quinta-feira, 9 de março de 2017

Desvinculações

Determinadas coisas precisam ser desvinculadas durante a vida para poder andar pra frente. Algumas você tenta mas vai passar o resto da vida te atormentando, outras você consegue obter sucesso, e algumas outras que você faz com tanta dor e aperto no coração, mas que no fundo, bem lá no fundinho da sua alma quase inexistente, você sabe que é necessário tirar essa pedra que te estanca no tempo e espaço para poder seguir em frente, ao menos seguir um pouco mais leve.
Acho que devo ter tantas pedras em minhas costas e mente que, para eu realmente "voar" nessa vida precisaria de infinitas terapias, remédios, tapas na cara e na consciência e sofrer muito na vida (como vocês puderam perceber, sou uma pessoa "abençoada" em "berço de ouro").
Alçar vôos já não é mais minha esperança, ainda mais na idade em que me encontro. Muitos diriam que sou muito nova pra ter esses tipos de pensamentos e que deveria ser mais positiva. Outros diriam que preciso apenas de um pouco mais de ânimo pra que tudo melhore e fique bem. Mas, na verdade, acho que, se em meus 30 anos de vida nunca me vi como uma pessoa otimista, entusiasta e boa, não sei que milagre poderia acontecer em me fazer acreditar que sou capaz de fazer qualquer coisa ou ir pra qualquer lugar que eu queira (se é que ainda exista alguma vontade ou desejo neste ser que vos fala).
Enfim... tentando resumir a minha típica, enfadonha e melodramática (e chata e insignificante) vida: mesmo que eu tenha mil pedras infinitas sobre as minhas costas e minha mente, acho que preciso me desfazer de algumas delas, mesmo que sejam minúsculas e que não farão nenhuma diferença de peso em que carrego, mas é aquela velha história pseudo-psicológica, talvez não faça diferença no peso "físico" mas na "mente" faz uma enorme diferença, mesmo que ilusória.
 Fiquei alguns anos relutando em fazer isso, mas hoje cheguei num ponto em que reconheci a minha fraqueza e que preciso me desfazer de algo que no passado me trouxe tanta alegria e felicidade, e que agora só me lembro do fim que EU destinei a essa linda história. O pior é saber que, quem fez o fim fui eu.
Enfim... vivendo e... tentando aprender (coisa que ando constando que não estou assimilando bem, talvez por isso ainda estou viva na Terra, porque se eu tivesse aprendido a minha "lição de casa", eu já teria partido para uma outra dimensão).
Só queria registrar isso, pois foi uma coisa que marcou minha vida, mas que, infelizmente, tive que fazer a desvinculação pra ver se consigo andar um pouco pra frente.
Mas, no fundo, mais pra frente, vou sacar que, na verdade, o problema é realmente comigo e tenho que parar de vincular as culpas nos outros.
A CULPA É MINHA, EXCLUSIVAMENTE MINHA, E DE MAIS NINGUÉM!

Pensando em: ねごと (Negoto) - カロン (Charon)

Nenhum comentário: