dormir na minha casa.
E eu faço o que?

Eu tô precisando urgentemente de alguém que faça parte da minha vida.
Porque assim não tá dando certo.
E não sei até onde eu vou... eu aguento...

Puff Daddy & Fugees - I'll Be Missing You

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Solidão

Duas coisas que andam me incomodando bastante com relação ao título:

1) Falta de carinho.
2) Falta de falar tudo que vem na minha cabeça... desabafar... reclamar... conversar... xingar... chorar.

Eu não sei até quando vou aguentar isso...
Eu realmente sou muito dependente dos outros, e isso me entristece de uma forma que...

Fora todos os problemas, sufocos e estresses que ultimamente ando tendo no serviço. Só estão abusando da minha boa vontade, da minha burrice e cagonisse de não falar logo as coisas que me incomodam ou que eu acho que não vou dar conta, tudo por medo de perder o emprego. É tanta gente sendo despedida, até pessoas que nem tinham motivos tão fortes pra ir embora.
Enfim...
Eu tô ficando cansada...
Cansada....
Cansada fisicamente...
Mentalmente...
Espiritualmente...
Principalmente meu coração burro.

Quando vou aprender?

Pensando em: Mazzy Star - Flowers in December

domingo, 18 de outubro de 2009

Quero ir logo pra casa!!!!

Afogar as minhas mágoas em um belo travesseiro, cheirando a novo...
Tirar todas as minhas buguigangas empacotadas e endireitá-las em seus cantinhos...
Deitar na minha cama e poder pensar no que quiser, sonhar o que desejo, me iludir com o que posso (e com o que não posso também)...
Acho que tô precisando de um colo...
E mimos...
Só isso já me bastaria no momento...

sábado, 17 de outubro de 2009

Tô mal...

... ao ponto de voltar a me incomodar em ver casalzinhos se beijando e parecendo felizes estando ao lado da pessoa amada.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Inspiração ao BuddyPoke de 12 de outubro

Choras por que?
Choras por que, meu pequeno anjinho?
Desnudada de malícias...
Cheio de amor pra dar...
Mas não sabe pra quem dar...
Não sabe ou não tem.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Conclusões

1) Acho que, desde que eu me conheça por gente, deveria ter guardado todas as minhas raivas, tristezas, mágoas, sofrimentos, alegrias, felicidades, divertimentos para mim mesma.

2) Eu TENHO QUE PARAR de esperar que os outros me entendam, principalmente alguém que, quem sabe, dividirá a vida comigo (se é que um dia, esse dia chegue).

3) Eu PRECISO dormir agora pra ter pelo menos duas horas de sono.

Admita!

Sou uma decepção na vida de qualquer pessoa.

Par perfeito:

... a sinceridade ... (que nunca aprendo em obtê-lo)

domingo, 11 de outubro de 2009

Decepcionante

Como alguém pode gostar de alguém que se decepciona consigo mesma?
Por que tenho tanta dificuldade de me relacionar com qualquer pessoa?
Eu não sei se seria melhor ser como eu sou (um ser deprimente e que só sabe falar das coisas ruins da vida e de tudo), ou ser aquelas pessoas que vêem alegria em tudo, e nem se lembram de suas mágoas ou tristezas.

Hoje... excepcionalmente hoje... me sinto completamente só... tão só de não ter nem forças pra falar as coisas que penso, as besteiras que passam na minha cabeça.
Tudo me vem.... mas nada é externado.

Um assunto nada ver agora...
Depois de quase duas semanas direto sem poder dormir até mais tarde, tive o prazer (ou o azar) de dormir até mais tarde hoje... porém, acordei tão quebrada, mas tão quebrada que, sinceramente, não sei de onde vieram essas dores. Não carreguei peso nenhum, só trabalhei e depois sai, mas nada tão exaustivo demais. Sei lá... acho que tô precisando seriamente de um bom banho de sal grosso.

Queria mesmo era ir pra minha real casa, pra conversar e desabafar com as paredes que tem ouvidos mas não me enxergam, da qual não faço isso há dois meses... e isso já está me sufocando um pouco.

Por que sou tão dependente dos outros? Juro que não queria ser assim!

Ouvindo: Portishead - Glory Box

domingo, 9 de agosto de 2009

Anotações anteriores, posteriores, cotidiano.... tudo passado...

SONHO

Tive um outro sonho bem chatinho, só não vou lembrar quando. Só lembro de que eu tava andando rápido, as vezes correndo, pra fugir da minha mãe e uns tios meus que estavam com ela. Eu sei que estava super chateada e irritada com ela por alguma coisa que fez, mas que até agora não sei o que foi. E eu querendo chorar, mas não conseguia porque tinha que me preocupar em me afastar logo e o mais longe possível dela. Entrava em lojas, corria na beira da praia, andava no meio da rua movimentada, cheguei até em pegar um ônibus pra qualquer lugar, um lugar que nem sabia pra onde ia, só pra perdê-la de vista.


TÓPICOS ANTERIORES

Sem vontade de fazer nada
Votei com essa história... de não ter mais saco pra fazer nada, de ir pra qualquer lugar... só querendo ficar em casa... comendo e dormindo. E mofando e morrendo aos poucos.

Ficando fechada
Sinto que volto a me fechar novamente... acho que minha relação com todos está um tanto quanto "complicado". Quase não falo com quem eu costumava falar, acho que a única pessoa com quem falo quase que diariamente também não anda bem das pernas, praticamente DR todo o santo dia. Os únicos que não tem como não falar é o povo do trabalho, mas aí, de menos.

Conspiração constante
Ultimamente tô tendo umas pirações terríveis de que todos conspiram contra mim: o povo do trabalho, o povo lá da faculdade com quem fazemos projetos juntos ainda, com quem discuto DR (sendo que, a mesma sempre me faz lembrar que não temos relação nenhuma), etc. Eu tô ficando irritada e cansada com isso, mas tô numa superproteção de minha pessoa tão grande que tá ficando difícil não pensar sempre em merda, besteiras ou coisas negativas em qualquer coisa que as pessoas falem. Tá foda! E um dia eu vou acabar me matando por isso.

Loucura
Consequentemente, isso recai pra loucura... acho que estou querendo entrar num ponto que estou confundindo realidade com imaginação. O que realmente existe e o que são apenas suposições. E obviamente, aquele clichê básico que todos imaginam, mas que é inevitável não falar ou pensar sobre: eu não quero ficar louca! Eu simplesmente não sei mais o que fazer.


TÓPICOS POSTERIORES

Desejos errantes
Eu já estou quase concluindo que sou uma pessoa muito escrota e burra, e que nunca mais vou aprender a ficar independente emocionalmente, e até pra fazer determinadas coisas. Daí me veio a pergunta: por que eu não posso obter a minha felicidade procurando alguém que queira cuidar de mim e que eu fique quase que completamente dependente dessa pessoa? Tanta gente que possuem manias ou problemas mais bizarros que meu e que são, a vista da "sociedade", atitudes tão erradas e feias, mas a pessoa faz do seu jeito e vive muito feliz com isso, mesmo sendo "marginalizado" por isso. Por que não posso ter essa pessoa, que também não se incomode com isso e pronto?


DIA-A-DIA DESTE SER INSIGNIFICANTE

É apenas para documentar o caso, antes que me perguntem, mas... achei que nesse dia eu iria pra cima e não ia voltar mais.
Foi na quinta-feira. Fui de carro pro serviço porque depois iria pra minha última sessão de psicóloga (eu que resolvi não querer ir mais, sem saco mais pra ir, óbvio que dando uma mentira feia sem nexo). Só que, logo que botei o pé pra fora, eu comecei a ter uma puta dor de cabeça do nada. Daí fui numa drogaria que tinha perto e comprei remédio, tomei... mas, depois de ter subido duas quadras depois da drogaria, vi que não ia dar certo... entrei na primeira rua que pudesse virar pra minha direita, estacionei num buraquinho de vaga que tinha na rua, fui pro banco de trás e me deitei. A dor de cabeça estava tão forte, mas tão forte, que estava me dando ânsia e tudo. Achei que ia vomitar o carro todo, e que ia ficar desmaiada, toda largada, no banco de trás. E durante o tempo que fiquei deitada, eu liguei pra psicóloga cancelando a sessão. Tenho certeza que ela deve ter achado que era mais uma desculpinha pra não ir lá ou qualquer merda assim, mas foda-se, eu passei mal, e como!
Depois de uma hora e meia, melhorei da ânsia, mas ainda sentia umas pontadinhas de leve na cabeça, mas deu pra ir embora pra casa. E quando cheguei em casa, tudo passou! Achei que não ia conseguir jantar, mas comi numa boa.
Agora, eu não sei se essa dor de cabeça repentina deu por eu estar menstruada ou foi outra coisa incógnita. Enfim... ainda bem que não desmaiei com o carro ligado em plena subida e sem estar puxado o freio de mão, rs.
Que mais?
Eu realmente tô sem saco pra escrever e não sei porque eu vim postar. Acho que não é pra acumular tópicos e, assuntos anteriores nunca prestam pra ser contados depois, como deu-se pra perceber os comentários dos tópicos anteriores. Não teve produtividade nenhuma.
Única coisa que eu gostaria de comentar é: por que pessoas que ingerem bebidas alcóolicas em quantidades exageradamente grandes me irritam, me preocupam, e principalmente, me fazem descrer de um monte de coisas?
Na verdade... eu não deveria me incomodar, logo porque essa bebida não será repassada de tabela pra mim e não vou ter nenhuma daquelas consequências terríveis de quem bebe: querer ir no banheiro a cada cinco minutos, não conseguir prestar atenção nas coisas que realmente são importantes (dependendo da pessoa, óbvio), ressaca, etc.
Mas, no caso de uma pessoa em especial... eu não sei por que diabos me irrito tanto em vê-la "alegre demais" por causa da bebida.

Alguém fala: "Talvez porque você não dê conta do seu próprio taco."

..........

Pensando em: nada

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Sonhos atrasados e fofocas internas atrasadas

A dois posts atrás comentei levemente sobre dois sonhos que vou tentar me lembrar deles com detalhes, pois já faz tanto tempo, mas tanto tempo....

1) ASSALTO E CELULAR
Do pouquíssimo que lembro agora, eu estava num viaduto dirigindo um carro e perto de desembocar numa rua, o trânsito tava parado porque tinha uma muvuca do inferno na frente. Daí, decidi descer do carro e ver o que estava acontecendo. Era uma manifestação de não sei o quê, e o povo todo revoltado, com tochas na mão e tal. Depois disso, não lembro mais a transição, mas sei que acabei parando numa rua super deserta, de madrugada e com o Ronaldo. Daí, acabamos entrando numa casa com a maior facilidade do mundo que, a princípio, era desconhecida e o povo que estava dentro da casa também, mas com o tempo, eles foram se tornando meio familiares na minha memória (no sonho), mas sem saber bem quem eram até o final do sonho. No meio dessa história, resolveram assaltar a casa. Eu lembrava bem como foi durante o assalto, mas agora eu já não lembro mais, só sei que queriam me roubar e a base de muita lábia minha, não conseguiram. E não lembro mais como foi o final.

2) PUTZ... ESQUECI! QUE MERDA!
Se eu nem lembrava no dia, muito menos agora.

3) SONHO BIZARRO E MUITO MEDONHO COM A SHEYLA
Também já não lembro mais dos detalhes, só lembro de ter sonhado com a Sheyla dando em cima de mim e ficando nua na minha frente. E também não lembro se no sonho eu estava gostando da situação ou não, mas... pelo amor.... voltando pra realidade... que cenas horríveis!!!!!!! ARGH!!!!!!!

Extra) MARILYN MONROE
Sonhei que estava deitada numa cama, não sei até agora onde eu estava, só que estava num quarto. Daí, uma garota aparece do nada na cama e começa a se insinuar pra mim, com o pequeníssimo detalhe que a garota lembrava MUITO a Marilyn Monroe naquela cena clássica do vestido branco se levantando com o vento de baixo pra cima. E as insinuações eram apenas palavras, e no máximo, ficar se aproximando de mim. O jogo de olhares e toda a enrolação "gostosa" do pré-beijo que foi o clímax do sonho, e óbvio, o beijo em si. Só não detalho mais como foi o clímax porque eu não sei transmitir por palavras, única coisa que posso dizer que, no sonho, meu coração estava disparando, querendo pular pela minha boca e o desejo por essa garota aumentar mais a cada segundo que passava e sabendo que ambas queriam umas as outras era muito bom.... tão bom ao ponto de até querer gozar (literalmente) sem ter encostado um dedo nela.

Resumo dos sonhos: nada tenho a comentar sobre os três primeiros porque eu já não lembro mais dos detalhes e minhas linhas de pensamentos a respeito deles foram pro saco (meio óbvio). Quanto ao extra, única coisa que posso falar é que, já fazia MUITO tempo que não sonhava desse jeito e não sentia dessa forma em sonhos. Foi bom repassar esse sentimento novamente enquanto dormia, mas ao mesmo tempo deprimente, porque gostaria de sentir isso novamente no pessoalmente, e no momento, nem tem como.

MUDANDO DE ASSUNTO...

Desde que comecei a trabalhar, eu ando tão de mal (ou mau, sei lá... foda-se) humor, tão sem saco pra sair ou fazer qualquer coisa, com tanta preguiça pra fazer qualquer coisa, tão anti-social que sinto que estou prejudicando os outros e principalmente a mim mesma.
Ultimamente tô sentindo que estou me transformando numa pessoa muito má, que minha personalidade está ficando muito má, muito ríspida, muito egocentrista. Simplesmente estou ODIANDO ver isso, passar por isso, sentir por isso, mas ao mesmo tempo algo me congela para que essa transformação não seja interferida, o que talvez esteja me irritando mais ainda. Pior que irritação é essa angústia, tristeza, depressão toda que voltei a sentir.
Aconteceram várias coisinhas durante esses dois meses atrás... algumas bem babaquinhas (por sinal), e outras marcantes.
Uma delas foi de um fim de semana que fiquei tão irritada, mas tão irritada... que nunca me vi daquele jeito como fiquei naqueles dias. E foi por motivos meio bestas até.
Eu enfiei na minha cabeça que os coletores que trabalham de tarde, em sua grande maioria, não foram com a minha cara e que estão fazendo complô contra a minha pessoa, o que me preocupa na permanência na empresa, e alguns dias antes, fiquei meio irritada porque a garota que senta ao meu lado pegou a cadeira onde eu sempre costumava sentar e me dava a dela que estava toda esculhambada. Toda vez que sentava na cadeira dela, me dava uma puta dor nas costas e, obviamente não sentando direito e coletando seis horas direto num pc, depois dava dor nos ombros, nos braços, etc. Nesse dia especificamente que só está fixado na minha cabeça e não sei que dia da semana foi, ela teve a audácia de me perguntar se poderia pegar a "cadeira dela" porque a outra dava-lhe dor nas costas. Respondi dizendo que pra mim também dava as dores e que só não pedia a cadeira de volta dela porque ela já estava sentada na própria. Depois de uns cinco minutos, comecei a ficar com peso na consciência porque um dia perguntei pra única coletora com quem converso direto se cadeiras tem donos nessa empresa, e ela me respondeu que tem. Daí fiquei pensando: bem, se ela já estava na empresa antes de eu aparecer lá, então acho que a cadeira ela dela mesmo e eu não tenho esse "direito" de tomar a cadeira dela de volta.
Fui no banheiro tomar fôlego e voltei pra sala pedindo pra ela trocar a cadeira, dando a boa pra ela e eu ficando com a escrota, mesmo morrendo de raiva de fazer isso. E uns três ou quatro dias seguintes, só tava pegando a cadeira escrota porque não estava almoçando no serviço, então não dava tempo de pegar a cadeira boa antes da outra pegar, e fui ficando mais dolorida e mais mau humorada, até que no fim de semana, puta merda! Xingava tudo e todos, com as poucas pessoas que falei naquele fim de semana, tratei todos mal, fui estúpida, fui grossa, batia as portas, janelas, o que fosse aqui em casa... só não destrui a casa porque só me levantava da cama pra comer ou ir ao banheiro.
Depois o mau humor passou, as dores nas costas também, só as dores no ombro que ainda não, não sei porque. E a cadeira boa, por enquanto, está comigo porque estou indo almoçar todo dia lá na empresa. Tô deixando de fazer qualquer coisa pra não me atrasar no almoço e ser a primeira a chegar na sala e pegar a porra da cadeira.
Meu... eu simplesmente fiquei insana... nunca fiquei tão enfurecida quanto aqueles dias... e é dessas coisas que eu tenho medo de mim mesma... de ficar assim, e numa hora perder a consciência e começar a fazer besteiras mais graves. Foi assustador!
Outra coisa que me aconteceu foi, de certa forma culpa minha... eu precisava mandar umas cópias dos nossos filmes meio que urgente pra alguns festivais, e só faltava um dos filmes que eu não tinha cópia, o dvd master, porra nenhuma, e pedi pro Ronaldo me emprestar o dele, só que eu não conseguia pegar no meio da semana porque ele tá trabalhando em dois lugares, então ele só parava na casa dele pra dormir. Até que, surgiu um feriado em plena quinta-feira e combinamos de que ele passaria aqui em casa pra entregar o dvd. Eu tinha entendido que ele passaria em casa só depois de ter feito algum programa com a namorada dele, e na real era o contrário, e no feriado eu resolvi fazer extra de oito horas. Além de não ter conseguido dormir cedo e bem devido a essa crise de mau humor escotro e outro motivo que não lembro mais, eu tive que acordar MUITO cedo, do tipo 4:30am pra estar no serviço às 6:00am. Cheguei em casa às 3:00pm e fiquei acordada esperando por ele até umas 7:00pm, sendo que uma hora atrás ele tinha me ligado falando que tava saindo da casa dele. Eu tava muito podre e não consegui aguentar mais, acabei dormindo na sala esperando ele ligar de novo dizendo que já estava aqui em casa, e não consegui acordar com as ligações dele, que não foram poucas. No dia seguinte e durante mais cinco dias, fiquei ligando no celular dele e nada de atender, com o propósito de pedir desculpas pelo ocorrido e tentar marcar outro dia pra pegar o dvd. Estava ficando até preocupada, achando que ele estava doente ou num hospital, e resolvi pedir as desculpas via e-mail, até que recebi a resposta dele.
Meu... ele simplesmente ficou muito puto e falou um monte pra mim... não de baixo calão, mas ficou falando que não tenho nenhuma consideração por ele, que eu estava sendo desrespeitosa, que ele perdeu o programa com a mina dele por minha causa, que agora já sabe que não pode contar comigo, que eu inventei a história de ter dormido, etc.
Na hora, eu fiquei muito chateada, no sentido de ter perdido mais um amigo, porque eu era muito chegada nele. Ele falou de um jeito que, parecia que queria até se distanciar de mim, por causa da puta sacanagem que fiz com ele. Mas, diante de tanta tristeza e chateação, tinha uma pontinha de raiva porque ele insinuou que eu MENTI ou INVENTEI alguma desculpa por não ter atendido ele e essas coisas. E essa pontinha de raiva que me fez responder pra ele com a maior secura do mundo que, eu dei mancada em ter dormido, mas que eu não inventei história nenhuma. Depois disso eu já estava sem cara de me encontrar com ele novamente, então deixei pra lá a história do dvd (e também já tinha arranjando a cópia).
Com o tempo que foi passando, fui ficando menos chateada e com mais raiva... agora, eu sinto indiferença com ele... o problema é que isso tá querendo me prejudicar legal a minha interação com o grupo, por defeito e idiotice minha mesmo.
Na última reunião que fizemos (foi nesse sábado passado), eu tava falando normal com as pessoas que ia aparecendo pra reunião, mas só bastou o Ronaldo chegar que já fechei a cara com todos. Continuei conversando ou respondendo quando solicitada, inclusive com o Ronaldo, mas eu não olhava pra cara dele de jeito nenhum, nem pra mina dele. Não cumprimentei ninguém na hora que cheguei e sai, só dei aquela balançadinha nas mãos sem encostar em ninguém, sabe? Fora que eu me senti super incomodada estando no mesmo ambiente que ele, então, eu já sei que isso ainda vai dar merda.
E, relembro esse "livro" que escrevi, percebi que entrei em contradição, dizendo que estou sentindo indiferença pelo Ronaldo, sendo que fiquei incomodada com a presença dele. Ou seja, ainda estou com muita raiva! (eu acho)
E como eu já tô ficando de saco cheio de escrever, vou deixar tópicos pro próximo post (se eu não esquecer a linha de pensamento).

- Sem vontade de fazer nada
- Ficando fechada
- Conspiração constante
- Loucura

Enfim... só!

Pensando em: No Doubt - Don't Speak

domingo, 19 de julho de 2009

Desamparada...

...seria a palavra certa.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Hoje foi um belo dia pra dizer....

CHUVA DE PICAS NOS RABOS DE CADA UM!!!!!!!!!!!!!

~>/

Outra:
Vou jogar o meu peso na consciência pro inferno e vou fuder todo mundo agora!!!!!!!

terça-feira, 30 de junho de 2009

Trilha do dia

" Tô ficando atoladinha,
Tô ficando atoladinha,
Tô ficando atoladinha..."

E um dia, eu morro pelo nariz!

Lembretes de sonhos:
1) Assalto e celular
2) Putz... esqueci! Que merda!
3) Sonho bizarro e MUITO medonho com a Sheyla

Estou sem tempo pra porra nenhuma, por isso esse post curtíssimo. Depois descrevo melhor as coisas.

Pensando em: Festivais filhas da $(*&%#&¨%)@#!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Momento bizarro

Os donos de onde estou trabalhando agora são um casal e o filho deles. Eu mal sentei no meu lugar e o dono (seu João) olhou pra minha cara e disse:
- Você voltou???? Dá um abraço aqui...
Bizarro.... povo meio doido...
rs
E parece que nada mudou... só o povo que foi mudando e não conheço quase ninguém...
Só isso!

Pensando em: Within Temptation - The Promise

Só para desenpoeirar um pouquinho

Hoje, quando eu estava no metrô, vi um retardado (vulgo um rapaz qualquer), que não teve a decência de retrair um pouco as suas longas e imundas pernas para uma senhora de idade poder se levantar e segurar na barra o mais rápido possível, logo porque o metrô estava em movimento e a senhora tinha uma leve dificuldade em se locomover. Antes dela descer na estação, balbuciou algo pro rapaz, que o próprio se quer ligou para o que a senhora disse (e provavelmente ela deve ter xingado dele ou reclamado de algo a ver com isso).
Em outro momento, quando o metrô estava super lotado, vi um rapaz coçando o saco a viagem inteira, mas coçava de um jeito que parecia que tinha um carrapato e, querendo tirar ele na base do coça e não conseguia... meu... que podre!
Coisas que só o metrô te proporciona!
E amanhã.... as coisas vão ficar quentes!!!!!!!
E daqui um mês, já vou estar reclamando do emprego novo e querendo sair...
rs
E essas horas, era pra já estar dormindo.

Pensando: Spice Girls - Saturday Night Divas

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Sinceramente?

Dá vontade de jogar todas as minhas conquistas fora e me jogar também... de uma janela com uma vista muito linda, e tentar pensar somente no ventinho que bate no seu rosto...
Eu tô quase desistindo... quase...

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Faz tanto tempo....

Que eu não me sentia tão mal assim...
...

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Sonho bizarro

Nada grandioso demais, ou terror demais... no mínimo, diferente!
Escrevo desde já antes que eu me esqueça...
Sonhei que tava em algum lugar que lembrava bastante o Japão, não sei porque... talvez porque eu estava numa casa feita de madeira, meio que tipicamente japonesa, e... eu não consigo mais lembrar agora, mas acho que era casa de alguém ou um restaurante bem no meio do rio ou mar.
Daí, acho que começou a aumentar a maré, e foi entrando água na casa, que de uma certa forma era meio aberto.
De repente, apareceu um filhote de girafa tentando subir num colchonete que tava flutuando na água, e logo em seguida a mãe aparece nadando atrás do filhote. Acho que a mãe tava levando o bebê nas costas com o colchonete e deve ter escapado uma hora.
A essa altura do campeonato, eu já estava simplesmente imersa na água, porque já tinha alagado e engolido a casa que estávamos, só que eu estava meio que flutuando na água, sem fazer esforço nenhum pra estar do peito pra cima fora d'água.
O filhote veio em minha direção e eu quis pegar nele, mas fiquei com receio de serem bravos ou quererem me afogar pelo desespero do momento, só que encostei a cabeça do bebê no meu peito, e ele simplesmente parou de se mexer, como se estivesse acalmado naquele instante. Aproveitei a calmaria do filhote e fui puxando ele pra beirada do rio ou mar que surgiu do nada.
E... fim!
E.... só isso mesmo... como recordação....
Pelo menos um sonho menos medonho, aterrorizante e gêneros...
Aliás... quis até postar isso porque faz muito tempo que não sonho com coisas, objetos, seres "bonitinhos".
Tudo bem que girafas não são tão bonitinhos quanto cachorros.... mas são mais bonitinhos que um casal de adolescentes cortando a boca das pessoas com um fio-dental do mal.
Na verdade... o diferente desse sonho foi um ser "bonitinho" ser o protagonista da história, porque já sonhei com vários animais, mas sempre como coadjuvantes ou que morriam durante o sonho.
No momento é só.

Pensando em: nada

terça-feira, 14 de abril de 2009

Por causa de uma multa

Recebi hoje a notificação de que receberei uma multa por andar em velocidade alta.
Eu não sei porque, mas depois de ver essa notificação, além de aflição por ter que pagar mais uma (não por excesso de velocidade, mas um mês atrás recebi por estacionar em lugar proibido, que não foi culpa minha, e nem tinha como eu comprovar a minha inocência), também senti uma chateação enorme de mim mesma, só não sei explicar como e porque.
Como se eu tivesse recebido a pior notícia de toda a minha vida... tô chateadíssima... fora que vou ter que ouvir horrores da minha mãe (tenho certeza que ela vai reclamar pra caramba).
E... o que estava meio que "empurrado pela barriga", virou logo um dramalhão mexicano de tristeza e decepção dentro da minha cabeça.
Sei lá... nada anda bem pra mim... por mais otimista que eu seja, não tem como.
O clima em casa, por mais civilizado que esteja, não está legal (pelo menos pra mim)... apesar de falar normal com a minha mãe e tal...
Eu também não estou muito bem de saúde, sem saber ao certo se estou com problemas físicos ou psicológicos, pois ultimamente (de três meses atrás) ando tendo enjôos sem motivos quase sempre quando estou fora de casa, fora uma vez que passei mal de querer desmaiar e tudo, como se eu estivesse com pressão baixa, e depois foi confirmado que não era isso. Ou eu tô com problemas de saúde física séria ou são coisas da minha cabeça de semi-débil-mental.
O fato é, estou evitando até de sair por conta dessa palhaçada.
Fui ao médico, e a velha japonesa filha da puta diz que é apenas por má alimentação, só porque falei que meu instestino é preso e que não como direito quando estou só. Pediu exame de sangue pra ver aquelas coisas de colesterol, diabete, hormônios, etc, mas a velha filha da puta com certeza acha que só é isso, e eu tô encucadíssima que não seja somente por isso, que tenha algo mais sério nisso.
Ou isso... ou eu tô com sérios problemas psicológicos... porque, pra me submeter inconscientemente a ter esses sintomas, é porque o negócio tá feio.
Enfim...
Problemas em casa... problemas de saúde... mais produção...
Tudo bem que só tô coçando o saco... e justamente por isso que resolvi topar de estar no grupo novamente pra fazer mais um curta-metragem, só que agora independente (como se o meu TCC tivesse tido algum apoio financeiro, ppppppppffffffffffffffffff). E novamente como diretora de produção, então... mais um estressezinho a mais na minha cabeça.
Talvez eu não tenha assimilado ainda todas as bombas que recebi por essas últimas semanas, com a visita do meu pai e agora da minha mãe, e as vezes, do nada, eu acabe ficando assim, totalmente desanimada, chateada, querendo chorar sem motivo nenhum.
Sei lá...
Só sei que hoje... exclusivamente hoje, estou chateadíssima... mas chateadíssima comigo mesma... e gostaria de que não continuasse, pois não posso ficar deprimida agora, faltando apenas duas semanas pra gravação... aliás, eu espero piamente que eu não invente de ter aqueles semi-piripaques de ficar enjoada, de passar mal, querer desmaiar bem nos dias das gravações, porque os horários das gravações e de trabalho serão bem invertidos e cansativos.
Alguém reze por mim... por favor...
Por mais que eu sempre invente de falar que quero morrer... no fundo eu não quero...
E as vezes tenho medo de não dar conta de me domar com todo esse turbilhão de coisas e ficar louca, mas louca de doença mental mesmo!
Sabendo disso tudo... por favor... não me procurem...
SET sumida: ON!

Pensando em: Flowing Tears - Swallow

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Vai me deixar...

E...
Já me deixou...
...
Eu que deixei...
...
Por quê?

terça-feira, 10 de março de 2009

Reviravolta!

Nunca imaginei que mais coisas escondidas existia na minha própria família (digo eu, meu pai e minha mãe).
Assim como nunca imaginei que iria mudar de opinião tão rápido, de uma hora pra outra.
Eu tenho medo de criar uma raiva permanente... morro de medo disso, mas acho que isso vai acontecer!
E nesse momento... sinto raiva... assim como também me sinto MUITO mal, por saber que eu tive uns quinze anos da minha vida pra aproveitar meu tempo melhor com alguém que realmente queria o meu bem, e por eu ser muito idiota e confiar muito nos outros, me deixei levar... e entrei que nem um patinho...
E agora já sei que não terei muito tempo pra estar mais perto.... queria ter passado mais tempo junto...
E que, a minha raiva de infância/adolescência era totalmente equivocada e errada. Eu achando que eu sentia raiva de uma coisa, mas não era, não mesmo!
Inferno será daqui dez dias... tô fudida!!!

Pensando em: Sofia - Armadilha de Satanás

domingo, 1 de março de 2009

Palavras ao vento

Tem coisas que nem eu deveria saber
E como já descobri sem querer
É melhor que ninguém saiba
Nem mesmo o mais profundo ser que possa existir dentro de mim
Vai saber se eu vou conseguir né?
E quando soltar
Nada mais sairá do que ar
Existe algo dentro?
Ou só são coisas da minha imaginação?
Pra imaginar sou fértil
Até demais!
Descobri sem querer
Que uma pessoa conhecida morreu repentinamente
Fiquei apenas assustada com isso
Logo porque a pessoa era simplesmente saudável
E foi farrear por aí
Mesmo na maior segurança do mundo
Se ferrou!
Foi roubado e levou um tiro
De graça
Sem motivo algum
Só troquei palavras com essa pessoa uma vez
Mas foi uma sensação estranha saber dessa notícia pela tv
Enfim
O que isso tem a ver comigo?
Deveria me importar
Mas
No momento
Nada me atingue
Nada me comove
Nada me mexe
Nada me muda
Nada me cutuca
E sem querer
Falaram zumbi pra mim com o mesmo significado que eu uso
Isso foi outra coisa bem estranha
Mas
A minha opinião no momento não vale nada
Nada meu vale
E lá vou eu me fazendo de coitada novamente
Por que não me deixo sofrer sozinha?
Sempre compatilhando essas merdas com os outros
Levo a vida do jeito que quero
Faço o que quero
Como eu quero
De que mais reclamo?
O que me falta?
Ainda no vazio?
Não tem nada lá fora pra você
Nada lá fora vai preencher o vazio que eu tanto reclamo
Afinal
Reclamo do quê?
Palavras ao vento
Vida ao vento
Tudo ao vento
Nada ao vento
Procuro o nada????
É tudo vento
É tudo ar
É tudo um nada
Que nem eu
Ou me deixo assim
Confortável ser nada
Só confortável

Inútil
Post inútil
Se eu ficar quieta
Você fica?

Ouvindo: Toshihiko Sahashi - Tema II

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Uma colocação infeliz

Da última vez que fui na psicóloga, ela me falou algo assim:

" ...este é um dos problemas da super-proteção dos pais, quando você sente falta de algo pra vivenciar no mundo, os pais chegam e antecipam essa falta, fazendo que com o tempo, tudo que talvez você sinta falta seja suprida, então acaba nem dando tempo de sentir essa "falta", te deixando vazia, sem saber o que queres da vida..."

Obrigado...
= /

Pensando em: Haddaway - What Is Love

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Monólogo sobre o ferro

1: Já viu ferro chorar?
2: Não. Ferro chora?
1: Por dentro... ninguém se preocupa em saber como é o ferro por dentro.
2: Talvez o ferro nem se preocupe em se mostrar por dentro, ele apenas quer se compreendido, mesmo sem se mostrar... ferro quer, mas não dá.
1: Do que adianta ele se mostrar se todos entenderão mal ou erroneamente?
2: E de que adianta ele agir pensando que sempre vão o entender errado?
1: Ele acabou de confirmar isso... acho que ele tentou mostrar uma parte de sua angústia e recebeu pedrada.
2: Talvez você não veja que as angústias não existam apenas no ferro... talvez outras pessoas também queiram ser entendidas... cuidadas....

Tudo bem...

Eles não valem nada.... absolutamente nada....
São apenas objetos cenográficos, para ajudar a compor o ambiente e clima desejado...
Nada mais que isso...

...

Odeio isso!

Quando você assisti um anime e fica querendo chorar toda hora por causa da MÚSICA!!!!!!!
Pelo amor...
Ppppppffffffffffffffff!!!!!!!!!!
Tô tentando terminar X-TV, que por várias vezes assisti e ficava de saco cheio de continuar ele por ter um começo muito chato... quer dizer... já estou no episódio dezenove (de vinte e quatro) e mesmo assim, não me chamou muito a atenção... tem suas apelações básicas ao clichê sentimental de todos ao seu redor morrer e você ter que decidir o destino da Terra, e bla bla bla... mesmo assim, não me chamou tanta atenção assim... fora que ficou diferente do mangá que, aliás, li a versão nacional que resolveu parar bem no meio da história...
Essas editoras daqui, são uma merda... só pensam na grana que possivelmente possa ganhar com o mangá e nem se preocupam em saber se o título é terminado ou não, se vão poder continuar publicando até o final dele, e essas coisas.
Enfim... paciência!
E... era só isso!
Ultimamente não estou pra filosofar... nem ficar "fofocando" de minha própria vida... nem relembrar porra nenhuma...
Aliás... vi recentemente uma foto que... ao vê-lo, parece que me teletransportei para aquela época... e talvez assim eu me sinta no momento...
Só sentir mesmo... simplesmente por pura falta do que fazer mesmo...
Assim como eu (talvez) sempre fui...

... vazia ...

Pensando em: Konishi Kayo & Kondoo Yukio - Lilium (TV size)

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Um dos piores sentimentos do mundo

É você reconhecer o quão fracassado és por ter deixado que uma pessoa tenha matado algo seu que tanto orgulhavas.
E quase crê que atualmente, você é um zumbi: só és um corpo putreficado.

Pensando em: Portishead - Machine Gun

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

E a velha história...

Ninguém se importa....

Essas coisas são péssimas!!!

E porque insisto ter?

Esmurrar é pouco...

Mas... preferia me esmurrar que bater naquela infeliz do post anterior..
Criança sempre tem mais futuro que uma adulta que se acha madura...

Quem sabe, no fundo....

Sou uma criança requelenga mesmo.
Quem teria paciência com essa infeliz?
Eu já teria esmurrado a cara dela faz tempo... até perder os sinais vitais!

domingo, 25 de janeiro de 2009

Das palavras que me faltam...

Sobram sentimentos que me retorcem.
....