segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Organização urgente!

Eu preciso me organizar com horários... porque tá foda... eu já estava quase esquecendo de umas coisas... então vou tentar fazer isso aqui mesmo:

30.11 (terça) = sample central e jantar fora
01.12 (quarta) = Clícia em casa
02.12 (quinta) = talvez sair com a Clícia e uns amigos dela, mas pretendo realmente dispensar essa saída porque não conheço ninguém com quem ela vai se encontrar
03.12 (sexta) = praticamente ficar o dia inteiro no aeroporto com a Sheyla
04.12 (sábado) = nada planejado
05. 12 (domingo) = nada planejado
06.12 (segunda) = nada planejado
07.12 (terça) = nada planejado
08.12 (quarta) = nada planejado
09.12 (quinta) = nada planejado
10.12 (sexta) = nada planejado
11.12 (sábado) = talvez, São Carlos, vai depender do Walter
12.12 (domingo) = nada planejado
13.12 (segunda) = nada planejado
14.12 (terça) = nada planejado
15.12 (quarta) = nada planejado
16.12 (quinta) = nada planejado
17.12 (sexta) = indefinido, mas talvez Ressaca Friends com a Mychele
18.12 (sábado) = indefinido, mas talvez Ressaca Friends com a Mychele
19.12 (domingo) = indefinido, mas talvez Ressaca Friends com a Mychele
20. 12 (segunda) = nada planejado
21.12 (terça) = nada planejado
22.12 (quarta) = nada planejado
23.12 (quinta) = nada planejado
24.12 (sexta) = recebi um convite, mas nada definido ainda
25.12 (sábado) = recebi um convite, mas nada definido ainda
26.12 (domingo) = sei lá se vai imendar ou não, rs
27.12 (segunda) = nada planejado
28.12 (terça) = nada planejado
29.12 (quarta) = nada planejado
30.12 (quinta) = nada planejado
31.12 (sexta) = coçar o meu saco inexistente e encher a cara de qualquer merda alcóolica até começar a ter tarquicardia e morrer em pleno estouro de fogos... hauhauhauahuahuahuah... sei lá, nada planejado

Pronto! Meu planejamento pro mês inteiro! (mais desocupada que não sei o que, rs).
E tem alguns ítens que preciso fazer mas não sei em que dia encaixo-os (seja por falta de planejamento mesmo ou pura preguiça de sair de casa, rs):

- Ir na Santa Efigênia comprar a porra do controle remoto de ar-condicionado
- Fazer o remédio da minha mãe
- Pagar contas
- Comprar logo a tarraxa do violão pra eu trocar e poder tocar nele (ui!)
- Eu lembrei que precisava comprar presentes... agora não lembro pra quem, se é de aniversário ou festividades de final de ano, rs.
- Pegar a porra do certificado de banho e tosa que até agora fiquei com preguiça de ir pegar

E... é isso!
Alguém quer preencher o resto do planejamento de dezembro? rs

Ouvindo: Suicide Commando - Cause Of Death: Suicide

Egoísmo

As vezes sinto que sou muito egoísta e que acabo machucando alguém com esse meu egoísmo, mesmo que sem querer.
As vezes também acho que falo umas coisas tão idiota que nem me toco na hora a merda que falei.
Gomen né?

domingo, 28 de novembro de 2010

Dieta, peça, carro, notebook...

Dieta: Essa semana fui submetida a comer uma vez por dia, e coisas saudáveis e naturais... e foi muito bom fazer isso porque consegui emagrecer três quilos... em compensação, um quilo já foi pro saco hoje... fui comer strogonoff de frango com fritas e arroz, e só disso já foi um quilo a mais.

Peça: Na sexta, fui ver uma peça muito legal junto com a Naomi e umas colegas dela que eu não conhecia e nem a própria conhecia todas elas (rs)... era uma peça feita em uma sala de um apartamento... o tema era sobre a homossexualidade... várias historinhas curtas contando sobre isso de forma trágica, alegre, humorada, reflexiva... de tudo quanto é jeito... e como a peça era pra pouca pessoa devido ao local da apresentação, ele se tornou algo mais intimista e mais interativo. Eu já tinha ouvido falar dessas peças feitas dentro da casa dos atores ou algo assim, mas o que tinha ouvido falar era de comédia e era no Rio de Janeiro, o que faz muito tempo que vi isso. E sempre tive curiosidade de ver algo desse tipo, mas também nunca procurei a respeito aqui em São Paulo. Agora eu vi!

Carro: Resolvi levar o meu carro num mecânico que tem aqui perto de casa... era problema de rolamento nas quatro rodas... daí, só de curiosidade, perguntei o que teria acontecido se eu tivesse deixado esse problema insistir por muito tempo... o rapaz só me falou que poderia travar as rodas e parar o carro. Ou seja, que bonita notícia... olha a merda que ia dar se tivesse me travado essas rodas em plena extensão da Rodovia Bandeirantes, justamente num trecho que não tinha nada por perto, na alta madrugada. Ainda bem que não aconteceu nada. Deixei na terça pra pegar na quarta... eu só fui pegar na sexta (hehehehehehehehehehe). E pra variar, foi bem carinho o conserto: R$ 380!!!!! Paciência... tive que tirar do meu bolso, da minha linda poupança que tá literalmente indo pro saco... saco dos outros! rs

Notebook: Minha mãe pediu pra comprar um notebook, porque meu pai levou o pc e ela ficou na mão... daí comprei um bonitinho e legal pra ela... uma DELL (promoção de pobre no Extra, rs). As configurações são meio baixas, mas para o fim que ela vai usar vai prestar muito bem! Só que eu tô com uma preguiça tão grande de instalar antivírus e uns outros programas úteis... mas vou ter que precisar fazer logo isso pra poder mandar o bagulho pelos meus tios que vão lá pra casa da minha mãe no meio de dezembro. Até lá, vou ter em torno de quinze dias pra poder ver o que tiver aqui no pc pra tv da sala (só tenho uma tv mesmo, rs) e poder acessar a net no conforto do sofá ou da minha cama (olha! só pensei na cama agora, uma boa!).

Puxa... sonhei com alguma coisa durante essa semana, mas já esqueci! E o outro que disse que ia comentar, vou deixar pra outro post, porque estou com preguiça de lembrar dele, rs. (preguiça master!!!!!)

Ouvindo: Terminal Choice - The Sons Of Doom

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Constatação estúpida e lembretes

Constatação: Nunca escrevi tanto na minha vida como ando escrevendo por esses dias... e vendo o meu histórico de posts, esse ano parece que foi o ano mais movimentado da minha vida (desde a criação deste blog). Agora, se eu fosse contar com um outro que tinha antes, não saberia dizer...

Lembretes: Sonhei com uma coisa muito empolgante no sonho e muito podre na realidade e estando em sã consciência. Vira e mexe sonho com coisas desse tipo... mas que droga! Conto depois.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Coisinha bizarra!

É um dos curtas que vi na Mostra Mix de Cinema... de um suposto "hino lésbico".... a letra é horrível, mas é muito engraçada!



É que eu tava vendo... sei lá... qualquer coisa do "meio"... e lembrei desse vídeo pra lembrar da música... agora não vou esquecer mais!
rs

Táticas novas para externar coisas inexplicáveis

Ontem.... depois que alguns bons minutos que cheguei em casa, me bateu uma tristeza, um desânimo, uma "depressão" tão grande, tão chata e tão ruim, que comecei a ficar agoniada com isso. Tentei ver um anime que está me parecendo muito triste (Sasameki Koto) pra ver se fico mais mal ainda e pro dia seguinte estaria melhor, mas fiquei muito sem paciência pra ver por muito tempo. Não sabia o que fazer na net... então... apelei para cigarros e cerveja...
Acho que, se alguém de fora, tipo um olheiro de apartamentos, ou se tivesse um prédio quase grudado e de frente pra minha varanda, me vissem, iriam chamar a polícia ou ambulância por me verem deitada no chão da varanda, chorando que nem uma criança, com um cigarro na mão e uma minúscula garrafinha de cerveja do lado, com um celular ligado e tocando músicas nada deprimentes.
Ainda bem que sei conter bem barulho de choro, rs.
Enfim... eu não estava bem e queria tirar aquilo dentro de mim de qualquer forma... então peguei meus maços de cigarros, uma cerveja e meu celular pra ficar fumando e bebendo na varanda de casa, com as portas e janelas fechadas pra não entrar cheiro de cigarro dentro de casa, ouvindo coisas tristes.
Foi até uma coisa meio bizarra porque, apesar de fumar e beber esporadicamente, eu odeio o gosto que o cigarro deixa na sua boca, e o cheiro também, assim como odeio o gosto da cerveja e seus efeitos colaterais, mas ontem, o cigarro tava uma beleza... parecia que eu tinha perdido o sentido do paladar, como se nada tivesse passado pela minha boca, e foi assim... três cigarros seguidos... em meu estado normal, não iria aguentar fumar três seguidos, minha boca iria ficar com um gosto tão ruim na segunda que talvez nem conseguiria terminar de fumar todo o cigarro. E a cerveja então... iria começar a ficar com uma pequena falta de ar e sei lá mais que efeitos me daria... acho que tô começando a criar resistência, porque nem pra ir no banheiro toda hora aconteceu... só fiquei toda vermelha (literalmente, por todo o corpo).
Enfim... em um dado horário dessa "punição" (quando faço isso, é como se estivesse me punindo, punindo meu corpo introduzindo substâncias ruins), eu não estava aguentando ficar sentada no chão, resolvi me deitar no chão de ardósia super frio, e eu apenas de camiseta e bermuda mega folgada.
Toda aquela frieza do chão, das paredes, do ambiente, do som que tocava... tudo foi me deixando mais angustiada e triste... e chorei... chorei... chorei... como uma criancinha sozinha e desamparada, encolhida no chão... chorava pra dentro pra não fazer escândalo e de repente, o vizinho ouvir o barulho e querer reclamar ou bater em casa, ou chamar alguém... mas algumas horas soltava-se sem querer alguns soluços... não tem como... ainda não aprendi a dominar completamente a contenção de choro, rs.
Eu nem sei quanto tempo fiquei assim... lá... deve ter sido uma hora, uma hora e meia...
Depois fui cambaleando pro pc pra ver se conseguia arranjar alguma coisa pra fazer, mas logo comecei a ficar com sono e resolvi ir dormir...
Acho que essa tática do cigarro+bebida+trilha sonora deu certo. Hoje estou um pouco mais "leve".
E foi tão ruim porque meio que surgiu do nada... ontem, até onze da noite, eu estava muito bem... acordei um pouquinho mais cedo que o meu "normal", tipo duas da tarde... fui até na Liberdade comprar umas coisas que a minha mãe tinha pedido junto com o Walter, depois fui na Mari ver o cachorrinho que o tio dela comprou pra dar pra avó dela (que tinha perdido um outro há uns 4 meses atrás)... aliás, cachorrinho bunitinho!!!! Fiquei quase o tempo todinho brincando com ele ou deixando ele no meu colo cochilando.
Daí, só bastou chegar em casa e dar, sei lá... meia hora ou uma hora depois, me desceu essas coisas ruins.
Não sei se foi por causa de uma ligação, ou foi de uma louca conversa que tive de sábado pra domingo, que não parava de tagarelar, e acho que fiquei falando só coisas do meu pai... e a ligação (por coincidência ou não) foi citado sobre o meu pai... devo ter remoído insconcientemente dentro da minha cabeça e estourou.
Na verdade, logo que acordei, liguei pra minha mãe pra perguntar umas coisas que ela tinha pedido pra comprar, porque estava querendo ligar pra ela faz tempo e sempre esquecia ou não tinha tempo. Daí, a minha mãe falou que logo depois de eu ter voltado de Manaus, ela recebeu um sedex endereçado pro meu pai, mas que tava com o endereço lá de João Pessoa. Daí, ela abriu pra ver se não era alguma cobrança da net por causa daquele rolo todo com o modem e tal, e era uma carta de uma mulher lá do Paraná reclamando um monte pro meu pai.
Resumindo: era um tipo de "amor da vida" do meu pai... que antes eles chegaram a namorar, mas como a mulher era estudada e o meu pai não, os pais dela o odiavam por isso, e nunca aceitaram o namoro deles, até que meu pai conseguiu um emprego na Sanyo e teve que se mudar pra São Paulo, e desde então, a mulher nunca quis se casar com nenhum outro homem, meio que esperando que o meu pai voltasse pra ele, e óbvio, o que não aconteceu. Acho que, antes dele se mudar pra Manaus, os pais dela procuraram meu pai e pediram desculpas pela atitude que tomaram perante a ele e pediram pra que ele voltasse a namorar a filha, porque ela não queria mais nenhum homem, ou algo assim, e o meu pai, meio orgulhoso ou sei lá o que ele pensava ou tinha na cabeça, disse que não queria mais ficar com ela, e foi se embora pra Manaus. Daí, esses tempos que ele estava morando em João Pessoa com a minha mãe, ele ficou vindo várias vezes aqui pra São Paulo e sempre ficava só uns dois ou três dias aqui e se mandava pro Paraná, e só voltava dois ou três dias antes de viajar.
Eu SABIA que tinha alguma coisa no meio... mas como ninguém sabia, então todos (incluindo eu) achávamos que ele queria voltar só pra recordar os tempos de criança dele, visitar o povo que ele não via há anos, sentia saudades de onde nasceu, e essas coisas. Agora descobrimos que ele foi atrás da "mulher da vida dele", não sei se era pra voltar com ela ou coisas do gênero. Ninguém sabe também o que eles devem ter conversado... só sei que a minha mãe leu a carta e a mulher simplesmente soltou os cachorros, dizendo que ele prometeu umas coisas e que sumiu depois das conversas, que ele veio atrás dela mas voltou a sumir novamente, que perguntava se ele achava que era ela tonta ou tinha sangue de barata, que não tinha sentimentos e tal.
Depois que ouvi essa história... fiquei perplexa... como o meu pai consegue fazer uma coisas dessas? Dai a minha mãe comentou que meu pai, não sei se é por puro egoísmo ou ele realmente tem problemas quanto a isso, mas ele faz as coisas e não se toca que pode estar machucando as outras pessoas... acho que ele tem problemas de enxergar perifericamente, só olha pra frente ou pro seu umbigo, e ficou comentando de uma conhecida nossa lá de Manaus que o meu pai fez tantas coisas pra ela e a família dela, e que, por causa de uma atitude besta e pré-avisada pela minha mãe, meu pai chateou o pessoal todo dessa família, e a mulher que gostava tanto do meu pai (no bom sentido) faleceu dizendo como suas últimas palavras que estava morrendo com o coração chateado por causa do meu pai. E na época, a gente já morava aqui em São Paulo, e meu pai nem avisou que ela tinha morrido pra gente, só fomos saber disso tipo uns quatro ou cinco meses depois, e que ele nem foi no enterro dela e tal. Depois eu a minha mãe fomos pra Manaus juntas e nos encontramos com a filha da mulher, e fomos no cemitério pra prestar homenagens bem póstumas e atrasadas pra ela. No momento que a gente tava no cemitério, a filha comentou sobre a mãe dela e o meu pai... lembro que foi bem triste ouvir aquelas coisas dela...
Enfim.... acho que depois fiquei pensando, se eu não sou a cópia dele quanto a isso... acho que desde adolescência, me preocupa desde então de ser que nem ele, de ter pegado os genes ruins dele... porque é uma coisa que eu não gostaria de ser, que nem ele, e agora, definitivamente, não quero mesmo!
Só que, eu fico olhando pra trás... talvez não no mesmo nível que o meu pai... devo ter machucado muita gente... deixei de falar com tantas pessoas devido ao meu rancor... quer dizer, meu rancor passa, mas ele demora muito pra ser diluído, então... até chegar em diluição total, já perdeu contato, já riscou meu nome da lista, e essas coisas...
Me assusta muito ser "a cópia" do meu pai... me assusta demais... eu não quero estar nesse mundo só pra ficar machucando as pessoas, mesmo que insconcientemente.
Só quero estar bem, tranquila... e ter pessoas boas ao meu redor pelo resto da minha vida... preservar os amigos... acho que o mais essencial é isso!
Acho também que eu esteja passando por uma "fase nova"... que vou penar pra caramba pra me controlar, me conter, me policiar... mas ao mesmo tempo, sinto que vou passar por uma boa e interessante experiência... e que talvez me fará ver diferente, sentir coisas direrentes e quem sabe, mudar conceitos.
Como uma mensagem que recebi de uma amiga minha que mora tão longe, tipo Holanda (rs):

"Trabalhe como se não precisasse de dinheiro,
dance como se ninguém estivesse olhando,
ame como se nunca houvesse se machucado,
have fun! carpe diem!"

Acho que só agora tô começando a entender isso e tentando botar em prática!
= )

Ouvindo: Chimarruts - Do Lado de Cá

Como eu sou...

Chata...
Estava tão bem até onze da noite...
Tão bem...

Ouvindo: The Delgados - I Fought The Angels

domingo, 21 de novembro de 2010

Hey! Ho! Let´s GO!!!!!!!!!

Hoje foi punk, mas foi legal!
Tô que nem um peixe elétrico agora (entenderão o por quê).

Na sexta, fiz aquele meu mesmo horário de sempre... acordar quatro da tarde, ficar no pc, só que perto da noite, a Mari me ligou pra gente ir comer num rodízio japonês, porque fazia muito tempo que ela não comia mais isso e que ficou com uma vontade dos infernos. Daí eu fui jantar com ela, depois, junto com o Marcelo viemos pra casa, e logo depois chegou o Walter pro dia seguinte irmos pra São Carlos visitar a Érika (uma amiga nossa lá de Manaus que deu um sumiço e nunca mais tivemos notícias dela até duas semanas atrás).
Só que aí, a gente ficou conversando, jogando papo fora... falando de filmes, quadrinhos, HQ's, circunsição... enfim, infinitos temas, e óbvio, fomos dormir tarde (principalmente eu).
Me acordaram tipo onze e meia da manhã com um puta café da manhã (oooowwwwwww).... a Mari é prendada, eu que sou um relapso do que poderia dizer "dona de casa" e "recebedora de visitas"...
Daí fomos comprar presentes pra dar pro filho dela, e alguma coisinha pra eles (os pais), e lá fomos nós pegar estrada!
Erramos a estrada, nos perdemos, erramos a entrada pra chegar na casa dela... foi um horror, mas foi legal!
E foi mais legal ver alguém que você não via há anos, e do tipo... se falar umas três ou quatro vezes e do nada a pessoa some, e não dá mais notícias nenhuma, e depois de muitos anos, você a vê!
Ela agora tem filho, é casada e tal... nem deu pra gente conversar coisas mais "cabulosas", mas foi legal de qualquer forma!
Daí chegamos lá.... ficamos um pouco na casa dela, depois fomos comer numa lanchonete lá no centro, que os sanduíches eram monstruosos (tive que dividir o lanche com a própria Érika), deixamos o povo lá e fomos embora.
A gente pretendia passar a noite em algum hotel lá e só ir embora no domingo de manhã... só que, quando chegamos lá, sei lá que porras deu, nos desestimulamos a ficar por lá e resolvemos voltar pra São Paulo no mesmo dia, rs.
Antes de sairmos de São Paulo, fiquei muito receiosa de ficar com muito sono e de repente capotar durante a viagem... daí inventei de fazer o quê? Tomar uma lata de Red Bull inteirinha... e eu nem sei como consegui tomar uma lata inteira, porque eu odeio o gosto dele... acho que foi o copo com muito gelo, e o gelo deve ter diluído bastante o gosto, e consegui tomar de boa como se fosse refrigerante. Agora eu tô assim... elétrica que nem uma retardada dando piti!
Ai gente... como eu sou relaxada demais né? "Fiz" a Mari ir na padaria comprar os pães e frios, e eu esqueci de pagar pra ela!!!!!!!
E, com mais receio de capotar de sono, fiquei a viagem inteira ouvindo música alta, e cantando alto as vezes... pra espantar a preguiça ou qualquer coisa ruim, rs. Passamos na frente do Playcenter e deu pra ouvir o Smashing Pumpkins tocando alguma música que me parecia familiar e famosinha, mas que não deu pra reconhecer.
Que mais?
Eu, a "vazada", fiquei mais parando em postos pra fazer xixi que andando na estrada, rs.
E sinceramente, não imaginei que iria aguentar viajar em um só dia em torno de sete horas direto, parando só pra comprar algo ou ir no banheiro. Fui meio que "drogada", eu sei, mas o importante que eu estava em alerta!
E... fato... viajar de carro pra lá com apenas duas pessoas, é prejuízo! Só de pedágio foram doze (ida e volta), fora a gasolina (um tanque inteiro). Mas valeu! Pelo menos posso dizer que o meu carrinho "lindo" já andou na estrada, rs.
Só que, durante a viagem constatei um problema nele: ele tava fazendo um barulho dos infernos... quanto mais eu acelerava, mais o barulho aumentava, e olhando pro motor, parecia não ter nada... passei até numa D'Paschoal antes só pro cara olhar o motor pra mim e falar se tinha algum problema ou não, e disse o rapaz que era normal (mentira, porque nunca tinha ouvido tamanho barulho que fez hoje, e já andei na estrada com ele correndo à 120km/h antes), mas... enfim... essa semana preciso levar em algum mecânico pra ver o que é. O barulho estava tão insurpotável que tentava disfarçar um pouco colocando o som alto... sem o som, parecia que você estava viajando de avião e que você sentou bem do lado da turbina... tava foda!
Olha... depois do Red Bull... quando me bater o sono, tô fudida... vou desmaiar e só acordar sete da noite, rs.

"Red Bull te dá asassssssss!!!!!"

Quem dera se ele me criassem asas... puxaria alguém e carregaria pros céus... pra lá e pra cá... furando as nuvens e fazendo de conta que eles também servissem de banco... sentaria neles e ficaria olhando a Lua, que por sinal está muito bonita hoje... mas como São Paulo é feita de poluição, não dá pra ver porra nenhuma, mas lá em São Carlos, o céu estava limpíssimo e a Lua, estava mais do que esplêndida! E... se eu fosse forte o suficiente, iria até pra Lua, pra ficar olhando a Terra lááááá de cima, rs. Tornaria a noite mais mágica que alguém poderia ter na vida. Mas como sou uma mera e estúpida mortal, tenho que ficar viajando na maionese (prefiro catchup, rs).

Falando em Lua... o filhinho da Érika olhou pra Lua e falou: Mãe! Olha... é o Sol!
Me matei de rir!!!!
Ele é muito engraçadinho... mas parece que foi ligado no 220w. Quando crescer, esse moleque vai ser pentelho pra porra!
Chega! Que tô "matracando" mais que um piriquito chato!

Pensando em: nuvens e Lua

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Nariz sangrando de novo

Esqueci de comentar nos posts anteriores isso. Fazia MUITO TEMPO que isso não me acontecia... acho que a última vez que aconteceu isso era logo quando eu cheguei aqui em São Paulo, que meu nariz estava se acostumando com o clima seco daqui.
Quer dizer... tenho uma teoria meio nada a ver ou tudo a ver sobre meu nariz.
Pra quem não sabe... eu já tive piercing "old school" no meu nariz, aquele que coloca no nóbulo lateral, de pedrinha mesmo, só que a calibragem da peça era mais grossa que essas que a gente vê agora, que mal aparece direito. E o meu era até que bonitinho... tudo bem que era uma pedrinha meio grandinha azul, mas depois comprei um que era uma estrelinha... ela sim era realmente bonita. Só que, eu fui num cara muito fuleiro, que simplesmente não sabia furar, e doeu pra caralho!!!!!!!
Então, acho que, por ter ido nesse idiota, eu acabei fudendo meu nariz, porque depois que coloquei, comecei a ter problemas no meu nariz. Infeccionou, fiquei meses usando pomada pra abaixar a bola de infecção que ficou, e vivia tomando cuidado com o meu nariz porque as vezes, do nada, ele sangrava a toa.
Até que um dia, morando aqui em São Paulo, fui dormir... e no meio do sono, o piercing engatou no cobertor e no dia seguinte revirei a cama toda e não achei o piercing. Daí, como eu tinha perdido o outro de pedrinha e não achava pra comprar o de calibre maior, fiquei um mês sem ter o piercing, o que acabou tampando o buraco. E logo depois desse mês de abstinência, é que o encontrei, mas aí eu já não tive mais coragem de furar de novo.
O buraco tampou, mas os problemas continuam... ficou um calombo meio realçado dentro do meu nariz, onde era o furo, e sempre quando dá algum problema nele, tipo entupimento, rinite, sangramento, é sempre o lado que tinha o piercing.
E ontem.... logo que eu acordei e fui no banheiro pra lavar meu rosto, só vi aquele mundaréu de sangue na minha mão... nada como um bolo de papel higiênico no nariz e virar a cabeça pra trás por alguns minutinhos não resolva, mas meu nariz estava mega sensível... eu não podia nem coçar direito que já sangrava, e fiquei quase o dia inteiro com papel higiênico na mão.
Eu não lembro se li isso em algum lugar ou se foi a psicóloga que me falou... mas me lembro de ter lido/ouvido falar que as vezes, quando a pessoa está passando por conturbações muito fortes, ou sentindo muitas coisas ao mesmo tempo, ou passando por abalos emocionais muito fortes e intensos, principalmente com pessoas que são mais introvertidas e que costumam guardar tudo quanto é tipo de sentimentos pra si, uma forma de externar um pouco isso é do nariz começar a sangrar, porque é onde os vasos sanguíneos são mais finos e sensíveis. Lembrei que talvez o homeopata que ia que tinha falado isso.
Quando a pessoa fica sobrecarregada por dentro, o corpo automaticamente sente a necessidade de externar esses estresses, abalos emocionais fortes ou intensos, e se você não arranja um jeito de soltar isso, o corpo toma a iniciativa e faz por você, como por exemplo, sangrando seu nariz.
Daí, tentei me lembrar se, na época que meu nariz sangrava muito era aquelas épocas conturbadíssimas da minha adolescência... e realmente, não consigo me lembrar, porque já sangrou tantas vezes que nem lembro dos momentos que ele sangrou, o que eu estava fazendo ou algo assim.
Tudo bem... um nariz sangrando... nada demais... só papel higiênico e já era! Só tomei um susto besta por não acontecer isso faz tempo. Depois, quem sabe, futuramente, eu descubra o que aconteceu dentro de mim pra ter externado dessa forma.
Agora ele tá normal (por enquanto, porque nem fui assoar o nariz, simplesmente levantei da cama e fui direto pra frente do pc, rs).

Eu escrevi uma frasezinha muito besta... mas eu gostei de ter escrito ela (coisa de gente retardada mesmo):

"Um fio de aço corta-lhe os dedos até perder a consciência... consciência do amor esvaindo-se do seu corpo..."

Não me pergunte o que significa... nem eu sei o que me fez escrever isso...

Ouvindo: Yeah Yeah Yeah - Black Tongue

Sonhos

Esqueci de comentar dos sonhos que tive. Só consigo lembrar de três deles (acho que sonhei com quatro ou cinco histórias diferentes).

1) Esse eu me recordo muito pouco agora, mas eu lembro que eu estava meio que procurando meu pai pra alguma coisa, e quando achei ele numa casa, ele não me deu nenhum apoio a algo que comentei pra ele, e parecia nem se importar com a minha presença. Daí fiquei chateada e fui tentar embora de lá, mas parecia que cada vez que andava, mais me perdia... eu não lembro que transporte estava usando, mas estava dentro de algo e esse algo estava tão esculhambado e velho que fazia transtornos no trânsito lá perto, me obrigando a largar o "algo" no meio da rua mesmo e ir embora a pé, e no meio do caminho, o Chico (um rapaz que morava perto do sítio que meu pai tinha) me achou na rua e começou a ficar me bajulando, do tipo querer ficar comigo, e eu tava transtornada e chateada demais pra ficar pensando nessas coisas, e tava me irritando aquilo tudo... e fim!

2) Esse eu acabei de relembrar agora! Estava no prédio onde eu morava antes lá em Manaus... estava em casa e fui descer pra portaria só pra pegar as correspondências... só que eu nunca conseguia acertar a caixinha do meu apartamento... tipo, eu pegava as correspondências, e depois via que peguei na caixinha do apartamento errado... daí largava e pegava outro, achando que era o meu, e de novo, errava... fiz isso umas quatro ou cinco vezes até acertar a minha caixinha. O problema é que eu achava muito estranho que, na caixinha dos outros, tinha cartas emitidas para mim, mas nos apartamentos dos outros. Daí, quando acertei a minha caixinha, tava lotado de cartas, e eram cartas escritas de punho, pessoais, e essas coisas, sabe? Não eram correspondências de contas e de pessoas jurídicas. E terminou assim.

3) Foi mais um flash naquela fase do "entre-sono"... o ambiente era exatamente onde me encontrava... estava deitada na cama, de frente pra Naomi, e ela também olhando pra mim... ela pegava nos meus cabelos e comentava o quanto eles eram fortes (ou fracos, não lembro)... e era tipo uma desculpa pra poder chegar mais perto de mim e vir querer me beijar, e eu meio que dormindo, sonolenta, sei lá... consciente e não-consciente ao mesmo tempo. Ela me beijou e fim!

4) De novo, no mesmo ambiente... deitada na cama, só que de costas pra cima... daí sinto alguém me abraçando por cima, e logo em seguida um peso sobre o meu corpo... era a Naomi que tinha deitado literalmente em cima de mim... na hora achei estranho, mas nem falei nada porque estava, novamente, naquele estado de sonolência consciente e não-consciente... e logo em seguida vejo a mão dela se apoiando na cama, e vendo escorrer umas lágrimas na mão dela. Achei que estava enxergando muito mal, e fiz um esforço enorme pra abrir meus olhos e tentar enxergar mesmo se eram lágrimas... sim... ela estava chorando... e bem na hora que pensei em me virar de frente pra ela pra abraçar, acabou o sonho!

Cada coisa que sonho... pppppppppfffffffffff.....

Um dia bem agitado

Na quarta-feira (17/11/2010) fui ver dois filmes lésbicos da Mostra Mix de Cinema com a Naomi... insisti pra gente ver, achando que os filmes seriam mais legais e tirar a idéia de que a mostra foi um fiasco e não prestou pra porra nenhuma. (ainda bem que prestou! rs)
Os dois filmes achei legal, mas não foi algo tão impactante pra mim ou de ter pirado no filme de tão legal, mas foram bem melhores que os outros que a gente viu.
Depois das sessões, a gente foi tomar sorvete e eu, sem querer voltar pra casa cedo, fui acompanhar ela até a estação, e chegando lá, me convidou pra ir na casa dela. Como eu não tinha nada pra fazer e não tava a fim de ir pra casa mesmo, aí fui.
No meio do caminho, a gente foi assaltada. Chegaram dois caras pedindo os celulares e falando que estavam armados. A Naomi simplesmente travou e não se mexeu durante o assalto inteiro, e eu, a idiota, fiquei falando que nem uma matraca e ainda fiquei reclamando que queria minha carteira de volta (hauhauahuahauhauhauhauh).
Olha a onda... os caras pediram o celular, e eu já falei: eu não tenho celular, mas eu tô com a carteira aqui e vou passar o dinheiro pra vocês. Daí fui pegando a carteira, e o cara falando pra eu tirar só o documento, e dar o resto da carteira pra ele... daí eu tirei só o documento e quando entreguei a carteira, fiquei pedindo os cartões de volta, porque ia ser um saco pra tirar segunda via e tal... daí o cara só tirou os que estavam de cara e foi andando. Daí, eu comecei a ficar muito desesperada vendo a minha carteira embora... ainda tinha mais um cartão de banco, mais a carteirinha de saúde, umas fotos 3x4 que guardo de recordação e o meu dinheiro... eu tava com setenta e cinco reais lá dentro. Aí, o que eu fiz? Comecei a andar atrás dos caras... e eles continuaram andando como se não tivessem me vendo eu seguindo... eles andavam mais rápido, e eu comecei a dar uma corridinha pra alcançar eles, eu queria a merda da carteira de volta! Daí, quando passamos de frente pra uma drogaria, os funcionários da drogaria estavam fechando a loja, viu eu correndo atrás dos caras e foram pra cima deles, só conseguiu segurar um deles, e o outro foi embora. Daí um dos funcionários tava com um ferro na mão e já ia dar uma porrada na cabeça do assaltante, foi quando eu falei pros caras se acalmarem e pra não bater no rapaz. O cara ficou desesperado e começou a falar que tava com fome e por isso foi me assaltar e tal... fiquei meio que com pena do cara e falei: você só quer o dinheiro, não é? só dinheiro? então porque você não pediu, que eu te daria de boa... pega os quinze reais e vai embora.
Falei pros funcionários pra soltar ele e deixar ir embora, e fui indo embora... só que os caras não soltaram o rapaz e logo em seguida chegou um carro da polícia... ficaram chamando a gente pra voltar, mas eu nem quis voltar... fui embora com a Naomi quieta até chegar na casa dela.
Meu... de boa... eu NUNCA imaginaria que teria uma reação dessas... quer dizer, se quer passaria na minha cabeça de reagir numa situação dessas...
Depois de ter passado o susto, eu fiquei com muita raiva de mim mesma por vários motivos:

1) Já pensou se o cara tivesse mesmo com uma arma ou uma faca? Eu ia reagir daquele jeito, e de repente o cara acerta nem em mim, mas na Naomi?Eu ia ficar muito fudida... por causa de uma reação estúpida minha, uma outra pessoa nada a ver iria se ferir... e se ela morresse? O que que eu ia fazer pra compensar a "morte" dela? Ia ficar eternamente... sei lá... nem sei que palavra usar... mas ia ficar com aquilo pro resto da minha vida, e iria me punir muito pra tentar compensar a merda que fiz.

2) Meu... como eu sou materialista... tudo bem que os assaltantes eram tudo pé-rapados, e que talvez eu só tenha reagido porque de alguma forma senti que os caras realmente não tinham nada nas mãos (ou por imaturidade e idiotisse minha), mas... frescar com o assaltante por causa da carteira???? Por causa de fotos 3x4, um cartão de banco e carteirinha de saúde? Porque na hora, eu realmente nem pensei no dinheiro, não estava nem aí pro dinheiro... mas o resto das coisas que tinha lá, fiquei transtornada de perdê-los. Meu... tenho que parar com isso... eu sou materialista demais... me apego demais com idiotisses e coisas supérflas como isso... eu fiquei super indignada com essa minha conclusão.

3) Meu... como eu sou egoísta, egoísta demais! Na hora, eu fiquei preocupada somente com a porra da minha carteira... e depois que fui saber que o cara roubou o celular dela. Nem me preocupei em correr atrás do outro pra tentar pegar de volta o celular dela. Nem me preocupei em saber se tinha roubado algo dela... ahhh meu... eu fiquei realmente indignada com essas minhas reações... decepcionada comigo mesma. Como eu sou filha da puta, que só pensa em si!

Enfim.... depois disso tudo... chegamos na casa dela, pedimos pizza, comemos, ficamos conversando, vendo vídeos no youtube, ensinando bem toscamente coisinhas idiotas no violão (porque sou uma péssima professora) até altas horas... a gente foi dormir umas seis horas da manhã... pra acordar, sei lá... acho que era quatro da tarde (pra mim é normal, pra ela, acho que nem tanto, rs).
Meu... nunca dormi tão bem na casa dos outros como foi no dela... eu tenho um pequeno problema de dormir na casa dos outros... as vezes, por mais confortável que seja, eu fico meio incomodada de ficar atrapalhando os outros em fazer uma cama pra mim, todo aquele trabalho de colocar lençol e tal, só pra eu dormir lá... daí eu fico meio que incomodada de ter incomodado os outros pra tentar me dar o maior conforto possível pra dormir lá e tal... e no fim eu nem consigo dormir direito de tanto que fico pensando nisso... e mesmo eu dando trabalho pra ela de ter que trocar lençol, fronha, arrumar cobertor pra mim e tal, eu não sei porque, não me incomodei muito com isso... eu custei um pouco a dormir porque fiquei relembrando a merda do assalto e pensei nisso tudo que escrevi acima, mas quando eu peguei no sono mesmo, foi uma beleza! Acordei super bem, e tão disposta que consegui comer pizza no café da manhã (que também já era almoço e janta, rs).
Depois fui embora pra casa... tomei banho... e fui pegar uns documentos que estava na casa da Maria (mentira, o nome dela é Jéssica, mas a gente apelidou ela de Maria, porque no serviço, ela só ouvia a gente quando chamava ela de Maria, rs), e devolver o pc da Juceli.
No meio do caminho, a Juceli ficou chorando muito... e depois de muita insistência minha, ela desembuchou... por causa de uma das meninas, com quem ela tem mais amizade... parece que ela vai ser mandada embora por motivos muito injustificáveis, e que o serviço só tá piorando, e o povo mais revoltado, folgado... e até ela está pensando em sair do serviço, de tão ruim que está e de não aguentar trabalhar mais lá sem a amiga dela. O negócio lá tá ficando osso mesmo... e daí pensei: então eu sai na hora certa!
E eu também acho que ela ficou chorando devido a minha frieza com ela... eu não estava mais me sentindo a vontade com ela... eu conversava de boa com ela, mas não tava fazendo mais gracinhas como fazia antigamente... nem queria mais olhar pra cara dela, pra não querer ficar chorando com ela por dentro.
E depois disso tudo... não posso dizer por um tempinho que a minha vida anda tão parada, monótona e sem graça. Poderia não ter a parte "assalto", mas de resto... vai... uma vez na vida tenho que admitir... acho que não passarei a ter um dia tão agitadinho por um tempinho como tive esses dias, rs.

Ouvindo: Switchblade Symphony - Witches

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Será que é muita coincidência?

Lembro de ter comentado, há muito tempo atrás, sobre os significados dos meus nomes, que faço questão de relembrá-los novamente:

Meu primeiro nome: origem eslava derivado de um nome de uma clã romana chamado Tacio, mas é um nome bastante usado em russo, e o significado em latim seria "aquela que manda" (ppppffffff... até parece). E lembrei que também significa alguma coisa paterna (mas que não estou achando nessa porra de google).
Meu segundo nome: em russo, é que nem Jorge (para o português). Em japonês, significa lírio (flor).

Bem... lembro-me de ter questionado e ter odiado saber que meu nome está completamente ligado a figura do meu pai, inclusive na porra do nome dele. Eu não sei se o meu nome foi concebido de forma proposital ou sem querer, mas que é muita coincidência, é! Ligação paterna e coincidir com o real nome do meu pai, sendo que este quase sempre foi ausente na minha vida no sentido de preenchimento emocional.
Daí, um amigo meu perguntou se eu sabia o significado da flor lírio no Japão... obviamente, disse que não sabia... e ele respondeu dizendo que lírio é uma flor que remete a morte, portanto... quando a pessoa morre, sempre se coloca lírios no túmulo.
Eu simplesmente não tô acreditando nessas coisas... quer dizer que, sem querer, já fui concebida a ser essa pessoa ruim, que traz mau (ou mal) agouro, de tudo que é ruim?
Quer dizer... para nossa concepção brasileira-católica, morte é sinal de ruindade... deve existir lugares e religiões que não deva ter esse tipo de imagem para a morte. Mas, considerando onde eu nasci e vivi, eu sou um significado de ruindade.
Sei lá... as vezes acho coincidências demais para serem apenas "coincidências"... e atribuo isso ao destino ser traçado desde que você veio ao mundo ou ao meu espírito ser "ruim" desde que ele existiu e por isso essas "coincidências" se juntam.
Daí, lembrei da Takeko (Spider Lilies) com a tatuagem dela da "flor da morte" (que eu realmente esqueci que flor era) entrelaçada em um dos braços dela. E que, depois de ter visto esse filme, fiquei com vontade de fazer quase a mesma coisa, mas com lírios. No filme, tem toda uma história do por quê ela ter escolhido aquela tatuagem pra fazer, com alguma coisa a ver com maldição e tal... e eu já tô quase entrando no mesmo clima dela com esse projeto fictício de fazer essa tatuagem de lírios em mim (fictício porque o medo de sentir muita dor ainda me consome bastante, por isso ainda não fiz uma tatuagenzinha se quer).
Acabei de descobrir que a tatuagem da Takeko é um lírio.

...

(com cara de decepção total)

Hein... pra que existo? Só pra ajudar a minha "velha e desconhecida amiga" chamada Morte (segundo "Sandman", a Morte é mulher) a identificar incognitamente e mais rapidamente as pessoas que estão morrendo? Ou só pra dar uma "organizada" nesse mundo dos vivos/mortos? Cuidar de algum "portal obscuro" entre a vida e a morte e que nem eu sei?
Poxa vida... é muita ruindade e tragédia apenas nos nomes... eu precisava disso tudo?
Fora a teoria básica que sempre falo pros outros quando ficam espantados com o meu sobrenome tão "exótico": Sobrenome de alguma família nobre? Que nada! Deve ter sido um lavrador folgado e pinguço que não tinha mais nada pra fazer e inventou esse sobrenome ridículo.
Só não descobri o significado porque nem a minha avó sabe... e se ela não sabe, quem saberá? Gostaria muito mesmo de saber da onde vem esse sobrenome. E se, já não bastasse ser feia, ainda foi escrita errada.
É sério... eu devo ter um problema muito sério de atração a coisas ruins... ou coisas que não edificam a minha pessoa e vida...

Mudando completamente de assunto agora... ontem fui ver sessões de pornografias de tudo quanto é tipo na Mostra Mix de Cinema com a Naomi... meu... é muita bizarrice pra um dia só! Fomos ver uma sessão de curtas pornográficos e logo em seguida, um filme pornô japonês bem típico: história bizarra, sem nexo algum, só meteção e narrativas chatíssimas, coloca-se objetos cenográficos e personagens absurdamentes inúteis e completamente desinstrutivas.
A sessão de curtas se salvou por três filmes: um que é uma velha que começa a fazer sessão de sado-masoquismo com vegetais (só chicoteada, gritava e pisava nos vegetais); outro foi uma banda de mulheres que canta uma música muito engraçada de lésbicas; e o outro era um filme que, estetica-sonoramente era muito bonito, mas não dava pra entender nada em questão de enredo narrativo, acho que foi feito apenas pra ser bonito.
Fora outras coisas muito nada a ver que, mesmo sendo ruins, não tem como esquecer: um que o cara simplesmente tem orgasmos com uma porcaria de um inseto (sei lá que inseto era) andando na cabeça do pênis dele (e o cara na banheira); outro era um tipo de concepção da "santa ceia" versão na laje de um prédio, pornografando com pães, vinhos e garrafas; a mulher que se masturba com um revólver e faz meio que "roleta russa masturbatória"; outra que a mulher ficar se esfregando com uma maçã até que ela coloca a maçã toda dentro dela, e tira depois; uns retardados andando de skate nus em algum lugar muito frio e com muita neve.
Enfim... nada como São Paulo para lhe oferecer esses tipos de "coisas" pra ver, rs.

E... diante de tanta pornografia que vi, se já não me bastasse, resolvi caçar hentais e vídeos lésbicos pornográficos... e eis que baixei um monte pra ver depois e um que vi no próprio site que, realmente, foi além das minhas expectativas porque, logo quando você pensa em pornografia lésbica, já pensa "ahhhh, vai ser uma porcaria porque esses pornôs lésbicos é tudo fruto de fantasias sexuais estritamente masculina,s o que deixa de ser excitante pra ser exclusivamente meteção de brinquedos, acessórios e uma utilização muito mal feita da boca e língua, fora as encenações ridículas de gemidos e gêneros".

Mas... sabe do que sinto falta? De ver filmes que me impacte, que me emocionem, que me deixem com a famosa "depressão pós-filme", que me faça sentir muito mal depois de ter visto o filme, ou um filme que tente transpor um pouco essa falta de "afeto" que vira e mexe sinto, falta de gostar de alguém de verdade, e essas melações ridículas que tenho.
Ah... sei lá... sinto-me meio vazio... mas não que eu só sinta isso agora (essas coisas vêem de anos)... mas ultimamente, anda me consumindo de uma forma angustiante... mas... paciência (coisa que mais faço nesse mundo é ter paciência, ou aprendendo a me acostumar com coisas ruins).
E... pra tentar suprir esse "vazio", resolvi pegar minha guitarra e tentar tocar umas músicas que vinha na cabeça... mas comecei a ficar meio frustrada porque eu não tava conseguindo tocar nada que passava pela minha cabeça, tendo que sempre optar a tocar músicas de bandas que já toquei bastante e conheço muito bem, tipo, algumas do Legião Urbana, Pato Fu e Cranberries (é praxe)... se bem que não gosto muito da guitarra, porque não é nada confortável dedilhar naquelas cordas de aço, mas o meu violão foi em partes pro saco, porque caiu o bagulho de ficar rodando pra afinar a corda, então não dá pra afinar uma das cordas e tocar bonitinho.
Então... vou pra cama assim... com os dedos e pulsos doloridos... e sem conseguir ouvir as músicas que queria realmente tocar e cantar...

Ouvindo: Angela Aki - Tegami (uma das músicas frustradas na guitarra)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Coisas bestas e só pra deixar de recordação

Depois que o site da Haitou foi pro céu e não ter pesquisado mais nada a respeito de animes e gêneros, resolvi procurar pelo site da Gokigenyou novamente. É um fansubber que me agrada bastante por traduzirem animes yuris e terem uma legenda razoavelmente decente (não é o ideal, mas está bem acima dos que a gente vê por aí), e acabei achando por lá mais um hentai yuri que se chama "Sono Hanabira ni Kuchizuke wo Anata to Koibito Tsunagi". A história é MUITO IDIOTA, mas pelo menos não tem forçadas de barra que nem o Shoujo Sect em alguns momentos, e é em apenas um episódio (enquanto o Shoujo Sect é em três).
A história (se é que tem história) é de duas amigas que recentemente se declararam e uma delas, depois de terem "se pegado" na enfermaria da escola, ficou doentinha e faltou a aula, e a outra foi "acudar" a sua amiga. É só isso! E, infelizmente, o hentai é quadriculado (paciência).
Mudando de rumo, achei dois jogos muito foda pro Wii: um é o "The House of the Dead: Overkill". Apesar da história ter ficado muito "comediado" com história de zumbis, o jogo continua foda, e já não estar tão assustador quanto as versões anteriores, com a ajuda da trilha sonora super descontraída e nada a ver com o jogo, com a história e ambientação do jogo, mas também não chega a avacalhar tudo, e o esquema de tiros pro Wii ficou muito bom e legal (que era o meu maior receio). E o outro é "Samurai Warriors: Katana". Mesma ambientação do jogo no Playstation 2, só que agora você só controla as espadadas ou outras ferramentas que usará durante os jogos, tendo que mirar nos adversários pra acertar e, pra acionar as espadadas mais fortes e especiais, você tem que fazer o movimento com o controle. Muito foda! Só que, como toda burra que se preze, travei em uma fase que tem que usar a espada e arco e flecha juntos.
E a saga "Dance Dance Revolution" pra Wii ficou uma porcaria... baixei o "Hottest Party 3" e achei uma porcaria pra jogar no controle (no formato do palito) e as seleções das músicas pior ainda, então, já me desencantei com ele e prefiro continuar brincando no DDR do Playstation 2.
Conheci uma garota no Leskut (a Palloma) que ela curte essas coisas de anime e games, daí a gente fica trocando informações de jogos (principalmente), e ela me mostrou um muito "loco" chamado "Just Dance". Simplesmente você tem que dançar que nem a pessoa que mostrará no jogo, fazendo exatamente os mesmos movimentos que a pessoa faz, e não sei como o controle detecta os movimentos e se está fazendo certo ou não. Na verdade, você dança com o controle na mão, então os movimentos dos pés não precisa necessariamente fazer, mas os braços são importantes. Eu não gosto de dançar e não levo nenhum jeito pra isso, mas o jogo chega a ser viciante! Eu peguei dela a versão 2... pretendo achar a primeira versão pra ver quais músicas tem. E tem muitas músicas conhecidas.
Mudando de assunto novamente... hoje andei ouvindo música de uma forma muito estranha. Quer dizer... na verdade... eu não estava conseguindo prestar atenção nas músicas, e simplesmente acabavam relativamente rápidos demais pro meu gosto, e o mais estranho ainda é que estava "ouvindo" sem estar prestando atenção em nada aqui na net ou em qualquer outra coisa... acho que estou realmente avoada, mas não sei porque disso, e isso está me incomodando.
Me incomoda não conseguir pensar em nada, não conseguir prestar atenção em nada... e talvez seja por isso que até agora não me drogo (isso é bom ou mau/mal? rs) (sim, sou burra em português, e já me explicaram duzentas formas de decorar o mau/mal certo pra usar pra quais significados, mas eu não consigo decorar e entender).
Mudando de assunto de novo... eu vi um vídeo de uma moleca de treze anos que toca bateria de uma forma muito fenomenal... a moleca é foda!!!!!!!! E essa eu tenho que postar o vídeo aqui, porque... puta que pariu... tô babando até agora... e já quase decorei a música de tantas vezes que vi o vídeo:



E tem vários vídeos dela... a maioria é de músicas do anime "K-ON!!!", mas tem outras mais chatas e mais específicos pra bateristas, e uma ou outra de rock também... mas a mina é muito foda...
E daí, fiquei pensando: por que eu não nasci com algum dom também? rs
Eu, sempre invejando os sucessos e alegrias dos outros.... pppppffffffffffff....
Mudando de assunto again... eu resolvi criar um Formspring (tipo um site especificamente pra perguntas e respostas), porque eu simplesmente adoro responder perguntas, sejam quais forem os assuntos, mas claro, sempre respondendo de acordo com as minhas interpretações, independentes se estão certas, erradas, com nexos ou sem nexos... então... quem quiser me perguntar algo, fique a vontade... a caixinha pra perguntas fica bem ao lado direito dos começos dos posts. E olha como eu sou legal, deixo vocês perguntarem anonimamente... e como eu sou besta né? Porque ninguém olha essa porra de blog! Só eu e mais duas pessoas (eu acho).
E... é isso!

Ouvindo: K-ON!!! - Go! Go! Maniac! (porque não sei quem canta ainda)

Hipotéticas declarações a ser colocadas em "fale de você" em sites de sociabilização

"Uma pessoa que talvez você conheça em um dia e nunca mais verá daqui alguns meses... mas que fará alguma diferença em sua vida."
(nem querendo ser "a fodona"... ridículo... descartei)

"Uma pessoa simples, mas que te trará sensações e sentimentos novos."
(HAUHAUAHHAUHAUHAUHAUHA.... sem comentários... descartado!)

Mas... uma das que escrevi que até agora acho que mais se encaixou foi:

"Algo inexplicável que nenhum ser vivo queira saber."

domingo, 14 de novembro de 2010

Conclusão estúpida

Acho que estou meio instável porque estou "nos dias".
Por isso, posts tão sem nexos, confusos e loucos.

Zumbi master!!!

Estou que nem um zumbi... morrendo de sono... e mesmo assim, ainda de pé...
Fui dormir muito tarde devido a fissura de jogar Wii... dormi acho que uma ou duas horas apenas, pra acordar nove e quinze e ir pra aula de penteado.
Se eu soubesse que a aula seria daquele jeito, simplesmente faltava e já era, ia ficar reclamando pra pegar logo o certificado. Owwww aula xulepa! Se bem que eu fui avisada, mas não imaginava que seria tão ruim assim... uma aula de cabeleireiro seria mais útil.
Depois de ter perdido minha manhã de sono, fui almoçar lá na casa da Mari e voltei mais ou menos agora.
Hoje tô meio agitada... mas uma sensação de agitação negativa, ou ruim... talvez seja apenas o excesso de sono.
Acho melhor ir dormir logo.
Essa semana que passou sonhei com várias coisas... mas várias coisas mesmo... só que não consigo lembrar de nenhuma delas (o que é uma pena). Gosto de descrever meus sonhos pra depois reler e relembrar, principalmente se eles forem embaladas de sensações estranhas, que nunca aconteceram, ou até aqueles famosos sonhos-reais.
Eu tô com tanto sono... mas tanto sono... que nem tô conseguindo pensar em alguma coisa pra escrever aqui... e eu pretendia fazer mais um livro-post... mas, tá foda...
Só uma coisinha idiota que pensei agora: queria que alguém inventasse um leitor e gravador de pensamentos, porque sempre quando estou prestes a pegar no sono, minha cabeça começa a martelar um monte de pensamentos, teorias, releituras hipotéticas de diálogos, e queria tanto ter esses registros pra depois postar aqui... só que depois eu já nem lembro mais. Já tentei escrever no celular palavras-chaves pra depois lembrar e colocar aqui, mas não deu certo (óbvio né? com sono, quem é que vai ter coragem e forças pra pegar no celular e tentar digitar algo? rs).

*Sonooooooo... sonnnnoooooooo....

ZzzzZZzZzZzzZzZzZZZzzzzzzzzzz

Diário de bordo atrasado

QUINTA-FEIRA

Não lembro se fiz algo pela manhã... só lembro de ter ido pra casa da Naomi a tarde ver "Air Doll", que ela estava com o vídeo em .avi e eu com as legendas em português, e como eu estava a fim de ver faz um tempinho (e ela também), daí fui. Eu achava que no filme, a boneca teria mais surtos existencialistas e questionaria mais sobre, mas não foi bem o que aconteceu, mas foi bom de qualquer forma. A atriz que fez a boneca, ela sim é foda. Interpretou de uma forma que, sei lá... as vezes você confundia se estavam usando a boneca de plástico ou a atriz, de tão boa que era, fora a maquiagem que conseguiu disfarçar bem o tom e a textura de pele humana. Depois do filme, comi um bolo de chocolate que ela fez (que estava muito bom por sinal, só tava meio gay por ela ter feito no formato de coração, mas tudo bem, tinha M&M's e o bolo estava realmente gostoso, rs), e depois de ter trocado as cordas do violão dela, fomos comer no Black Dog da Barra Funda... e lá, não tem jeito, sempre tá vazio, rs. Depois voltei pra casa dela só pra pegar as minhas coisas que deixei lá e fui embora (logo porque, não ia morar nem dormir lá né? Mal costume de achar que as pessoas tem os mesmos horários que o meu e acabo nem me tocando das horas).

SEXTA-FEIRA

Acordei só pra tomar banho e sair de casa. Tinha combinado de ir ver uma sessão de curtas-metragens do Festival Mix Brasil de Cinema com a Naomi. Foram em torno de seis ou sete filmes e sinceramente, esperava mais, comparado da última vez que vi, que foi inclusive relatório de uma matéria da faculdade pra fazer, parecia que tinha mais curtas e histórias mais legais, mas já fazem uns 3 ou 4 anos, acho. Enfim... depois a gente comeu numa padaria que tinha lá perto do MASP (exatamente na rua do Itaú Personalite que todo ano colocam aqueles montes de bonecos de natal e o papai noel que ficam se mexendo). Daí a Naomi lembrou daquela sessão de filmes que rola a madrugada toda lá no Cine Belas Artes e, como era uma coisa que eu sempre quis ver faz muito tempo, topei de assistir com ela. Enquanto esperávamos passar as horas de começar as sessões, ficamos basicamente rodando por todo o Conjunto Nacional, incluindo a parte que tem a Contax e a academia (e descobrimos que lá pros cantos, tem um protótipo de mini-corrida de atletismo e uma extensa sacada de frente pra Avenida Paulista, provavelmente onde penduram aqueles arco-íris quando chega a Parada Gay).
No meio do caminho comprei aquele brinquedinho que os caras sempre ficam jogando de frente pro Shopping Center 3, um bagulhinho que voa lá pra cima e vai descendo rodando, e é brilhoso. Só que o meu, não sei se eu que não soube jogar, ou precisa estar em um lugar onde bata vento, não rodou quase nada... acho que ele veio com defeito de fabricação, rs.
Chegando lá... meu... um monte de gente, mas sabe o que é um monte de gente? Tanta gente que eram duas salas pra fazer essa sessão de madrugada, e um povo mais estranho que o outro (como se eu não fosse também, rs). Primeiro filme foi "Vida Durante a Guerra"... não foi o melhor filme do mundo, mas foi legal, acontecia umas coisas meio engraçadas. Depois foi "O Garoto de Liverpool", falando da vida do John Lennon. Filmes biográficos nem tem muito o que falar porque é a história do cara, mas eu sinceramente, não fazia a mínima noção de que o cara era pentelho e vivia aprontando quando jovem, e algumas partes do filme me comoveram... e me fizeram lembrar coisas não muito legais que foram ficando na minha cabeça pelo resto do dia que fiquei acordada, mas paciência...
Agora o último... era tão chato, mas tão chato que eu realmente me esqueci do nome, rs. Putz... mor comprido (foram quase duas horas e meia de filme) e várias partes do filme ficava muito parado... me dava até raiva que eu não conseguia dormir, e a Naomi conseguia tirar altos cochilos, rs.
Depois das sessões, os caras dão café da manhã (tipo toddynho e uns biscoitos de pacotinho, bolinho, essas coisinhas), e achei legal ganhar comida (tudo bem que não era de graça, mas quebra um bom galho, rs). Depois fui acompanhá-la até o Tucuruvi e fui embora pra casa. Devo ter chegado umas oito da manhã e fui dormir acho que nove e meia, porque ainda estava meio esperta, mas nada que jogar um pouquinho de Picross 3D pra não dá um sono rapidinho, rs.

SÁBADO

Acordei era umas cinco da tarde, só pra entrar na net rapidinho, tomar banho e ir pro Sample Central. Dessa vez peguei o outro sabor do chá que tinha pegado da outra vez, um litro de uma outra marca de chá, Vanish Tira Mancha Rápido (e prestou!), pilhas da Elgin e tempero de comida da Etti (e agora que fui ver que nunca comentei da Sample Central, depois eu explico melhor). Daí liguei pra Mari pra fazermos algo, encontrei com ela no Santa Cruz e fomos pra casa... ficamos esperando o Marcelo, enquanto isso ficamos jogando no Wii do meu primo (hehehehehehehehheheheh). Depois fomos comer no Habiba (Habib's, nnnnnnnãããããããããããoooooooooooo, rs) e tentar gastar trinta paus no Pão de Açucar pra não pagar o estacionamento (que sairia mais barato), e que depois descobrimos que gastamos a toa porque bem na nossa vez, o carinha da guarita não estava lá e poderíamos ter saído sem pagar nada. E o pior que, na neura de consumir os trinta reais, resolvi experimentar comprar aquela água Perrier, pra ver se era realmente tão boa assim. Só a garrafinha foi arredondando cinco reais. Quando fui tomar... pppppppfffffffffff.... era água com gás! Se eu soubesse ou tivesse lido, nem teria comprado, odeio água com gás.
Depois voltamos pra casa, ficamos jogando mais um pouquinho na falta do que fazer e o povo de duas pessoas (rs) estão tentando dormir lá na sala, e eu aqui no pc tentando atualizar um pouco o blog, já que fiquei meio que três dias sem postar nada e tendo feito várias coisas.

*Confissão
Tô gostando muito de sair com ela, sabe? E tô me policiando muito pra que eu não comece a ficar confundindo as bolas... porque tô achando a amizade dela muito legal... fora a pessoa em si... e, com ela, pretendia ter um laço de amizade mais profunda (sem má intenções), como se o meu pinginho minúsculo de intuição correta (porque eu também tenho aquelas "intuições" que acho correta mas depois vejo que foi uma burrada) dizesse pra mim que ela é uma ótima pessoa e que será uma futura, boa e eterna amiga do peito... então, ele já fica me espetando: não vai querer achar que é amor e depois estragar mais uma boa amizade por causa desse "amor", porque de estragar amizades, já fez de monte, né?
Mas as vezes me pego pensando: hipoteticamente e impossívelmente falando... já pensou como seria se eu namorasse ela? Seria legal porque é uma pessoa tão alegre, cheia de vida, acho que ela nunca me desanimaria, bem diferente das pessoas que já me relacionei e conheci, me passa uma energia muito boa, as vezes até esqueço que sou uma pessoa triste, fora que ela é uma gracinha de pessoa (por dentro e por fora).... mas logo depois penso: mas ela é quase o contrário de mim em muitas coisas, somos bem diferentes, gostos bem diferentes, ideologias e estilos de vida diferentes...
Daí o "anjinho da guarda" pega na minha orelha e fala: abaixa a bola sua trouxa! Só pode sonhar com isso, tá? Vai tocar sua vida em outras coisas e esquece um pouco disso... você tá aprendendo a não depender só de afetos.
Daí eu volto a realidade e sinto a minha bunda quente de tanto tempo que estou sentada na frente do pc, rs.

Pensando nisso agora... as vezes já quis tanto ser aquelas pessoas que nem se preocupam com amores, afetos e essas coisas... e vai tocando suas vidas de boa... e conseguem viver de boa assim... as vezes queria ser assim... algumas poucas vezes já pensei em desejar ser até insensível... é um problema a menos que a pessoa se preocupa... e eu, já sou preocupada demais com coisas que existem, e mais ainda com coisas que não existem e que eu crio na minha cabeça.
E... sobre as partes do filme do John Lennon que me comoveram... era a parte que explicava da onde veio o pai dele, e a mãe dele que era meio doida, de vários homens e tal... fiquei lembrando dos meus pais, da filha da putisse que meu pai fez pra minha mãe, como a minha mãe deve estar uma merda agora, não tendo marido e nem a filha que sempre quis e sonhava...
E daí, voltou por uns momentos todo aqueles sentimentos que tive de ser uma decepção pra minha mãe, que, por mais que ela fale que me ame e que gosta de mim, e que sabe que não sou uma má pessoa, no fundo, acho que ela deve ter uma tristeza profunda por mim. Eu não tenho como pedir desculpas por isso porque não escolhi ter essa opção, e não faço pra provocá-la, aliás, ODEIO brigas, confusões, atritos de todos os tipos, eu fico fora de si quando essas coisas acontecem comigo ou perto de mim, fico desnorteada e sem ação e palavras, e até eu engolir tudo e digerir, demoro dias, as vezes meses.
E lembrei que queria fazer tudo que a minha mãe quizesse, só pra compensar um pouco toda a frustação que ela deve ter passado (se é que ainda não deva estar passando) por eu ser assim. As vezes até faço uns agrados pra ela, mas não dá pra fazer todos, logo porque agora tenho minha vida, e a vida que quero seguir, definitivamente não é bem o que a minha mãe queria e imagino que ela não deva gostar muito de saber as coisas que faço ou pretendo fazer com relação a isso. Evito ficar falando dos meus relacionamentos, do que eu sinto, do que eu pretendo ou quero com isso, porque sei que ela ainda não se adaptou, e acho que nem vai se adaptar... antes exigia que ela me aceitasse incondicionalmente, independente do gosto dela... mas agora sei que não posso fazer isso com ela, é muita judiação e exigir demais. Talvez seja por isso que as vezes me sinto muito desamparada... porque sei que, com a minha mãe, não posso contar pra essas coisas... e fora minha mãe (ia falar família, mas o meu pai, sinceramente, já nem sei se posso contar como se fosse da família, agora eu tenho mais dúvidas ainda se ele ainda me considera como se fosse a filha dele, porque as atitudes e pelas poucas coisas que ele fala, dá a impressão de que conversa como se fosse com qualquer pessoa, não como uma pessoa especial pra ele), e meus pouquíssimos amigos, não tenho mais ninguém. Eu também sou exigente demais, querer ter sempre alguém que possa atender minhas "necessidades" a qualquer hora... é por isso que evito ficar procurando as pessoas quando estou mal ou na merda... se é pra ficar na merda, que eu fique sozinha, porque ninguém é obrigado a ficar com orelha de pinico pra mim ou ficarem me bajulando só pra eu parar de falar as minhas merdas. Ninguém precisa ficar triste só porque eu estou triste... ninguém precisa compadecer pelas minhas mimações só porque eu acho que as minhas tristezas são as piores e mais sofríveis do mundo (sendo que é a mais pura mentira).
E... sinto muito... era pra ser só um post das coisas legais que andei fazendo... é que eu tô com muito sono e meu senso crítico e o bom senso também foi pro saco... tanto que tô escrevendo tudo que vem na cabeça, sendo coisas que nem tem nexo uma com a outra... e nem tô preocupada em tentar escrever de forma lógica, racional e entendível... tô escrevendo de qualquer jeito e nem prestando atenção se estou escrevendo certo ou errado... portanto... me perdoem os erros e o relaxamento...
Só uma observação que tive agora: acho que, toda vez que fico muito tempo alegre ou algo assim.... eu sinto necessidade de ter um momento, um dia de tristeza... não sei se isso é um método automático pra eu nunca aumentar minha auto-estima, ou pra manter meus pés no chão, ou qualquer coisa inexplicável... é uma coisa que acontece independente da minha vontade.
E eu vou precisar acordar cedo, tipo nove horas da manhã de hoje pra ir fazer a porra da aula de penteado, pra não ter que ir na terça. Vou fazer um esforço enorme pra acordar e me manter acordada.

Ouvindo: uma música enka que não sei o nome da música nem da cantora... mas é uma música que tá me deixando triste no momento.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Um dos dias mais inúteis que tive na vida

Meu dia foi: acordar às quatro da tarde, ficar na net, jantar, ler poucas páginas do livro, dormir mais duas horas e meia, voltar pra net...
Só!
São duas e dezoito da manhã... ainda pretendo tomar meu banho de "santo" (aqueles de você ficar horas se esfregando, lavando os cabelos, limpeza completa) e ir num supermercado comprar o bendito papel higiênico (e outras coisas também que preciso).
Sem teorias, sem experiências, sem porra nenhuma... nem joguei no Wii hoje...
Portanto... fim!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Feita de lembranças

Andei reparando que tudo que faço, tudo que penso, pra quase tudo, me remete a lembranças do passado, me faz pensar em coisas passadas... então, eu sou feita de lembranças, ou seja... sou um museu velho!
Mas... tem coisas que já nem lembro mais como são, como sentem, como acontecem... por isso tento manter ainda esse blog inútil e sempre que possível guardo os ingressos dos lugares e eventos que vou.
Depois que me recordei que antes, eu tentava fazer umas poesias e copiava para um caderno poemas e poesias que lia de outros lugares e achava legal. Agora fico pensando: como eu era idiota!
Lembro também que, antes do blog, tinha o meu diário... foi basicamente o diário dos meus anos de negação a minha opção sexual. Fazendo agora uma analogia bem idiota e de amador, acho que foi até bom ter feito esse diário e depois ter dado o fim nela... de repente coincidiu com a realidade de, no ato de jogar o diário fora, ter jogado quase todos os meus receios e negações com relação a isso. Não digo todos porque tem coisas que ainda permanecem, mas não quanto a minha opção sexual em si, mas com preceitos e ideologias minhas que fui carregando e criando durante essa fase.
E voltando ao assunto de ser feita de lembranças... eu não gosto muito disso... acho que isso me prende a ser essa pessoa medíocre que sou, porque sempre lembro das coisas passadas e a partir daí tomo atitudes normalmente incorretas e imprecisas. As vezes queria ser mais razão que emoção. Emoção é mutável demais, e não gosto de mudanças... só quando são necessárias. Fora que, de emoção já levei chitocadas e murros demais dela... e mesmo assim, mesmo odiando-o, ainda quero sentir emoções nunca sentidas (se possível das boas e melhores, porque de ruim acho que já recebi bastante), e querer viver desta forma (se é que tenho vida ainda).
Várias vezes me questionei o que me prende nessa vida ainda... que merda tenho ainda aqui na Terra que não me faça ir pro além logo, por mais que talvez esse "além" possa ser pior que aqui (ou melhor, mas acho muito improvável). E um dia, conversando com uns amigos meus, não lembro como fomos cair nesse assunto, mas começamos a falar de missões de vida, espiritismo e essas coisas, daí comentaram que uma vez foram não sei aonde (esqueci se é pai-de-santo ou outra denominação que realmente não lembro no momento) pra saber a vida passada de uma pessoa e saber a missão desta aqui na Terra. Só falaram que a pessoa veio aqui pra aprender a amar, e meio que traçou a vida futura (em uma escala bem curta) dela. Comunicaram a pessoa, e logo depois de ter dito isso, acho que não soube lidar com a informação e começou a "se perder no caminho" (como a pessoa disse, rs). Depois dessa conversa, eu fiquei com muita vontade de saber qual a minha missão nessa vida (apesar de já terem dito o que achavam e que provavelmente, mesmo a pessoa não sendo santa ou sendo alguma divindade, deva estar certa e vou ouvir a mesma coisa se eu fosse pra um pai-de-santo ou gêneros), e principalmente... queria muito saber (se a pessoa souber responder, óbvio), o que diabos me prende nessa porra desse mundo até agora?
Eu conheço somente uma pessoa que já me disse que faço diferença na vida dela. Não diferença de mudar a vida da pessoa totalmente ou trazer mudanças drástricas (sejam boas ou ruins), ou coisas visíveis. Fora essa pessoa, eu não sei se faço falta pra alguma pessoa ou não... e não digo falta física, mas falta da minha pessoa de dentro, do meu espírito, ou qualquer coisa assim que não consigo explicar.
E isso foi uma coisa que eu não senti quando fui pra Manaus. Eu vi os meus amigos, mas sinceramente, eu não sei se agora eles sentem falta da pessoa que eu era/sou, se ainda se preocupam quanto a minha pessoa em si e minha integridade, como eu por dentro... porque todos se preocupam e ficam curiosos em saber como anda sua vida, sua sociabilidade, se está trabalhando ou não (ou seja, fofocas básicas e superficiais), mas ninguém quer saber se você passou por alguma experiência que te marcou, ou te comoveu ou te fez mudar conceitos, preceitos e ideologias... ninguém quer saber se você está realmente bem ou não (emocionalmente falando com um pouquinho mais de profundidade, não se você está apenas gostando/amando alguém ou não). Eu acho que é desses tipos de pessoas que sinto uma enorme falta, e nem sei se isso realmente existe, esse "ideal" de pessoa.
Sei lá... acho que me decepcionei um pouco indo pra Manaus e talvez, por conta disso eu não esteja mais interessada em voltar pra lá, fora todos os motivos externos-climáticos que já citei. Eu também não sei se tem como manter esse tipo de sintonia depois de anos sem se falar, sem se ver... não sei... talvez eu esteja falando besteiras demais e exigindo demais dos outros... mas... sei lá... eu falava com eles como se eu falasse com o pessoal que eu trabalhava antes, sabe? Só por um fator a mais (mais não tão importante assim, se você for pensar bem) que esses meus amigos sabem da minha opção, mas isso por si só, é um mero fato ou escolha... se a pessoa quer saber se eu tô apaixonada por alguém, se eu fiquei com mais alguém, como anda meu coração (não que meu coração não seja uma víscera qualquer, mas enfim, só pra saber se ele está batendo mais forte ou não por alguém é apenas um fato).
Quando eu conheço alguém, vou com a cara da pessoa e quero conhecê-lo melhor, é porque tenho interesse em saber não só coisas externas-sócio-econômico-cultural, mas também tenho interesse de saber suas experiências, seus pensamentos, seus sentimentos, como é a pessoa emocionalmente... saber das coisas que marcaram positivitamente e negativamente a sua vida, como a pessoa construiu determinadas ideologias, e essas coisas de gente que não tem o que fazer (como eu!).
Eu sinto falta desse interesse por conhecer a pessoa como um ser único e descobrir, se possível, quase tudo sobre ela. Logo porque, além de uma bagagem de informações e conhecimentos que você terá com ela, terá também a oportunidade de falar que você conheceu tal pessoa que era especial por isso, isso e aquilo, e por ser única você teve o privilégio de conhecê-la.
E cortando um pouquinho o assunto... acho que tô começando a fazer minha cabeça funcionar um pouquinho melhor (nem se for pra coisas egoístas como me conhecer e saber um pouquinho melhor o que eu quero, sei, penso, etc). Voltando aos tempos que falava umas coisas que até agora não consigo lembrar como cheguei em tal conclusão e que fazem até um certo sentido.
E é por isso que sempre reclamo de superficialismos e tenho mais medo ainda de ficar assim... quer dizer, eu acho que já tô começando a ficar assim... o que seria MUITO TRISTE!
Assim como também, talvez... por querer ter vínculos vitalícios só com pessoas que sejam dessa forma que descrevi, que vivo muito só e isolada de convívios sociais (que também não é muito bom).
Poxa vida... achei tão legal isso que falei... poderia ser que nem aquela mulher que já esqueci o nome, que dizem que ela era autista e "teoricamente" se curou sozinha e criou um sistema de abatimento e aplicação de vacinas em bois por um método muito menos estressante pro animal, que consiste em colocá-lo em uma máquina que vai meio que "prensar" ele, mas não até esmagar, só pra deixar o boi mais firme na máquina, e essa prensa faz alguma coisa no corpo dele que o faz relaxar. E eu já experimentei esse método de ser prensada (por outros meios, óbvio) e pra mim, funcionou que foi uma beleza! Dizem que não funciona pra qualquer pessoa. Será que sou uma vaca então? (que merda, rs)
Mas citei da mulher porque depois ela foi reconhecida no mundo inteiro por essa criação (e eu não sei se ela fez isso fundada em coisas psicológicas do animal, genéticas, ou coisas mais científicas), mas ela ficou importante. Não que eu queira ser (re)conhecida no mundo inteiro, só gostaria de ser importante pra alguém em base de tudo que falei nesse post.
Será que um dia eu consigo?

*Teoria dissertada em uma hora e quinze minutos

Lembrei de uma coisa idiota...

Peguei emprestado do prédio (siimmmm, as pessoas deixam livros lá no térreo e você pode pegar a vontade, contanto que devolva intacto, rs) o livro "A Menina Que Roubava Livros". Sinceramente, acho que vai ser uma merda, que não vou gostar do livro e não vou aguentar ler nem um capítulo inteiro, mas eu peguei pra ver até onde eu aguentaria ler, aliás, nem sei direito a história. Fora que, o que eu ganhei faz um tempinho, acho que tá faltando um capítulo fino pra terminar e me deu preguiça pra ler o restinho porque começou a ficar muito sem graça (e é um livro-série infanto-juvenil estilo Harry Potter, saga Crepúsculo).
Sim... sou uma merda pra ler livros... não gosto deles... só quando realmente me interessam demais (que não é o caso do citado acima).

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Meus dias inúteis e sem graça

Ontem me deu uma louca e resolvi acordar uma e meia da tarde, almoçar aqui em frente de casa, pagar uma conta e ir na Santa Efigênia procurar o controle remoto de ar-condicionado da minha mãe, e pesquisar quanto tá um pen drive melhor que o meu (de capacidade). Eu perdi tanta noção das horas que comprei o pen drive, película pro meu celular e na hora de ir comprar o controle, já tava fechando as lojas, ou seja... vou ter que voltar pra Santa Efigênia de novo... pppppppfffffffff...
E na preguiça tremenda de sair de casa de novo depois de quatro horas de andanças, tive a coragem de fazer arroz e assar uns tekitos xoxos que tinha aqui em casa (e ainda tem).
Hoje era pra ter ido no curso pra fazer a última aula que faltava, a de penteado em cachorros, só que eu fiquei com tanta preguiça, mas tanta preguiça de sair da cama que acabei nem indo mais. E sinceramente, se for o caso, dispenso a aula e quero pegar logo o certificado, acho que vou amanhã lá dizendo que tinha passado mal e por isso perdi a aula e que quero meu certificado. Eu não sei porque, eu desencantei com aquele lugar (onde eu faço o curso) e não gostaria de voltar lá.
Aí, só pra não dizer que não andei um pouquinho, fui no supermercado a fim de comprar coisas pra beber (suco e/ou refrigerante), papel higiênico (o mais urgente) e uns congelados pra deixar estocado quando eu tiver preguiça... e no fim, o mais urgente acabei nem comprando por não ter como levar, rs. Acabei comprando carne moída, alface e tomate pra fazer aqui em casa mesmo (ooowwwwwwwwww, que milagre!). Não foi a toa que choveu.
Eu sou tão tosca pra cozinhar... que um dia comprei um saquinho pequeno de alho pra deixar na geladeira pra quando precisar, daí fui usar hoje... pra quê? Estavam todos mofados, mas sabe o que é mofado de pegar neles e sair só pozinho de mofo? Tive que fazer carne moída só com óleo e cebola, e tentei incrementar um pouquinho colocando um pouco de vinho, mas não ficou muito legal porque não acertei o sal, mas o gostinho do vinho ficou bom, fora que tirou bastante o cheiro da carne (não gosto muito do cheiro da carne crua, assim como frango e peixe). Espero piamente que o vinho também não esteja estragado porque já está na geladeira faz um tempinho, rs. E a salada ficou melhor que a carne.
Acho que descobri porque eu não gosto de cozinhar... porque eu demoro MUITO pra fazer as coisas... olha quanto tempo eu perdi: fui colocar o arroz pra cozinhar tipo umas oito da noite, e enquanto cozinhava, fui fazendo a salada pra comer hoje e amanhã, daí fui deixar tudo preparado pra fazer a carne moída, fui lavando umas loucinhas que tinha na pia e logo depois fui fazer a carne... eu só fui comer mesmo era umas nove e meia da noite! Uma hora e meia só pra fazer arroz, carne moída e salada? Fora mais meia hora que perdi pra lavar as louças (é que eu tinha uma assadeira pra passar bombril porque a faxineira é incompetente pra tirar manchas e óleo e o óleo em si). E esse é mais um motivo pra eu odiar lavar louça: porque eu lavo MUITO BEM, sem deixar nenhum resquício de gordura ou sujeira, e por isso perco muito tempo lavando-os bem, e todo mundo acha que é frescura minha ou que eu sou molenga e por isso demoro. Por que as pessoas não acreditam em mim?
Eu tinha coisas pra filosofar, mas acabei esquecendo... então paciência... e como tô ouvindo música, acabou me fugindo tudo...

Ouvindo: Eliana Printes - Os Presentes

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A Maldição da Flor Dourada

Eu vi esse filme um dia na Max (quando eu ainda tinha tv por assinatura e só porque pedi pra desligar os caras deixaram todos os canais possíveis abertos pra mim) e passou no SBT de madrugada, e como no Max eu vi da metade pro final, fui ver de novo, mas perdi o comecinho e só vi um pedacinho que não tinha visto, fora que em canal aberto eles cortam drasticamente os filmes.
Até agora não entendi se queriam mostrar alguma lição de vida com o filme ou se era só pra contar uma história de um soldado que quis ser imperador e não media esforços pra enganar, matar, ludibriar os outros (incluindo sua própria família). Imagino que seja chinês e tem todas aquelas coreografias de artes marciais e tal, mas o que me chamou a atenção é que, durante todo o filme, aquela cor amarelada e dourada dominava os cenários e o filme inteiro, e só por causa da cor que me prendeu a assistir aquela porcaria de novo, porque sinceramente não gostei do filme, o imperador é bem filho da puta e talvez porque eu esteja bem retardada mesmo pra me fixar a ver aquele filme. Se é pra ver um filme de alguém ou coisas que acontecem bem filhos da puta mesmo, eu prefiro ver Old Boy, ou Hollywood Hong Kong (que só vi uma vez e nunca mais também), ou até mesmo o de praxe Requiem Para a Vida.
Aliás... acho que tô muito "emotiva" e queria muito ver Air Doll, crendo que ele vai citar alguma coisa que me afetará e que depois ficarei bem mal lembrando dele. Daí eu finalizo com Spider Lilies só pra não perder o costume (que aliás, faz MUITO tempo que não o vejo). A música me comove, o único dia que elas ficam juntas me comovem, a solidão da menina mais irritante do filme infelizmente me comove, a beleza daquela garota alta e magra do filme (a protagonista) é de me fazer cair o queixo e ficar horas e horas babando por ela. E lembrando sempre que nunca iria se quer conseguir conhecer alguém tão bonita assim fisicamente como ela. Não que eu me importe demais com o físico da pessoa (minha lista de ficantes/namoradas/rolos não é tão grande e até que foi variadinho), mas como já comentei uma vez, queria pelo menos uma vez na vida, mas só uma vez na vida poder ter a chance de escolher alguém com quem ficar/namorar/se enrolar, ter opções.
Puxa vida... como tô apática... nem jogando um pouquinho de video-game me animou...
Alguém conhece alguma garota de programa razoável que faça programa pra outra garota?

o.O

Pensando em: música da trilha sonora do filme Spider Lilies

Tentar mudar um pouco o clima dos conteúdos

Vou falar o que andei fazendo depois da viagem:
Porra nenhuma!
rs
Quarta fui lá no curso de banho e tosa pra responder um questionário que eles mandam a gente escrever e pegar meu certificado. Só que eu calhei de encontrar com uma mulher que entrou depois de mim no curso e parece que ela foi lá só pra meter o pau do lugar, que não tinha gostado, não foi o que disseram e o que ela achou que fosse, etc, e eu, a trouxa, me enfiei no meio sem querer. Eu acho que o pessoal pensou que eu também embarquei das reclamações da mulher, e claro, eu só tava lá pra pegar a porra do certificado e nada mais. Daí, no meio da conversa, falaram de "estágio supervisionado", e a mulher (do pet shop) me perguntou se queria fazer. Eu não estava nem um pouco a fim, mas deu uma crise de retardadisse na hora que acabei aceitando. Daí a mulher disse que ia me dar o certificado no dia que eu fosse fazer esse "estágio supervisionado".
Sexta fui lá a tarde... e eu achando que ia poder ajudar um pouco no banho e tosa dos cachorros... que porra nenhuma! Só fiquei olhando o pessoal lá trabalhando, ajudando no máximo encher os shampoos, pegar uma coisa ou outra pra eles, segurar o cachorro pra não cair da mesa, e essas coisas. Mas, pra não ficar tão vazio essa visita, tentei olhar o máximo que podia das tosas que foram aparecerendo no dia. E no fim do dia, a mulher disse que ia me dar no dia que eu fosse fazer a aula de penteado (a única coisa que falta fazer), ou seja, só tá me embaçando e tô ficando irritada com isso.
Na hora de ir embora, começou cair um pé d'água dos infernos, e ofereci carona pra duas meninas que trabalham lá. Daí elas estavam me dando mor apoio pra insistir pra mulher lá do pet shop de me arranjar pelo menos freelancer lá, que acha que vou conseguir, que uma delas ia até me ensinar a pentear os cachorros falando de antemão que a aula vai ser uma merda porque o instrutor que vai dar a aula não faz bem, etc. Eu fiquei mor empolgada e ao mesmo tempo não.
Sim, é legal saber que tem gente que foi com a minha cara e quer me ajudar de alguma forma... e não porque sou uma ótima perdedora de oportunidades e também vou perder uma boa parte desse vínculo na terça. A minha pretenção é começar a arrumar um fixo só pro ano que vem... ainda quero curtir um pouco essas "férias" de vagabunda nata, mas se me aparecesse freelancer, era melhor, que daí já vou pegando um pouco as manhas de um pet shop.
Enfim.... (mudando totalmente de assunto)
Hoje fui no Salão do Automóvel lá no Anhembi com o meu primo e o Thiago. Eu queria ir pra ser como era, já que nunca tinha ido... e pra mim, não valeu muito a pena porque paguei quarenta paus só pra ver uns carros fudidos que não manjo muito e ver os que a gente já vê na rua. Pra quem curte mesmo, não deve ter se arrependido, mas pelo menos não fiquei boiando tanto... aproveitei pra entrar e ver como são os carros que tanto queria comprar (que só vai ser no dia de São Nunca, rs), tipo Mitsubishi Pajero TR4 e Pajero Full 3D, Suzuki SX4 e Grand Vitara, Nissan Livina e Tiida, e mais alguns que não me recordo no momento. E eu me apaixonei pelo SX4! Único defeito dele é que pensei que a regulagem de altura subiria mais (também tô querendo pedir demais pro cara fazer o banco subir até quase a minha cabeça encostar no teto, sendo que não sou o padrão brasileiro), e um pedaço de plástico que imita vidro num cantinho lateral lá na frente do carro só pra não deixar um determinado ponto cego tão cego assim, mas, paciência.
Depois fomos até o Center Norte e comemos no Outback... eu peguei um pedaço de carne que valeu quase que cinquenta paus (depois me arrependi)... não pelo sabor, era gostoso... mas pagar cinquenta paus em um pedaço grosso de carne, sendo que com esse preço você compra dois quilos de filé mignon e come um mês inteiro? Eu sou foda né? pppppppfffffffffffff.....
Enfim... só pra não ter que escrever coisas são tristes.... porque coisa triste é o que não falta... mas vou dispensar hoje...
O meu primo resolveu deixar o Wii dele aqui em casa... hehehehehehehheehehehehhe... vou aproveitar né?
Fui!