terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Sonho muito ruim

Sonhei que minha mãe estava esperando pelo meu pai e ela fez uma surpresa pra ele. Era numa calçada movimentada, cheio de gente, com umas mesas montadas, cheio de comida e sobremesas. Daí, ele aparece do nada lá, só que ele nem dá atenção pra minha mãe e pros outros convidados da suposta "festa surpresa". Parecia que ele estava muito tempo fora de casa e por isso a "festa surpresa". Minha mãe foi tentar falar com ele, mas ele simplesmente passou reto dela e ficava olhando pra lá e pra cá, como se estivesse procurando alguém. Daí, acho que essa pessoa que ele estava procurando apareceu bem de relance e sumiu do mapa, e meu pai imediatamente foi correndo atrás dessa pessoa e sumindo do mapa também.
Minha mãe ficou tão chateada com isso, mas tão chateada.... eu lembro muito bem do rosto dela. Sabe quando você fica pasma, mas tão pasma que não consegue ter reação nenhuma? E ela querendo muito chorar, mas estava congelada.... de chateação, de raiva... sei lá. Eu não sei se a minha pessoa estava inserida na história ou só estava como espectadora, mas me deu uma tristeza tão grande em ver a minha mãe chateada.
Olhava pra minha mãe.... olhava pra mesa cheio de comida... tudo intacto, só esperando pelo meu pai... as sobremesas geladas estavam todos derretendo ou quase que completamente derretidos. Eu olhava pra aquelas tortas geladas quase virando água.... me deixava mais chateada, com mais pena da minha mãe, e com mais raiva do meu pai.
Eu lembro também de alguém ter comentado pro povo ir se servindo pra não ficar tão mal e tão a toa as comidas lá em cima, querendo estragar, e uma outra pessoa respondendo pra não fazer isso, porque seria muito rude, como se só tivesse olhos pra comida e não se importasse com o que a minha mãe está sentindo agora, e fazendo de conta que a péssima situação não tivesse acontecido.
Logo depois que acordei, fui almoçar na casa da minha tia, porque estavam os meus tios da parte da minha mãe (incluindo a própria) lá.
Ah sim... minha mãe está aqui em SP. Vai ficar dois meses aqui.
Eu tive que comer logo porque ia trabalhar... depois que saí de lá, fiquei o resto do dia inteirinho pensando nessa porcaria desse sonho... e tá começando a me encher o saco.... porque me dá mais vontade ainda de chorar só de lembrar o rosto da minha mãe chateada... e tô com uma cisma muito idiota e muito irritante também de que agora virei uma vidente: fico achando que o meu pai tá nas putarias deles enquanto a minha mãe está longe dele.
Eu não faço a mínima de quantas mulheres ele já deve ter ficado depois de ter engravidado uma. Pode ser que ele não tenha ficado com mais nenhuma, ou com uma só, ou com um monte... mas... sei lá... fico pensando na possibilidade dele ter ficado com várias pessoas: menininhas, mulheres de tudo quanto é tipo, com putas....
Daí fiquei me colocando um pouco no lugar da minha mãe e pensei: se ele não quer mais nada sentimentalmente com a minha mãe... por que ele não larga ela de vez e vai tomar o seu rumo sozinho? As vezes penso muito que meu pai só está com a minha mãe ainda só por causa da grana. Ele já me falou que já pediu pra separar, mas minha mãe que não quis.
Só que aí fico pensando: se ele realmente não quizesse a grana dela e o "conforto" que essa grana oferece pra ele, mesmo a minha mãe insistindo que ele não separasse e que ela pagaria tudo pra ele, já teria feito as malas e saído fora, mesmo sem nenhum puto no bolso.
O foda é que, por mais que você queira o bem deles e querer meter o bedelho achando que vai resolver tudo, não vai resolver. É uma coisa de casal, que só entre eles que poderá mudar algo (ou não)... mesmo que eu quizesse inserir no mundo "casal" deles, não poderia fazer nada pra mudar as coisas.
E pra ser bem sincera.... eu não sei o que preferia... eles juntos ou separados... quer dizer... separados já é quase, só falta o papel mesmo (pelo menos ao meu modo de ver)... papel e grana... tudo envolve grana (eu acho)...
Mas.... eu ficaria muito mais comovida vendo a minha mãe triste e chateada que o meu pai... me sentiria muito mais pela minha mãe que pelo meu pai... mesmo sabendo que ele gosta de mim, e tem consideração por mim... se preocupa e tal... mas eu não me acostumei até agora com o modo dele demonstrar amor por mim... e se ele mudasse de jeito de uma hora pra outra, e ficasse todo meloso pro meu lado, é óbvio que ia achar estranhíssimo e não ia gostar nem um pouco... e por isso mesmo acho que os meus sentimentos por eles (meus pais) já não tem como mudar mais.
Não sou uma boa filha.... não me dedico a eles... não me preocupo tanto com eles... acho que nem tenho aquele "amor de filha" que todos tem por seus pais...
As vezes culpo eles (só pra mim, óbvio)... muitas vezes acho que foi o modo deles me criarem que me deixaram assim... toda torta... que não dá valor as coisas que ganho, sempre com dinheiro fácil, sem saber até agora o que quer da vida, o que quer fazer, sem pensar no futuro e em como se manter viva daqui alguns anos... ser mimada.... ser essa pessoa escrota que sou... ser fechada... ser invejosa.... ser egocêntrica... ser estúpida e grossa por muitas vezes... não ter empenho pra porra nenhuma, agora até pra coisas do coração... por ser um lixo que eu sou...
E as vezes me sinto mal culpando-o assim.... eu que nasci com esse gênio muito ruim, esdrúxulo e chato... e deveria estar sendo esmurrada por estar botando culpa neles... já que nunca fui o orgulho deles, tenho que sempre estar compensando pra tentar pagar um pouco dessa dívida que sempre sinto que devo pra eles.
As vezes fico com raiva por ser quase a cópia do meu pai... esse jeito fechado, que ninguém encosta em você por ter medo... até fisicamente a maioria das pessoas falam que sou a cópia do meu pai...
E da minha mãe... sempre penso que pego as coisas ruins dela... de querer sempre ajudar os outros sem prestar atenção em como a pessoa é... de achar que o dinheiro compra tudo, inclusive pessoas....
Entre aspas: com relação ao dinheiro, é o seguinte... a minha mãe, sempre quando se afeiçoa com alguém, sempre quer ajudar de alguma forma... é claro que ela vai na melhor das intenções, mas sem querer e sem ela saber, acaba na maioria das vezes ajudando com alguma coisa que envolva dinheiro, do tipo comprando algo, e essas coisas...
Se bem que, nesse mundo, quase tudo tem dinheiro no meio....
E confesso... também sou assim... que nem a minha mãe....
Por isso (e outras coisas mais) que, a cada dia que passa, me sinto mais lixo e mais suja do que já era.... não que eu faça todas as coisas ruins que já fiz de propósito ou com razão... sei lá...
Eu sou uma merda mesmo...
E a última frase do dia:
Muitas, mas muitas vezes já quis me matar... achando que seria tirar um peso enorme das costas dos meus pais, por todo meu antecedente e por todas as escolhas que já fiz... eu só não acho que são tão ruim e má assim (as vezes)... e só não fiz porque sou muito covarde pra tirar minha vida e dá-lo pra quem realmente merece toda a minha boa essência e meu bom caráter, apesar de alguns pesares.
Só um lembrete: um dos rapazes que trabalha conosco na coleta não apareceu hoje... depois soube que ele não veio trabalhar porque o pai dele morreu... além da merda do sonho que já estava na minha cabeça, fiquei pensando constantemente na cena em que receberia a notícia de que a minha mãe tinha morrido pelo meu celular, e eu dentro do banheiro. Pensei em como chamar alguém pra perguntar como eu poderia sair do serviço de boa, sem fazer muito alvoroço e sem que alguém percebesse de cara e a princípio que eu não estava bem, logo porque seria muito difícil da minha parte não sair daquele lugar sem gritar muito, mas gritar muito de choro.
Enfim... é isso.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Momento de delírio

Simplesmente não liguem para o que escreverei... são apenas meros e soltos desabafos... sem conexões e sem nexos... só pra tirar um pouco da minha cabeça...

Achei um site que disponibiliza todos os episódios do "The L Word", e desde domingo tô baixando eles. Tá um saco porque colocaram por episódios, e não por temporadas, e por site de download direto, não por torrent e gêneros. Tô tentando ver de pouquinho em pouquinho (porque ultimamente ando dormindo muito tarde e tá ficando foda), e tá me fazendo pensar sobre várias coisas que já pensei muito antigamente.
Na verdade, só está me fazendo relembrar de coisas que me deixavam chateadas ou tristes... um protótipo de "nostalgia triste" (típica de minha parte). E no meio disso, consegui a trilha sonora de "Spider Lilies" (que não é nada deprimente).
Diante disso tudo, eu tive uma pequena crise de loucura e resolvi escrever um texto para um site lésbico que oferecia ajuda para o que fosse perguntado, postando a resposta no próprio site (se fosse o escolhido, porque deve ter muita gente que manda suas dúvidas e angústias naquilo), e resolvi deixar uma cópia do texto pra mim.
Cheguei hoje na frente deste computador... fiquei com muita vergonha de reler o que tinha escrito... nem li e já joguei no lixo...
Queria muito que comentassem sobre o que escrevi, pra ver o que as pessoas acham... mais pra saber se ainda estou num nível de "sanidade" controlada ou não.
E voltando ao "The L Word"... voltei a pensar em como queria ter um grupo de amigas lésbicas, que saíssem pra qualquer lugar, fazer coisas juntas... mas não no nível delas que tá mais pra classe alta que média ou baixa... elas fazem tipos de programas muito requintados que nem eu posso pagar por isso (se eu quizesse).
Se bem que, na condição em que me encontro... nem precisam ser lésbicas... só gostaria de ter um grupo que me aceitassem como sou, pela minha opção, e já era.
Pensando melhor agora.... não faria nenhuma diferença, logo porque eu tô trabalhando que nem uma condenada e retardada... se não é coletando sempre Bloomberg e no momento a Multishow, tô ajudando o pessoal lá da nossa produtora a fazer as gravações.
Aliás... é uma outra coisa que anda me pertubando ultimamente... a produtora.
Eu curto muito fazer as gravações e tal... mas eu não estou tendo mais o mínimo saco de querer ajudar em quase nada na produtora, só por causa do outro trabalho que tenho. As vezes me odeio por isso, mas eu simplesmente não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo, pra nada. E no momento, tô priorizando a coleta por causa da grana.
Sim, eu tenho consciência de que a produtora não vai lucrar de uma hora pra outra... e que não vamos estar ganhando daqui a um mês... e que nada se ganha sem esforço... mas eu não consigo me dedicar a duas coisas ao mesmo tempo. Por isso sou uma merda!

*Mudando completamente de assunto...

Acho que queimou minha impressora.... porque ela não liga de jeito nenhum.... até tirei da tomada e coloquei de volta e... nada! É esse maldito tempo em São Paulo, de dia sol do caralho, e a tarde aquela chuva fudida com direito a raios e trovões (e bote raios e trovões nisso). Deve ter dado uma descarga elétrica e fudido minha impressora (pelo menos não foi meu pc).

Querem saber de uma verdade?
Sempre tive vontade de que alguém por quem eu tenha consideração ficasse ao meu lado naqueles dias em que estou muito deprimida, mal.... chorar na frente dessa pessoa... e pelo menos poder abraçar e escorar meus olhos no ombro dessa pessoa...
Várias vezes já pensei nisso... e algumas vezes tentei fazer isso... mas, na hora, eu fico pensando que a pessoa não merece me ver chorando e eu fazendo aquela pessoa se preocupar a toa, porque são coisas tão inúteis e tão profundos, que nem eu mesma sei direito o que são e muito menos confortar-me sobre o que eu esteja pensando. Se eu mesma não consigo, por que dou-me o direito de outra pessoa fazer isso, sendo que a pessoa não tem nada a ver com isso? E sempre são coisas minhas, coisas internas, personalidade, caráter... o que for... coisas que não iriam se resolver apenas com palavras e passadas de mão na cabeça... eu que teria que mudar isso... mas, como eu sou anta e fico cada dia mais encrustada em mim mesma... paciência!

Acho que, no fim.... o que eu realmente queria falar, nem falei... e agora já era porque não lembro mais o que era.

Ouvindo: Beyoncé - Halo

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Comentário indevido

Não deveria estar fazendo isso, logo porque ficar metendo o dedo onde não é chamado e muito menos por você não ter nada a ver com isso, é muito feio. E mais feio ainda você ficar criticando algo que você nem conhece direito, mas a cena pra mim foi tão marcante que, sei lá... acho que estou pasma até agora.
Se você sabe que, vai trabalhar o dia inteirinho e que não vai poder dar atenção nenhuma pro(a) seu(sua) namorado(a), avisa a pessoa pra ter certeza se vai querer acompanhar mesmo assim ou não deixe a pessoa ir.
Foi o seguinte: fizemos uma gravação nesse domingo. Além de ter tomado o dia inteiro, tínhamos poucas pessoas pra ajudar, portanto, trabalho dobrado, fora que um monte de coisas foram dando errado e a gente teve que se virar pra tentar não ficar pior do que já estava. Depois de terminado tudo que tínhamos pra gravar, resolvemos ir num lugar pra comer, fazer um feedback do que rolou e ver algumas soluções pra isso. Nem deu dez minutos da reunião, a pessoa saí da mesa e vai para um outro ambiente, e alguns minutinhos depois sai toda histérica, chorando e bla bla bla. Até então, ninguém tava entendendo o que estava acontecendo, chutando que a pessoa estava passando mal. Tiveram que levar a pessoa pra casa, inclusive o povo que tinha ido com a tal pessoa. Depois, soubemos bem por cima (porque nada foi falado diretamente pra ninguém) que a pessoa teve um propótipo de piti porque a outra pessoa não estava lhe dando atenção nenhuma naquele dia, e que eles só se vêem no fim de semana, e que ficou estressada, nervosa.
Tudo bem que, tudo que você faz na vida tem escolhas. Tento até entender a situação... deve ser muito chato você não conseguir um tempinho a sós com uma pessoa que tanto gostas, e ficar assim por muito tempo... mas eu acho ridículo, um cúmulo, você ficar dando piti em público por causa disso. Se estão querendo brigar, vai num lugar mais afastado, ou saia do recinto, mas conversa e tal. Quer gritar e/ou brigar? Pede gentilmente pra pessoa te acompanhar até num lugar melhor e de lá você pode fazer o que caralho for. Se brigou e não se resolveram? Chega no grupo e fala que vai precisar ir embora, se despede e já era. Não tem necessidade nenhuma de fazer cena na frente dos outros. Além de assustar o público em geral, preocupa quem são conhecidos.
Me desculpem, mas... ahhhhh!!!!!!!! Vai se fuder!!!!!!!
Quantas vezes eu já fiquei morrendo de vergonha pelas situações exdrúluxas e ridículas que minha ex me deixava? Ou das vezes que ela já me deixou "abandonada" por "alucinações" que ela vivia tendo e eu fiquei sempre até o final? Podia ficar de cara feia ou com cara de bunda, mas eu me esforçava pra tentar ser sociável pra não ficar dando na cara que, além de que tínhamos alguma coisa, de que tínhamos brigado também.
Enfim... sei lá.... posso estar sendo MUITO insensível... logo porque, estou numa fase (se é que isso é fase) de egocentrismo total e sem paciência nenhuma pra coisas que não gosto/não me agradam/não seja compreensível pra minha cabecinha de merda, fechada e quadrada. Mas essa... foi foda!
Foi tão foda pra mim que tá me irritando até! Eu quero parar de pensar nisso, mas NÃO CONSIGO!!!!!!!!!!!!!!
Vai.... deixa eu ver alguma coisa pornô pra ver se tiro isso da minha cabeça...

Pensando em: Sonooooooooooooooo.........